sábado

, 20 de agosto de 2022

Atuação da arquidiocese junto aos atingidos é apresentada a bispo da Áustria

18 de novembro de 2019 Arquidiocese

A atuação da arquidiocese junto aos atingidos pelo rompimento da barragem de Fundão foi apresentada ao bispo referencial para a missão da Conferência dos Bispos da Áustria, Dom Werner Freistetter, na manhã desta segunda-feira (18), no Centro de Pastoral, em Mariana. O encontro contou com a presença do arcebispo de Mariana, Dom Airton José dos Santos, do coordenador arquidiocesano de pastoral, padre Edmar José da Silva, e do padre que acompanha os atingidos, padre Alex Martins.

Em sua fala, Dom Airton sublinhou que as perdas com o rompimento da barragem são incalculáveis. “Os atingidos perderam sua história, sua cultura, seu espaço de encontro. A arquidiocese perdeu 300 anos de história”, destacou o arcebispo.

A atuação da arquidiocese junto aos atingidos, desde o primeiro momento, foi sublinhada por padre Edmar. Ele acrescentou dizendo que, quatro anos depois, o trabalho continua. “Atualmente, temos um trabalho coletivo, onde os padres e a Cáritas acompanham todas as ações”, disse. O coordenador de pastoral também sublinhou que o rompimento das barragens despertou ainda mais a preocupação com a ecologia integral.

Durante a reunião, padre Alex entregou um memorial das ações desenvolvidas pela arquidiocese a Dom Werner. Ele lembrou, que após o dia 5 de novembro de 2015, Dom Geraldo Lyrio Rocha, então arcebispo de Mariana, publicou uma nota afirmando que a arquidiocese estava do lado dos atingidos e exigia justiça.

O presbítero sublinhou que a presença da Igreja é importante, pois é a fé que está unindo os atingidos. “Percebemos muitas pessoas desanimadas, sem esperança. Nosso esforço é em manter a esperança dessas pessoas  viva, mantê-las animadas”, disse.

Padre Alex também destacou que o rompimento da barragem de Fundão não foi uma catástrofe. “É importante ressaltar que foi um crime. No começo eles queriam dizer que era uma catástrofe. Mas, catástrofes nós não podemos impedir. Tragédias como essas nós podemos”, disse.

Essa é a primeira visita de Dom Werner Freistetter ao Brasil. Ele afirmou estar impressionado com tudo o que está conhecendo. “Estou super impressionado e tocado emocionalmente perante os grandes desafios que as pessoas daqui estão vivendo. Essa é a primeira vez que eu venho ao Brasil e estou feliz por ter encontrado pessoas que lutam com situações bem complicadas. Estou impressionado com o engajamento dessas pessoas. Sentimos o caminho que a Igreja deveria ter e já tem no Brasil para ter um futuro melhor. Para mim estão sendo dias de muito aprendizado e, ao mesmo tempo, de encorajamento. Esses encontro estão mudando o meu olhar para realidade e mudando a mim mesmo. Vou levar para minha terra o sentimento de solidariedade, de interligação e vou tentar animar os nossos irmãos para poderem compreender melhor a situação das pessoas daqui. Todos estamos interligados, lutando por um mundo melhor”, disse.

Dom Airton finalizou o encontro agradecendo a presença de Dom Werner e pedindo oração. “Olhem para nós do Brasil como irmãos e rezem por nós”, disse.

 

Agenda