domingo

, 07 de agosto de 2022

Carta do Encontro Arquidiocesano das CEBs 2019

28 de agosto de 2019 Arquidiocese

Ao povo de Deus na Igreja particular de Mariana.

O “trem das CEBs” fez uma parada na Casa de Encontro de São José do Triunfo – Viçosa, na Paróquia de São Silvestre, onde permaneceu entre os dias 23 e 25 de agosto de 2019 para o 32º Encontro Arquidiocesano das Comunidades Eclesiais de Base, para discutir e aprofundar o tema: CEBs e os desafios da Igreja em saída em busca de vida plena para todos (as)” e o lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça”.

Éramos 78 (setenta e oito) delegados, vindos das cinco regiões pastorais da Arquidiocese de Mariana, sendo muito bem acolhidos pela comunidade local.

A abertura foi realizada na Igreja de São José, com Missa presidida pelo Padre José Afonso Lemos, pároco local e Assessor Arquidiocesano das CEBs, após a qual tivemos o privilégio de participar da Conferência dentro da 2ª Semana Dom Luciano com temas relacionados ao Documento de Puebla e com reflexão sobre os rostos da desolação.

A exposição do assessor Padre Luiz Faustino, tendo como inspiração principal o livro dos Atos dos Apóstolos, motivou a Assembleia a reafirmar o conceito de CEBs, ficando evidente que elas são a “Igreja em movimento”, “essência da Igreja”, “Igreja viva”, ‘célula estruturante da Igreja”, enfim, o “jeito normal de ser Igreja”.

As três viagens missionárias de São Paulo (no período entre os anos 46 e 57) foram colocadas como inspiração para uma Igreja em saída.

Acolhemos de bom grado as orientações do Papa Francisco direcionadas aos discípulos missionários: superar o declínio do fervor pelo entusiasmo missionário, o azedume pela alegria da evangelização, o pessimismo estéril pela esperança, o isolamento pela comunidade, o mundanismo espiritual (Igreja Show) pelo Evangelho, a inveja pelo amor.

Considerando ainda os Atos dos Apóstolos, retornamos ás nossas comunidades com o propósito de lembrarmos sempre das quatro exigências da Evangelização: servir, dialogar, anunciar e testemunhar a comunhão. Queremos também ir ao encontro das periferias geográficas e existenciais; participar ativamente nas pastorais sociais e eclesiais, defender a casa comum, integrar os movimentos sociais de luta e tornar as pastorais eclesiais missionárias, proféticas e transformadoras.

Estamos convencidos de que as CEBs, ajudando a fortalecer e multiplicar comunidades e grupos de reflexão, são fermento do Reino na transformação da Sociedade.

 

Viçosa, 25 de agosto de 2019.

Agenda