terça-feira

, 09 de agosto de 2022

1° Encontro Arquidiocesano de Universitários é realizado na UFV

11 de novembro de 2019 Arquidiocese

Um momento de espiritualidade, “Há esperança no caminho”, conduzido pelo capelão da Universidade Federal de Viçosa (UFV), padre Paulo Nobre, a partir do evangelho de Lucas 24, 13-34 (discípulos de Emaús) iniciou o 1° Encontro Arquidiocesano de Universitários no último sábado (9), na UFV, em Viçosa. Em seguida, os 45 participantes acompanharam a conferência “Universitários e o Humanismo Solidário” feita por Luan Carlos, integrante da equipe nacional do Ministério Universidades Renovadas (MUR), a partir do documento “Educar ao humanismo solidário para construir uma civilização do amor” da Congregação para a Educação Católica.

Segundo o capelão da UFV, o ambiente universitário, por meio dos estudantes, professores e servidores, tem muito oferecer sobre a reflexão e a prática do humanismo solidário. “É preciso vencer a ideia, ainda presente em muitos setores acadêmicos, de que fé e ciência são reflexões contraditórias sobre a humanidade. O diálogo e a parceria entre fé e razão, sobretudo no campo do humanismo cristão, pode favorecer o desenvolvimento de práticas de ensino, pesquisa e extensão, que promovam, de forma mais efetiva, a o progresso humano e a construção de uma sociedade mais justa e feliz”, explicou.

Para a coordenadora do MUR de Ouro Preto, Ana Paula Pereira, o encontro trouxe à tona um assunto de extrema relevância. “Ele expôs a importância de nós, cristãos, levemos esse humanismo para dentro da nossa sala de aula e nossos projetos acadêmicos. O encontro retoma o pensamento dos estudantes serem ‘profissionais do reino’. De que forma nós podemos trazer esse humanismo solidário cristão para as nossas atividades acadêmicas. Dessa forma foram expostas várias iniciativas de universitários voltadas para o humanismo solidário, de forma a beneficiar uma cidade, uma comunidade, ou um pequeno grupo de pessoas, mas sempre com o objetivo de usar da ciência, dos conhecimentos adquiridos dentro da universidade para agir em prol de outros irmãos”, disse.

Pastoral Universitária

A caminhada histórica da Pastoral Universitária, as características do Setor Universidades da CNBB e a realidade própria da nossa Arquidiocese foram apresentados pelo assessor arquidiocesano da Pastoral Universitária, monsenhor Danival Milagres. Em sua fala, ele incentivou a continuidade dos trabalhos já existentes e motivou a criação de novos nos locais onde ainda não há ações pastorais voltadas ao âmbito acadêmico.

“Apresentei os documentos de estudo da CNBB, documento 102 e 112, ressaltando os eixos da evangelização que o trabalho da Pastoral Universitária deve contemplar. Tentei apresentar o objetivo deste trabalho para que os grupos presentes pudessem conhecer as orientações da Igreja no Brasil”, disse monsenhor Danival.

Segundo ele, uma orientação importante a ser considerar é a existência do Setor Universidades da CNBB, a nível nacional, do setor a nível regional e do setor diocesano. “Queremos com esse passo do primeiro encontro organizar esse setor universitário em nossa arquidiocese de Mariana. O setor engloba todas as iniciativas de evangelização existente no âmbito universitário. O setor quer dar uma orientação para as diversas forças existentes no âmbito de paróquia, capelania em vista da evangelização dos jovens universitários. Conseguimos dar esse passo, mostrando como devemos nos organizar. Para o próximo ano, iremos marcar algumas reuniões com os participantes deste encontro para começarmos a efetivar essa articulação”, explicou.

O capelão da UFV, padre Paulo Nobre, ressaltou que o encontro foi de grande importância para conscientizar os universitários sobre o papel do cristão no ambiente acadêmico, apresentando pistas de ação de acordo com o Setor Universidades da CNBB. “Serviu também para provocar maior interação entre grupos que atuam em regiões diferentes em nossa Arquidiocese, especialmente Viçosa, Ouro Preto, Barbacena e Ouro Branco”, disse.

Para a participante Ana Paula, encontros como esse são importantes para a formação dos universitários. “Existem muitos universitários cristãos que tem o desejo de atuar de forma a colaborar com a comunidade, mas não sabem como podem fazer isso, assim esses encontros abrem os nossos olhos, nos dão a direção e mostram as possibilidades para se trabalhar o humanismo solidário cristão, dentro de projetos de pesquisa, projetos de extensão, projetos de conclusão de curso, enfim. E é muito importante difundir esse tema para que cada vez mais os jovens universitários tenham a consciência de que não precisa deixar de ser cristão dentro da universidade, mas ao contrário, pode e deve levar os ensinamentos de Cristo pra academia e assim unir fé e razão e ser um profissional que antes de tudo é cristão”, destacou.

Debate e partilhas de experiências entre todos os participantes sobre realidades acadêmicas e projetos relacionados à evangelização e ao humanismo cristão na prática científica também fizeram parte da programação. O encontro foi encerrado com a celebração da Missa na Capela do Imaculado Coração de Maria na UFV.

Agenda