quinta-feira

, 18 de abril de 2024

A mais nova diocese da Igreja no Brasil, Araguaína (TO), foi instalada no dia 15 de abril

19 de abril de 2023 Igreja no Brasil

Criada no dia 31 de janeiro de 2023, a diocese de Araguaína (TO) foi instalada, canonicamente, na tarde do sábado, 15 de abril, durante a missa solene na catedral provisória de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Araguaína.

Em seu discurso de agradecimento, dom Giovane Pereira de Melo, o primeiro bispo diocesano de Araguaína e presidente da Comissão Episcopal para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), afirmou que “a criação da nova diocese coloca o povo mais próximo do seu pastor e a Igreja mais próxima do povo, de seus sonhos e aspirações.”

O Bispo ainda delineou os traços do programa pastoral diocesano, a partir da perspectiva eclesial da sinodalidade: “Estamos vivendo um novo tempo na Igreja, a experiência sinodal em curso convocada pelo Papa Francisco, por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão nos pede para avançarmos na escuta as distintas vozes de Deus que fala pela realidade, dialogar para favorecer encontros, alargando o espaço da nossa tenda, estendendo sem medo as lonas que nos abrigam, esticando as cordas e fixando bem as estacas (cf. Is 54, 2). Essa tenda é nossa Igreja, nossas comunidades, nossas pastorais, movimentos, organismos e serviços”, disse.

Dom Giovane convocou a toda comunidade católica da diocese de Araguaína para alargar o espaço da tenda e ser espaço de comunhão, um lugar de participação e uma base para a missão. Segundo ele, uma morada ampla, mas não homogênea, capaz de dar abrigo a todos, mas aberta, que deixa entrar e sair. Na diocese localizada na Amazônia Legal, o bispo reafirmou o compromisso da defesa da Casa Comum, do bioma cerrado, da terra, das águas e dos povos originários.

Colegialidade episcopal

O bispo auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro e secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, esteve no evento representando a Igreja no Brasil e CNBB. Para ele, Araguaína tornou-se uma diocese, uma porção do povo de Deus considerada madura, capaz de, sob a condução do bispo diocesano, levar à frente a missão evangelizadora da Igreja.

Para expressar a colegialidade episcopal, estiveram presentes ainda dom Pedro Brito, arcebispo metropolitano de Palmas (TO); Dom Philip Dickmans, bispo de Miracema do Tocantins (TO); Dom José Moreira, bispo de Porto Nacional (TO); Dom Welington de Queiroz, bispo de Cristalândia (TO); Dom Dominique Marie, bispo de Santíssima Conceição do Araguaia (PA); Dom Adriano Caccioca, bispo da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT); Dom Miguel Ângelo, bispo de Oliveira (MG); Dom Vilson Basso, bispo de Imperatriz (MA); Dom Francisco Soares, bispo de Carolina (MA); Dom Carmelo Scampa, bispo emérito de São Luís de Montes Belos (GO) e monsenhor Ivanildo Oliveira, bispo eleito de Cametá (PA).

Além dos prelados, também estiveram presentes dezenas de presbíteros, diáconos, religiosos e religiosas, leigos e leigas, autoridades civis e militares, representantes da sociedade organizada e de outras denominações cristãs.

Geografia e extensão

Desmembrada das dioceses de Tocantinópolis e Miracema do Tocantins, a nova diocese terá uma população estimada de 308.2178hab em um território de 35.826,93Km2, distribuídos em 19 municípios do meio-norte tocantinense. A diocese de Araguaína contará com 22 paróquias, 18 padres diocesanos, 13 padres religiosos, 8 diáconos permanentes, 12 seminaristas e 15 religiosas.

Os municípios que comporão a nova diocese são: Araguaína, Arapoema, Aragominas, Araguanã, Bandeirantes do Tocantins, Barra do Ouro, Babaçulândia, Carmolândia, Campos Lindos, Filadélfia, Goiatins, Muricilândia, Nova Olinda do Tocantins, Palmeirantes, Pau D’arco, Piraquê, Santa Fé do Araguaia, Xambioá e Wanderlândia.

Texto: CNBB

Foto: Comunicação de Araguarina (TO)

Agenda