sexta-feira

, 01 de dezembro de 2023

Bispos do Brasil destacam o legado de Dom Geraldo Lyrio: “Evangelizador admirável, zeloso e humilde servidor da Igreja e da CNBB”

27 de julho de 2023 Arquidiocese

No calor da emoção da notícia do falecimento do arcebispo emérito de Mariana (MG), nesta quarta-feira, 26 de julho, o bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Ricardo Hoepers, gravou um vídeo destacando o legado deixado por dom Geraldo Lyrio Rocha.

O secretário-geral da CNBB afirmou que uma das marcas de dom Geraldo Lyrio é a de um homem que lutou pela comunhão eclesial. “Ele sempre atraía a todos com suas palavras de sabedoria e seu jeito humilde de ser”, disse. Outra marca, destacada por dom Ricardo, foi a de ser um homem trabalhador. “Se dedicou em várias frentes, inclusive como presidente da CNBB. “Em todas estas frentes, ele demonstrou competência, capacidade e, acima de tudo, muito empenho. Ele foi um homem que trabalhou até o último suspiro”, enalteceu.

A terceira marca do legado de dom Geraldo foi a generosidade. “Sempre disse sim a todas as necessidades que a CNBB e a Igreja no Brasil solicitaram a ele. Sua presença continuará sempre no nosso coração como um irmão, um homem de comunhão, um homem trabalhador e que deu testemunho de que tudo que fez foi por amor”, disse.

Clique aqui e confira a Mensagem da presidência da CNBB

O mesmo aspecto de doação à Igreja foi destacado também pelo bispo auxiliar da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ) e ex-secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado. “Dentre os aspectos que me chamam a atenção na vida de dom Geraldo, destaco seu amor à Igreja concretizado na constante disponibilidade para servir. Quando foi eleito para o Sínodo, sua resposta foi: ‘Digo sim a tudo que a Igreja me pede’. Que possamos aprender com dom Geraldo a viver esse amor-disponibilidade”.

Evangelizador admirável, bom e zeloso

O arcebispo de Belo Horizonte (MG) e ex-presidente da CNBB, dom Walmor de Oliveira Azevedo, recorda que conheceu dom Geraldo Lyrio Rocha no período em que estudou em Roma, no início de seu ministério sacerdotal. “Dom Geraldo muito me inspirou, com a sua exemplar bondade, especial zelo pastoral. Um evangelizador admirável, que deixou importante legado para a Igreja no Brasil, na América Latina, com especiais contribuições para a Arquidiocese de Mariana e CNBB, onde serviu como presidente. Com seus mais de 80 anos, dom Geraldo servia com perseverança na Igreja”, destacou.

O arcebispo de Belo Horizonte reforça que dom Geraldo exerceu a sua missão com bravura e docilidade. “Um líder da Igreja, que conquistou respeito e admiração com a sua notável capacidade para o diálogo e incansável disponibilidade para servir. Dedicou a sua vida ao Evangelho. Trabalhou para construir o Reino de Deus até o fim, testemunhando, de modo exemplar, a vocação dos que se consagram a Cristo”, descreveu.

Dom Walmor disse que ele, na semana passada, esteve em Belo Horizonte, pregando retiro para missionários religiosos. “A sua partida repentina para junto de Deus fere o nosso coração, entristece a cada um de nós, seus admiradores. Mas a fé na ressurreição consola o nosso coração. Agradecemos muito ao Pai pelo dom da sua vida, dedicada ao bem de cada pessoa, especialmente dos pobres”.

Fiel seguidor do Concílio Vaticano II

O arcebispo de Manaus (MA), cardeal Leonardo Steiner, define o arcebispo emérito de Mariana como um pastor dedicado, atento, sábio, com humor, homem de Igreja e fiel seguidor do Concílio Ecumênico Vaticano II”. Outro aspecto destacado pelo cardeal da Amazônia é que sempre estando disposto a colaborar com as iniciativas e textos da CNBB, dom Geraldo continuou a dar estatura à CNBB, junto ao Governo Federal e à Santa Sé.

Dom Leonardo destaca que ele deu início à reestruturação e reorganização da CNBB, especialmente na sua sede. “Dedicado colaborador da CETEL, especialmente na tradução da 3ª edição típica do Missal Romano. A Igreja no Brasil louva e bendiz pela vida e ministério episcopal de dom Geraldo Lyrio Rocha, chamado ao Reino definitivo”, agradeceu.

Contribuição para o bem da Igreja

O arcebispo da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ), cardeal Orani Tempesta, disse que o momento em que dom Geraldo passa à Eternidade é também um tempo para refletir sobre a sobre a sua presença na Igreja no Brasil, nas dioceses por onde passou e também em na CNBB. O cardeal destacou como marcas de sua presença, a sua dedicação, disponibilidade, esclarecimento e toda sua capacidade de resumo e de, também, contribuir para o bem da Igreja.

“Agradecemos a Deus pela sua vida, pelo seu trabalho, seu testemunho e sua missão. Abraçamos seus amigos, parentes, antigos diocesanos e arquidiocesanos. A todos que se relacionaram de forma próxima a ele, pedimos a Deus que dê o dom da consolação a todos. Que ele contemple a face do Senhor. Agradecemos muito pela a vida de dom Geraldo Lyrio e que Deus lhe conceda a paz e o acolha na eternidade”, pediu.

Promotor da comunhão na Igreja

O arcebispo de São Salvador da Bahia e primaz do Brasil, cardeal Sergio da Rocha, destaca que dom Geraldo Lyrio contribuiu de modo extraordinário para a comunhão e a missão da Igreja no Brasil, especialmente da CNBB, que teve o privilégio de tê-lo como presidente.  Para o cardeal Sergio, o ministério episcopal do arcebispo emérito de Mariana continuará a produzir muitos frutos na Igreja.

“Dentre tantos motivos de louvor a Deus e de gratidão a dom Geraldo estão o seu jeito sempre muito fraterno e alegre, a sua sabedoria, o seu testemunho de comunhão eclesial, a sua disponibilidade em servir e o seu zelo pastoral. Sentimos profundamente a sua partida, pedindo a Deus que lhe conceda a recompensa eterna pelo bem imenso que ele realizou entre nós, na CNBB e no CELAM, nas dioceses em que ele serviu como bispo e em tantas outras que ele colaborou, quando solicitado, com tanta competência teológica e dedicação”, afirmou.

Fonte: CNBB