Comunhão e disponibilidade marcam experiência missionária em Itabirito

30/10/2017 às 14h25

Em clima de comunhão e disponibilidade, a paróquia de São Sebastião, em Itabirito, Região Pastoral Mariana Norte, realizou uma ação missionária na comunidade São Miguel Arcanjo, no bairro Quinta do Inconfidentes, nesse domingo (29). Cerca de 60 missionários, de várias pastorais e movimentos, juntamente com paróco, padre Edmar SIlva, o assessor regional do Conselho Missionário, padre Joel Santos, e seminaristas, participaram da missão.

Segundo padre Edmar Silva, essa foi uma bela experiência de comunhão dos grupos e comunidades da paróquia. “Todos estavam muito entusiasmados, querendo colocar em pratica o mandato missionário de Jesus. Todos somos missionários, devemos revelar aos excluídos, pobres e afastados, o rosto materno de Deus e da Igreja”, conta padre Edmar.

A atividade encerrou o mês missionário e foi promovida pelo Conselho Missionário Paroquial (COMIPA). Visita as casas, um momento de louvor e uma missa fizeram parte da programação. “Creio que essa experiencia revela o desejo de nossa paróquia crescer sempre mais na consciência missionária. O papa tem insistido na dimensão missionária da Igreja e, neste sentido, temos muito que aprender ainda. Queremos ser uma Igreja em saída, que vai às periferias geográficas e existenciais de nossa paróquia”, acrescenta padre Edmar.

Para dar continuidade aos trabalhos e necessidades apresentadas durante a missão, o COMIPA e os representantes da comunidade irão realizar uma reunião para pensar em estratégias de ação junto aos moradores do bairro.

COMIPA

O COMIPA foi criado como fruto da Semana de Animação Missionária promovida na paróquia de São Sebastião pelo Seminário São José da Arquidiocese de Mariana. Desde junho de 2016, este conselho tem desenvolvido seus trabalhos de animação missionária na comunidade, se reunindo com os grupos de pastorais e movimentos com o objetivo de recordar a todos que a essência da Igreja é ser missionária e que todos os cristãos têm de ser missionários.

A integrante do COMIPA, Andreia Viana, conta que depois da semana de animação missionária, padre Edmar e algumas pessoas da comunidade perceberam a necessidade de continuar com esse trabalho. “Nós começamos a fazer estudos de alguns documentos do Papa, como a Evangelli Gaudiun, que destacam a Igreja em Saída, essa Igreja em estado permanente de missão. E nesses estudos, padre Edmar percebeu a necessidade da gente sair em missão. Começamos com um trabalho de fazer visitas aos movimentos e pastorais da paróquia, para levar as pessoas a perceberem a necessidade de ser Igreja em saída, de ser essa Igreja missionária”, conta.

Segundo Andreia essa foi a segunda missão promovida pelo COMIPA. “Nós tivemos duas experiências neste ano e em cada uma percebemos como as pessoas se sentem excluídas. Devido as situações de vida que elas tem, elas não se sentem díginas de se aproximar da Igreja, elas acham que não há lugar para elas. Então, a gente indo, como discípulo missionário, é muito bonito. É muito gratificante ver a alegria das pessoas recebendo a gente. E essa alegria também está presente nos missionários”, acrescenta.


Voltar

Confira também: