quinta-feira

, 30 de maio de 2024

Campanha da Fraternidade 2017 é aberta na Arquidiocese

02 de março de 2017

A abertura oficial da Campanha da Fraternidade 2017 na Arquidiocese de Mariana foi realizada na noite dessa quarta-feira de cinzas, 1°, durante a celebração presidida pelo arcebispo de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha, na Praça Sé, em Mariana, e concelebrada por vários padres.

“Essa campanha convida a contemplar, admirar, agradecer e respeitar a diversidade natural que se manifesta nos diversos biomas do Brasil, como um verdadeiro dom de Deus. Através da promoção de relações respeitosas com a vida e a cultura dos povos. Este é um dos maiores desafios em toda as partes da terra. Até porque as degradações do meio ambiente são sempre acompanhadas pelas injustiças sociais”, afirma Dom Geraldo.

A Campanha deste ano tem como tema “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2.15) e pretende alertar para o cuidado que todos devem ter com o planeta, de modo especial com os biomas brasileiros. No começo da missa, Dom Geraldo leu a carta do Papa Franscico sobre a Campanha.

Quaresma

A celebração marcou também o início da quaresma. Milhares de fiéis presentes receberam a imposição das cinzas no final da missa. “A quaresma que iniciamos seja para todos nós ocasião de revisão de vida e de conversão. Eis o tempo da conversão, eis o dia da salvação. Que este sentimento de reconciliação nos acompanhe ao longo da quaresma, para que assim, ao celebrarmos a pascoa nós possamos celebrar a alegria de ressuscitados com o Cristo termos vida nova. No relacionamento com os outros e com Deus”, disse o arcebispo.

A quarta-feira de Cinzas é um convite a esse tempo de conversão, silêncio, oração, penitência e jejum. Com a imposição das Cinzas, tem início um período relevante para todo cristão que deseja se preparar para viver o Mistério Pascal, a Paixão.

“Reconciliai-vos com Deus. Só se reconcilia com o Pai, quem se reconcilia com os irmãos. Que neste tempo quaresmal arranquemos do nosso coração toda a magoa, ressentimento, rancor, inimizade. Vamos nos reconciliar em casa, que o marido se reconcilie com a sua esposa e sua esposa com o marido. Que os pais se reconcilie com seus filhos. Há filhos que carregam magoas dos pais pelo resto da vida, que os irmãos se reconciliem entre si. Que possamos nos reconciliar com nossos vizinhos. Que posamos ajudar a humanidade para que ela possa ser reconciliada. Assim é que vamos experimentar a paz, a alegria e sermos verdadeiramente felizes”, ressalta Dom Geraldo.

VEJA TAMBÉM