domingo

, 07 de agosto de 2022

12/04/2020

12 de abril de 2020

Cristo ressuscitou, venceu a morte, todos os vírus e tudo o que agride a humanidade, a terra e todo o universo. “Este é o dia que o Senhor fez para nós: alegremo-nos e nele exultemos!” A Semana Santa não terminou na sexta-feira. A páscoa, antes celebrada no sábado pelos judeus, passa a ser celebrada de modo totalmente novo com a ressurreição de Cristo. O dia da semana mais importante é o primeiro, não o sétimo. É a nova criação, a libertação de todas as amarras, de todo jugo, medo, insegurança, dor, sofrimento e da última inimiga, que passa até a ser amiga: a irmã morte, como a tratava Francisco de Assis. O túmulo vazio, as faixas de linho e o pano que envolveu a cabeça de Jesus(sudário) são apenas sinais. A ressurreição é vivida, na fé, por Maria Madalena(antes achara que haviam roubado o corpo), Simão Pedro e o discípulo amado, o primeiro a acreditar. As testemunhas de todo bem realizado por Jesus são as mesmas da ressurreição .”Deus o constituiu juiz dos vivos e dos mortos”. Ressuscitados com Cristo, busquemos as coisas do alto, aspiremos as coisas celestes, não as terrestres. Nutridos pela esperança, sejamos “cristãos que consolam, encorajam e carregam os fardos dos outros”.

(Papa Francisco na homilia da Vigília Pascal 11/4/2020).

Agenda

VEJA TAMBÉM