"Nós temos que ser anunciadores da boa notícia”, ressaltou Dom Geraldo no 4º Encontro de Comunicadores

14/05/2018 às 16h53

Inspirada no tema do 52º Dia Mundial das Comunicações Sociais, “A verdade vos tornará livres (Jo 9,32): Fake News e Jornalismo da Paz, a quarta edição do Encontro de Comunicadores com Dom Geraldo foi realizada no último sábado (12), no Auditório do Instituto de Filosofia do Seminário São José, em Mariana. Mais de 80 pessoas estiveram presentes.

O Administrador Apostólico da Arquidiocese de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha, abordou a passagem de Lc 4, 18 “Enviou-me a anunciar a Boa Nova aos pobres”. “Jesus ensinou que os seus apóstolos deviam ser comunicadores: ‘Ide por todo o mundo e comunicai a boa nova’. Anunciai o evangelho. O que é anunciar o evangelho? É comunicar. Evangelho quer dizer boa notícia. Nós temos que ser anunciadores da boa notícia. Não anunciadores de Fake News, mas anunciadores da verdade”, alertou, antes de pedir para que os participantes formassem grupos para refletirem sobre três perguntas: “Numa Igreja em Saída, o que anunciamos?”, “A quem anunciamos?” e “Como anunciamos o Evangelho ao pobres?”.

“Como anunciamos? Permitam-me que eu sublinhe: indo ao encontro. Precisamos desinstalar nossa igreja. É difícil. Nós ficamos esperando que venham, mas a atitude evangelizadora não é esperar os que vêm, é ir ao encontro. Igreja em saída é isso. Ir ao encontro, ver, chegar perto, como dizia Dom Silvestre, “Longe dos olhos, longe do coração”, afirmou Dom Geraldo, referindo-se ao arcebispo emérito de Vitória, Dom Silvestre Luiz Scandian, com quem trabalhou no começo de sua vida episcopal.

    

Fake News e Jornalismo da Paz

O jornalista e coordenador da pós-graduação em Comunicação, Igreja e Sociedade da Faculdade Dom Luciano Mendes, Marcelo Martins Vieira, debateu o tema geral do encontro: ““A verdade vos tornará livres (Jo 9,32): Fake News e Jornalismo da Paz”.

“Quando você for comunicar, você tem que levar em consideração quem é o outro. Então, o que você vai postar, vai fazer bem pra alguém? Isso vai ajudar realmente alguém? Ou vai fazer mal, vai denegrir uma pessoa, uma instituição? E tem mais um fator: é verdade? É uma verdade compartilhável o que eu estou postando?”, indagou o jornalista, incentivando os participantes a sempre questionarem as fontes das informações.

Marcelo acredita que pela relevância do assunto, o tema “Fake News” deve ser debatido em todas as comunidades da Arquidiocese. “Esta oportunidade, de falar para os comunicadores e debater um pouco, foi muito boa e senti um imenso interesse de todos pelo tema que é urgente e interfere no dia-a-dia de muita gente. Acho que os participantes deste Encontro de Comunicadores com Dom Geraldo serão multiplicadores deste trabalho e me coloco a disposição de cada um deles para que isso aconteça”, afirma.

O assessor arquidiocesano da Pastoral da Comunicação, padre Edir Martins, acredita que, mesmo realizado em véspera do Dia das Mães, o encontro teve um bom número de participantes. “Foi um sucesso novamente, com a participação de 83 participantes. Teve uma boa adesão graças, também, ao caminho que nós já temos feito dos três anteriores que foram muito bons. O tema central do nosso encontro é realmente significativo e pode nos ajudar também a compreender a maneira correta de trabalharmos a comunicação e de levarmos a verdade no nosso modo de viver, no nosso pastoreio enquanto igreja nas nossas comunidades”, destaca.

Segundo o diretor do Departamento Arquidiocesano de Comunicação (Dacom), padre Paulo Barbosa, a realização de um encontro com Dom Geraldo ajuda a fortalecer a comunicação. “Quando se fala num encontro com Dom Geraldo, a presença do bispo fortalece a comunicação diocesana, toda a articulação da Pastoral da Comunicação e dos veículos de comunicação diocesanos. Dom Geraldo nos trouxe uma conscientização daquilo que nós comunicamos: como, a quem e a partir de Jesus Cristo, porque Ele é o modelo máximo da nossa comunicação”, declara.

Para a secretária da Pastoral da Comunicação da Paróquia de São João Batista, em Barão de Cocais, Fabiana Trindade, a palestra de Dom Geraldo foi inspiradora. “Ele deixou bem forte aquela questão de ‘estou deixando a função, mas não estou deixando a missão’. E nós todos, como cristãos, temos uma missão a cumprir. Trazendo essa missão para a palestra do Marcelo, temos que fazer isso de uma maneira íntegra, de uma maneira verdadeira, baseada em fontes reais, em fontes conhecidas. Para que a gente não faça achando que é, mas que a gente realmente busque tanto a verdade do Senhor quanto a verdade do que pode ser transmitido e propagado”, sintetiza.


Voltar

Confira também: