domingo

, 14 de agosto de 2022

“Agora nós entramos no clima da Paixão, que caracteriza a semana santa”, destacou Dom Geraldo na celebração de Domingo de Ramos

26 de março de 2018 Arquidiocese

Vivenciando o Domingo de Ramos, fiéis das três paróquias de Mariana saíram em procissão, na noite desse último domingo (25), da igreja de Nossa Senhora do Rosário até a Praça da Sé, onde foi celebrada a missa que marca o início da Semana Santa. A celebração foi presidida pelo arcebispo de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha, e concelebrada pelo padre Enzo dos Santos, cônego Arnóbio Passos Cruz e cônego Nedson Pereira de Assis.

Após a chegada da procissão, o arcebispo destacou que a partir daquele momento, o clima vivenciado na Semana Santa deveria predominar. “Agora nós entramos em outro clima, no clima da Paixão, que caracteriza a semana santa, pois Aquele que foi aclamado Rei, foi depois levado ao calvário, onde foi crucificado por nós. Acompanhemos com fé e profunda devoção a celebração deste mistério, que se torna sacramentalmente presente na Eucaristia que celebramos. Mistério da morte e ressurreição de Cristo Senhor, Mistério Pascal que queremos vivenciar profundamente nessa Semana Santa”, disse.

Citando um versículo da Proclamação da Paixão do Senhor: “Verdadeiramente este era o Filho de Deus” (Mc 15,39), o arcebispo deu início a homilia. “Verdadeiramente Jesus é o Filho de Deus. Jesus é o Messias, ‘Hosana ao Filho de Davi’, proclamou o povo na entrada de Jesus na cidade santa de Jerusalém. Chamá-lo de Filho de Davi é reconhecê-lo como Messias. Messias quer dizer ‘ungido'”, explicou.

“Pilatos havia perguntando: Tu és rei? Jesus é rei sim, mas o seu reino é diferente. Não é um reino que se implanta pela força, pelo poderio, pelas armas. É um reino que não tem fronteiras. É um reino que se implanta no coração humano e nas estruturas da sociedade. Reino de justiça, de igualdade, de fraternidade, de liberdade, de amor, de paz, de santidade, de graça. Desse reino nós queremos participar, como pedimos no Pai Nosso ‘venha a nós o vosso reino”, disse.

Para um dos fiéis presentes, membro da Irmandade de Nossa Senhora do Carmo, Clécio Oliver, o Domingo de Ramos é um convite para o recolhimento com o objetivo de vivenciar a semana maior. “É tempo de examinar nossa consciência e de vermos como temos nos portado na qualidade de filho de Deus. Lembrar que essa semana não se encerra na morte do Senhor, mas se inicia na ressurreição daquele que nos dá a vida”, disse.

 

Dia Mundial da Juventude

Na celebração, Dom Geraldo recordou que nesse primeiro dia da Semana Santa, a Igreja celebra o 33º Dia Mundial da Juventude. “Hoje celebramos o Dia Mundial da Juventude. Que a juventude de hoje possa saudar Jesus, não só com os lábios, mas com o coração e com a vida, seguindo seus passos. Saudemos Jesus Rei do Universo, Messias prometido, Senhor da história”.

 

Campanha da Fraternidade

O Domingo de Ramos também marca o encerramento da Campanha da Fraternidade, que esse ano teve como tema “Fraternidade e superação da violência”. Na homilia, Dom Geraldo destacou a importância de superar a violência para colaborar na construção do Reino de Deus. “A Campanha da Fraternidade que hoje se encerra em todo o Brasil nos recorda “Fraternidade e superação da violência’. Violência que, às vezes, está alinhada dentro de nossa casa, no relacionamento entre marido e mulher, entre pais e filhos, entre irmãos. Violência que se instala nas cidades e no interior, em tantas mortes, em tantos assassinatos. Violência no trânsito, violência no relacionamento entre as pessoas no ambiente de trabalho. Violência gera violência. Só se vence a violência com o amor, com o entendimento, com o diálogo, com compreensão e, assim, construiremos a paz”, afirmou.

Agenda