terça-feira

, 16 de agosto de 2022

Batizados e enviados: seminarista Fernando conta sobre sua experiência missionária 

25 de outubro de 2019 Arquidiocese

Neste sábado (26) será a ordenação diaconal de quatro seminaristas da arquidiocese. Um deles, Fernando de Paulo de Almeida, em seu estágio pastoral, vivenciou um período de missão na Diocese de Almenara, no Norte de Minas. Em entrevista ao Departamento Arquidiocesano de Comunicação (DACOM), Fernando conto um pouco da sua experiência.

DACOM: Onde e há quanto tempo o você está em missão?

Seminarista Fernando: Eu estou em missão na Paróquia de Santo Antônio, em Santo Antônio do Jacinto, no nordeste de Minas Gerais, desde o dia primeiro de maio deste ano. O município pertence à Diocese de Almenara. Ele está situando na região do Baixo Jequitinhonha, já na divisa com o município de Guaratinga, no estado da Bahia.

DACOM: Do ponto de vista social e eclesial, como é a realidade da região onde você está em missão?

Seminarista Fernando: O Baixo Jequitinhonha desenvolveu muito nos últimos anos. Hoje, os maiores desafios são a falta de água e a concentração de terras nas mãos de grandes fazendeiros. Na maioria das cidades, as pessoas vivem de cargos públicos e programas sociais. Santo Antônio do Jacinto é um município bastante diferenciado.A cidade possui quase 12 mil habitantes e praticamente metade da população ainda vive na zona rural. Ao contrário da maioria dos outros municípios da região, Santo Antônio do Jacinto viveu um processo de reforma agrária natural, o que possibilitou um desenvolvimento econômico significativo. Devido à proximidade com o litoral do sul da Bahia, o município também conta com um volume de chuvas maior e com várias nascentes em todo o seu território, favorecendo à agropecuária e à agricultura familiar. Mesmo assim, ainda encontramos pessoas que vivem em estado de miséria sem energia água tratada, energia elétrica e saneamento básico.

Para mim, o maior desafio da Diocese de Almenara é a escassez de padres.  A diocese possui 17 paróquias e apenas 09 padres diocesanos. A Paróquia de Santo Antônio é a única do município e possui 07 comunidades urbanas e 23 comunidades rurais. O povo daqui possui uma caminha eclesial muito bonita. Devido à falta de padres na região, aprenderam a conduzir a paroquia sozinhos. O maior desafio que tenho enfrentado são às distâncias. Não é fácil fazer um formação paroquial, pois cada comunidade possui um ritmo diferente, muitas estradas não estão em boas condições e a maior parte da população depende o transporte público para se deslocar.

DACOM: Como nasceu o desejo de ir em missão?

Seminarista Fernando: Eu sempre tive muito interesse pela Dimensão Missionária na Vida da Igreja. Minha formação inicial no seminário foi com os Missionários Redentoristas. Na Arquidiocese de Mariana, pude ajudar na articulação do Conselho Missionário de Seminaristas, acompanhei os trabalhos da Infância a Adolescência Missionária e realizei pequenas experiências missionárias em outras dioceses nos períodos de férias. No entanto, desta vez, a iniciativa não partiu de mim. No encontro anual de presbíteros deste ano, foi consolidado o acordo de Igrejas Irmãs entre a Arquidiocese de Mariana e a Diocese de Almenara. Diante disso, nosso arcebispo Dom Airton José dos Santos me convidou para viver esse tempo de síntese e discernimento para as ordenações junto como o Pe. João do Carmo Macêdo, do nosso clero marianense, que já estava em missão na Diocese de Almenara desde 2015. Apesar da iniciativa não ter partido diretamente de mim, fiquei muito feliz com o convite, pois já tive a oportunidade de participar de duas Semanas de Animação Missionária em Santo Antônio do Jacinto em 2015 e 2018 e desenvolvi um grande afeto pelo povo dessa paróquia

DACOM: Como a experiência missionária pode colaborar com a sua caminhada formativa?

Seminarista Fernando: Toda experiência pastoral ou missionária é sempre muito enriquecedora. Jesus não formou seus discípulos missionários numa sala de aula, mas no dia a dia da missão através da convivência com Ele e com o povo. Apesar de todo o conteúdo que nós aprendemos em sala durante a formação no seminário, é na pastoral e na missão que nós aprendemos a viver o ministério para o qual estamos nos preparando. Em Santo Antônio do Jacinto, tenho aprendido grandes lições com o povo e o padre João do Carmo. Com o povo, aprendi a importância da formação dos leigos, da organização popular e da valorização das tradições populares. Já com o padre João do Carmo, aprendi o que realmente é essencial no ministério presbiteral, a não medir distâncias nem esforços para atender o povo em suas necessidades e o significado concreto da célebre expressão do nosso querido Papa Francisco: “pastores com cheiro de ovelhas”. De forma geral, creio que toda experiência missionária, por mais breve que seja, desenvolve significativamente a nossa capacidade criativa, pois exige de nós a arte de conciliar as exigências da ação evangelizadora aos costumes de cada lugar, respeitando a história e a caminhada de cada povo.

A ordenação

A ordenação diaconal será presidida pelo arcebispo de Mariana, Dom Airton José dos Santos, na Basílica de São José, em Barbacena, às 10h. Juntamente com Fernando serão ordenados os seminaristas Carlos Renato Valle Caetano, Gilsimar Tavares Vieira e Júnior Cesar de Souza.

Agenda