quinta-feira

, 02 de abril de 2020

Artigo de Pe. Paulo Barbosa
Padre Paulo Barbosa, nascido no dia 13 de novembro de 1964, em Capela Nova (MG), estudou até a quinta série em Barbacena, fez o primeiro e o segundo graus em Mariana, e filosofia e teologia no Seminário São José. Foi ordenado no dia 6 de janeiro de 1990, em Barbacena, por Dom Oscar de Oliveira. Escolheu como lema de sua ordenação “Eis aqui o servo do Senhor, faça-se de mim segundo a vossa palavra”. Foi professor de cosmologia filosófica no Seminário, colaborador das paróquias Sagrada Família e São José Operário, em Ouro Branco, Nossa Senhora das Brotas, em Entre Rios, Pároco na Paróquia Nossa Senhora da Assunção, em Mariana. Atualmente é pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Congonhas, e diretor do Departamento Arquidiocesano de Comunicação.

COVID-19: fim do mundo alienado

23 de março de 2020 Pe. Paulo Barbosa

Não quero discutir a origem deste vírus que se manifesta letal e voraz. Um inimigo invisível que tomou conta de todos os noticiários, agendas e virou o mundo de cabeça para baixo. Não há rico ou pobre, homem ou mulher, jovem ou idoso, criança, família que não estejam preocupados com a disseminação mortal do COVID-19. Coloco aqui algumas reflexões para encarar (não literalmente) mas com o olhar reflexo e atento.

Preocupa-me a situação dos mais vulneráveis, para quem se exigem atitudes governamentais e ações solidárias de todos com amor samaritano. Quantos gestos de amor encantam como: aqueles vizinhos que se colocaram à disposição para realizar as compras de mercado e farmácia para os mais idosos, daquela madame que cancelou uma festa mas colocou tudo o que gastaria para comprar desinfetantes, sabonetes e materiais de higiene para os mais pobres; daquelas famílias que alternam o cuidado com os idosos e doentes; aos que colocaram seu talento musical e artístico para alegrar virtualmente; daqueles que recolheram animais na rua para estes sobreviverem no atual contexto; dos profissionais da saúde que se doam nos hospitais, postos de saúde, clínicas para nos dar tranquilidade.

Do ponto de vista espiritual-meditativo, cresce a necessidade do homem e da mulher orantes. Já em Deus Criador as criaturas encontrem amparo. O Papa Francisco nos ensina a buscar o Senhor e não esquecer dos mais fragilizados.

Bela é a família que, agora, tira tempo para conversar, rezar   e pensar os rumos da vida,adquirindo o respeito e o diálogo que aproximam as pessoas. Algo que o vírus não pode tirar: a criatividade, a interatividade e o Amor das pessoas que não excluem ninguém.O cuidado higiênico do lavar as mãos e das atenções sanitárias também são uma forma de amar.

A Celebração Eucarística online – radiofônica e, ouvida no coração, eleva a alma carente de Deus, de Maria e da intercessão dos santos. E Deus se comunica conosco como Ele quer, em sua Divina Misericórdia.

Não faltem a ninguém a serenidade, o equilíbrio e a segurança que vêm do Pai, do filho e do Espírito Santo, comunidade trinitária de amor.

Confira Mais Artigos de Pe. Paulo Barbosa