terça-feira

, 28 de novembro de 2023

Bispos Referenciais de CEB’s e do Laicato dos Regionais da CNBB se encontram no 14º Seminário de Bispos Referenciais

17 de agosto de 2021 Arquidiocese

A Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), promoveu do dia 10 a 11 de agosto, de forma virtual, o 14º Seminário com os Bispos Referenciais para as Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s) e para o Laicato dos 19 regionais da CNBB.

O Seminário contou com a presença dos Bispos Referenciais, cristãos leigos e leigas representantes da Ampliada Nacional de CEB’s, Presidentes dos CNLBs a nível Nacional e Regional, representantes do Serviço de Comunhão Charis, Novas Comunidades, Grupo de Reflexão formado por teólogos e pastoralistas (alguns professores das PUCs brasileiras), membros da Comissão do Laicato da CNBB e representantes de outras expressões laicais. Somando, ao todo, aproximadamente 74 pessoas.

De acordo com bispo da diocese de Tocantinópolis (TO) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da CNBB, dom Giovane Pereira de Melo, estes bispos têm a missão de acompanhar os organismos, as expressões e movimentos laicais, as Ceb’s e animá-los na sua identidade, na sua vocação e missão como cristãos leigos e leigas na Igreja no Brasil.

No primeiro dia a Análise Eclesial e Social da conjuntura, foi a partir dos textos de estudo da primeira Assembleia Eclesial da América Latina e Caribe e foi conduzida pelo padre Agenor Brighenti. Já no segundo dia foram apresentados os Parâmetros Básicos para a Formação do Laicato pelo teólogo João Décio.

Dom Giovani ainda recorda que o processo de pensar a formação de leigos e leigas na Igreja no Brasil já percorreu um caminho bastante longo. “Estamos entregando à Igreja no Brasil estes parâmetros contextualizado com a nova conjuntura mundial de realidade pandêmica, com o avanço da sociedade de comunicação e mídias digitais e que incluem todas as inovações trazidas nos documentos do magistério do Papa Francisco”, aponta.

Para a cristã leiga da Arquidiocese de Mariana e presidente do CNLB-Regional Leste 2, Leci Nascimento, o seminário foi uma grande riqueza. “Nosso povo está de luto, sofrido e com medo, por isso, precisamos dar uma atenção especial a todo povo de Deus. É preciso revigorar nossa fé, reascender a chama do amor, fortalecer a Igreja comunhão-participação, reencantar a todos(as) a se colocarem a serviço, e, precisamos ver que neste momento é fundamental, possível e necessário escutar a todos – bispos, padres, leigos e leigas, visto que o objetivo é o mesmo: fazer acontecer o Reino de Deus no mundo”.

“O Seminário foi uma bonita experiência dessa possibilidade. Quanta riqueza! Percebi que já estamos dando passos de sinodalidade, tão necessário nos tempos atuais. Como é cada vez mais importante a consciência do protagonismo leigo, da sua compreensão de corresponsabilidade, de retomar o Documento de Aparecida, resgatar Santo Domingo e entender que o Discípulo Missionário, passa pela conversão, por uma formação orgânica, pela participação e inserção nos vários espaços de transformação social”, pontuou a presidente do CNLB-Regional Leste 2.

De acordo com Leci, o encontro despertou a necessidade de assumir a renovação do Concilio Vaticano II, como tem insistido o Papa Francisco. “Foi também uma alegria recebermos os Parâmetros Básicos para a Formação do Laicato. Nós leigos precisamos de formação, quer seja uma formação popular ou acadêmica. Estes foram construídos após um longo processo de escuta e conversa por uma equipe organizada para esta finalidade e é constituído de importantes pressupostos e critérios para que se haja uma verdadeira e autêntica formação cristã. O grande desafio que ficou é pensarmos, em conjunto, como fazer os parâmetros, essa formação, chegar a todos, à base do laicato, nos agentes de pastorais e membros dos movimentos, dimensões e àqueles que não integram um trabalho eclesial. Enfim, ficou a inquietação de que não podemos sair os mesmos após a pandemia. Pelo menos, mais solidários e com maior comprometimento com os pobres”, enfatizou.

Ao longo do Seminário foram apresentados os trabalhos que estão sendo executados pelo Centro Nacional de Fé e Política (CEFEP), a Comissão Brasileira de Justiça e Paz, o Conselho Nacional do Laicato (CNLB), das CEB’s, o Setor Laicato da CNBB, do Serviço de Comunhão CHARIS e o calendário até o final de 2021 e as propostas de trabalho para 2022.

Texto: Leci Nascimento com informações da CNBB

Foto: Leci Nascimento