O que comunicamos?

16/02/2017 às 09h56

A Igreja tem a vocação de levar ao mundo a alegria. Aquela que os anjos anunciaram aos pastores de Belém na noite do nascimento de Jesus (cf. Lc 2,10). Neste difícil contexto atual, tantas pessoas têm uma grande necessidade de sentir que a mensagem cristã é uma mensagem de alegria e de esperança. O Papa emérito Bento XVI exortara para que sejamos missionários da alegria.

Somos Igreja, comunidade de discípulos em missão. A Igreja não é formada por pessoas isoladas, mas por cristãos que celebram e praticam sua fé na família e em comunidade. Como somos chamados a refletir em 1Cor 12,4-26, São Paulo compara a Igreja ao corpo humano: cada um de nós possui uma tarefa na comunidade de acordo com os dons que Deus nos concedeu, para cooperarmos com a missão evangelizadora de toda a Igreja. Na comunidade todas as pessoas devem ter a alegria de se reunir para celebrar a Palavra e se alimentar da Eucaristia. Isso implica a capacidade de unir fé e vida e supõe uma abertura para que todos participem e protagonizem esse novo jeito de ser da Igreja: acolhedora, servidora e testemunha da Boa Nova. O Espírito de Deus desafia-nos a falar a linguagem do amor. Como aos discípulos, o Senhor também nos enriquece com seus dons e nos envia a formarmos um só corpo e assumirmos um comprometimento com o projeto de Jesus.

Diante de um mesmo panorama, uns olhos veem cores e beleza, outros temem a imensidão e a complexidade do espaço. Interessa-nos o olhar sobre esse mundo envolvido numa modernidade avançada, mas entrelaçado por uma diversidade de culturas e situações de morte que marcam nosso tempo. Ser PASCOM é ter como objetivo principal dar a conhecer ao mundo a mensagem de Cristo, mas também permitir que, através de nós, o rosto de Cristo se mostre aos outros. Percebemos como que com o nosso esforço de crescermos como pastoral em comunhão, podemos reforçar a unidade na missão eclesial que gera vida em nossas comunidades.

Pe. Edir Martins


Voltar

Confira também: