sexta-feira

, 19 de agosto de 2022

Batizados e enviados: padre José Geraldo Vidal fala sobre sua experiência missionária

18 de outubro de 2019 Arquidiocese

De Porto Velho para a Prelazia do Xingu. Na entrevista de hoje, a série “Batizados e enviados” conversa com o padre José Geraldo Vidal, que está em missão no estado do Pará. Leia a entrevista na íntegra: 

Dacom: Onde e a quanto tempo o senhor está em missão?

Padre José Geraldo: Chegamos ao território da prelazia do Xingu em Outubro de 2011, onde fomos acompanhar a Paróquia Corpo e Sangue de Cristo na cidade de Brasil Novo, lá passamos durante um período de seis anos. Em 2017 fomos transferido para a Paróquia Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos em Vitoria do Xingu, onde passamos dois anos à frente dos trabalhos pastorais. Em Janeiro de 2019 fui convidado a trabalhar na Área pastoral Assurini – Zona Rural da Cidade de Altamira – sede da Prelazia. Durante este tempo, em que estamos aqui na Prelazia, temos acompanhado os vários movimentos sociais, participando do MAB – (Movimentos atingidos por barragens). Em 2017 fomos convidados pelo Bispo a assumir a coordenação das Pastorais Sociais da Prelazia do Xingu.

Dacom: Do ponto de vista eclesial e social, como é a realidade da região onde o senhor estar? 

Padre José Geraldo: Iniciando o ponto de vista no que tange o lado eclesial, temos um olhar amplo onde estamos presente devido ao número de comunidades existentes na área. Cada comunidade é formada por uma grande parte de pessoas que vieram de outras regiões e estados diferentes, cada um com sua maneira de participar da vida eclesial. Cada semana nos esforçamos muito para estar presente em uma boa parte das comunidades, onde fazemos visitas aos doentes as famílias e a celebração da missa, esta assistência ainda é pouca quando percebesse que o número de outras Igrejas e lideranças de cristas a cada dia surgindo nas comunidades. Abordando a situação social da nossa região, preocupasse, pois no que refere-se às políticas públicas são esquecidas e isso faz com que o nosso povo sofre sem ter um cuidado básico na área da saúde, educação, lazer, esporte, transporte (as estradas cada vez mais difíceis para o deslocamento, onde muitas vezes é preciso que os moradores se unem para mandar consertar as estradas que são destruídas com o excesso de chuva), a nossa preocupação também se estende no aumento da violência na região, pois não existe uma assistência dos órgãos de segurança pública, logo podemos ver claramente que Altamira, desde 2017, é vista nas pesquisas da mídia como a segunda cidade mais violenta do Brasil. Também foram muitas as catástrofes causadas pela construção da Hidrelétrica Belo Monte, houve um êxodo de muitas famílias para dentro e fora da região, destas famílias muitas foram prejudicadas no que se entende a qualidade de vida e a assistência do estado. Nestes últimos anos temos nos preocupado muito com a ganância das grandes mineradoras que estão presentes no anseio de explorar a riqueza do nosso povo, sem trazer nenhum benefício para população mais acrescentar muito mais o número dos malefícios que o povo já enfrenta. 

Dacom: Como nasceu o desejo de ir em missão? 

Padre José Geraldo: “Ide pelo mundo inteiro, proclamai o Evangelho a toda a criatura” (Mc 16,15). Na verdade a nossa compreensão do sacerdócio só tem sentido quando nos colocamos ao serviço (servir), bem como é o Sumo sacerdote Jesus Cristo que se coloca a serviço dos mais necessitado, este que não viu barreiras nem limites para a sua missão convida a todos para “SAIR” aos confins da terra, assim se fazer próximo de todos especialmente dos pobres, marginalizados e esquecidos da sociedade. A nossa preocupação nasce de um interesse de fazer a diferença se colocando ao serviço da Igreja para ir e se doar aonde muitos não tem condições físicas até de sair em missão a lugares distantes, se fazendo solidários onde o número de sacerdotes da Igreja é mínimo. A proposta da Igreja do Santo padre papa Francisco de Sermos Igreja em Saída faz arder o nosso Coração e despertar a nossa consciência de solidariedade fraterna com os irmãos e irmãs. 

Dacom: Como a experiência missionária pode colaborar com a vida eclesial?

Padre José Geraldo: O Concílio Vaticano II a mais de meio século já nos alerta que o mandato missionário do Senhor não e opcional para a Igreja; e uma obrigação imprescindível, como recordou, porquanto a Igreja e, DE NATUREZA, MISSIONARIA, pois nasce da missão de Cristo e dos apóstolos, ao sair em missão acontece a sua ascensão bem como Ela é mãe e esposa de Cristo, ao cumprir com fidelidade a sua identidade. A Igreja ao seguir o mesmo caminho de Cristo na doação e no “Ide” pelo CAMINHO DA POBREZA, DA OBEDIENCIA, DO SERVICO, E DA CARIDADE se faz cada vez mais samaritana ao comunicar realmente a mensagem do reino de Deus, no Cristo modelo da nova humanidade, ou seja, daquela humanidade imbuída de amor fraterno, de sinceridade e de misericórdia. Tudo isso cremos que colabora no crescimento e na comunhão da vida eclesial, bem como sua santificação.

Agenda