Dimensão Sociopolítica divulga Carta Compromisso do 23° Grito dos Excluídos

06/09/2017 às 09h31

A coordenação da Dimensão Sociopolítica da arquidiocese divulgou a carta compromisso do 23° Grito dos Excluídos, que será realizado nesta quinta-feira (7) em Congonhas. A carta foi aprovada pelo arcebispo de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha, e uni a Igreja particular de Mariana às iniciativas, em todo o Brasil, do Grito dos Excluídos e das motivações da CNBB para a celebração da Semana da Pátria.

A Dimensão Sociopolítica propõem as comunidades que rezem, neste dia, de modo especial nestas intenções e, se possível, leiam, nas celebrações, esta carta compromisso da Arquidiocese de Mariana com os excluídos, os mais empobrecidos e necessitados.

Leia a carta na íntegra:

CARTA COMPROMISSO DO 23° GRITO ARQUIDIOCESANO DOS EXCLUÍDOS

Nós, agentes das pastorais e dos movimentos eclesiais e militantes dos sindicatos, dos movimentos sociais e populares, de partidos políticos e organismos públicos e civis, viemos celebrar o 23o Grito dos Excluídos aos pés do Senhor Bom Jesus, em seu Santuário Arquidiocesano, em Congonhas, neste 7 de setembro de 2017.

Comprometidos com a “Vida em primeiro lugar”, anunciamos, em meio a alegrias e dores, a esperança de um mundo melhor, reafirmando que “por direitos e democracia, nossa luta é todo dia”.

Manifestamos nossa indignação com os rumos econômicos e sociais do país, impostos pelo atual governo, movido por interesses voltados para o mercado, privilegiando o capital financeiro e os megagrupos econômicos nacionais e estrangeiros, em detrimento dos interesses do povo, sobretudo de garantia de seus direitos básicos como educação, saúde, moradia, segurança pública, transporte, alimentação saudável e saneamento básico.

Preparando-nos para celebrar o Grito, realizamos “rodas de conversa” e seminários em nossas cidades e regiões, durante os quais denunciamos:

Com o Papa Francisco, afirmamos, mais uma vez, “Este sistema é insuportável – exclui, degrada e mata”. Todos devemos, como exorta o Papa, limpar as vistas, deixar as falsas seguranças e todo comodismo e assumir, a partir dos excluídos, o compromisso com a vida e a esperança.

Imploramos as bênçãos do Bom Jesus, por intercessão de Nossa Senhora da Assunção e de São José, Padroeiros da Arquidiocese de Mariana, para que possamos prosseguir testemunhando e proclamando: a “Vida em primeiro lugar” e que “por direitos e democracia, a luta é todo dia”.

Congonhas, 7 de setembro de 2017


Voltar

Confira também: