terça-feira

, 09 de agosto de 2022

Bispos, padres e leigos da Província estudam sobre os impactos da mineração

20 de setembro de 2019 Arquidiocese

Os impactos da mineração e das barragens foram temas de estudo e reflexão na reunião da Província Eclesiástica de Mariana realizada nesta quinta-feira (19), em João Monlevade. O encontro, que foi assessorado pelo Frei Rodrigo Perit, contou com a presença do arcebispo de Mariana, Dom Airton José dos Santos, do bispo da Diocese de Governador Valadares, Dom Carlos Félix, e do bispo da diocese anfitriã, dom Marco Aurélio Gubiotti, de padres, leigos e representantes da comissão de meio ambiente da província.

Durante a reunião, o assessor, que faz parte da Comissão de Mineração da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), alertou sobre os impactos da mineração, dos riscos dos rompimentos das barragens. Segundo ele, é preciso estar atento, pois não existe só Mariana e Brumadinho. Frei Rodrigo também sublinhou sobre a importância da província ter um representante em diálogo com o grupo de trabalho sobre mineração da CNBB.

Segundo o coordenador arquidiocesano de pastoral, padre Edmar José da Silva, debater sobre a mineração na reunião da Província foi bem importante. “O tema da mineração e da ecologia integral afeta a todos nós, independentemente de estarmos ou não em uma região mineradora. O debate tem ganhado espaço nas diversas instâncias eclesiais. A igreja quer oferecer critérios de valores para discutir a questão e apoiar os que foram atingidos pelas tragédias do rompimento das barragens”, disse.

Trabalhos em grupo

Após a apresentação do assessor, cada diocese se reuniu para partilhar sobre a realidade da mineração em seu território. Segundo o arcebispo de Mariana, é preciso reunir todos os grupos da arquidiocese para dar unidade aos trabalhos ligados à mineração e aos atingidos.

“Em nossa Arquidiocese vários agentes estão envolvidos nas questões ligadas à mineração e à ecologia integral: Comissão de meio ambiente; a Cáritas, que está apoiando os atingidos; o apoio da Arquidiocese aos atingidos através dos padres; a Escola de cidadania que vai propor o estudo da Laudato Si. O que precisamos é reunir os diversos agentes envolvidos para fazermos um trabalho em conjunto. Estamos agendando uma reunião com estes diversos agentes, visando maior comunhão”, sublinhou padre Edmar.

Romaria das Águas e da Terra

Uma avaliação sobre a 4ª Romaria das Águas e da Terra também fez parte da pauta. A Romaria foi realizada, em julho, na cidade de Itabira e reuniu milhares de pessoas de toda a Bacia do Rio Doce. Segundo integrantes da comissão de meio ambiente da província, a Romaria comprimiu o seu papel profético.

Para o  bispo de Itabira, Dom Marco Aurélio, a Romaria foi de grande importância para a diocese. “Fiquei muito satisfeito e grato com a participação e organização da romaria.  Ela fez muito bem para a nossa cidade e para a nossa diocese”, disse.

A Província Eclesiástica de Mariana se reúne duas vezes ao ano. A próxima reunião será realizado em março de 2020 na arquidiocese de Mariana.

Agenda