segunda-feira

, 28 de setembro de 2020

6 de agosto: ACN e CNBB promovem Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos

06 de agosto de 2020

Nessa quinta-feira, 6 de agosto, a Fundação Pontifícia: Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) com apoio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promovem a sexta edição do Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos.

Diante da pandemia da Covid-19, as instituições convidam todas as paróquias do país a promoverem, online, esta corrente de oração a favor dos cristãos que sofrem perseguição religiosa. A ACN e a CNBB vão rezar o Terço pelos Cristãos Perseguidos, às 18h30 (horário de Brasília) com a transmissão pelas redes sociais das duas instituições.

De acordo com a ACN, cerca de 80% das pessoas que sofrem perseguições por conta da fé são cristãs, ou seja, 327 milhões de cristãos vivem em países onde há perseguição religiosa e 178 milhões de cristãos estão em países onde são discriminados por motivos religiosos. O levantamento conclui que 1 em cada 5 cristãos no mundo vive em países onde há perseguição ou discriminação religiosa.

Como tudo começou!

O Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos ocorre anualmente no dia 6 de agosto em referência à mesma noite e madrugada de 7 de agosto de 2014, quando milhares de cristãos fugiram do norte do Iraque, expulsos pelos extremistas do grupo Estado Islâmico, aponta a fundação.

Segundo a ACN, a região concentrava 25% dos cristãos do país e também reunia algumas minorias muçulmanas ameaçadas. A fuga ocorreu à noite, com milhares de pessoas caminhando pelas estradas em direção às cidades curdas de Erbil e Dohuk.

“Cerca de 100 mil cristãos, aterrorizados e em pânico, fugiram de suas casas sem nada, somente com as roupas do corpo, a pé, rumo às cidades curdas. Entre eles havia doentes, idosos, crianças e mulheres grávidas, precisando de água, comida, medicamentos e um lugar para ficar”, declarou na ocasião o Patriarca Louis Raphael Sako, chefe da Igreja Católica Caldeia e publicado no site da fundação.

A ACN destaca que desde que tomou conhecimento da tragédia, na manhã do dia 7 de agosto, iniciou campanhas e projetos para socorrer materialmente e espiritualmente os perseguidos e refugiados.

“Desde então a Fundação Pontifícia realiza um dos maiores projetos de ajuda da sua história, direcionando esforços para alimento, abrigo e educação para os refugiados, ação que já resulta em mais de 2 mil projetos no Oriente Médio desde o início da crise”, destaca o site da instituição.

Fonte: CNBB

VEJA TAMBÉM