domingo

, 19 de maio de 2024

Catequese e Pastoral Familiar da Região Norte avaliam trabalhos de 2019

11 de dezembro de 2019 Arquidiocese

Reunidos no Centro Pastoral Cônego José Renato, em Mariana, os coordenadores de catequese da Região Norte avaliaram o desempenho dos trabalhos realizados este ano a nível regional e paroquial. Cerca de 20 pessoas estiveram presentes.

“É interessante que é uma reunião em que, às vezes, as pessoas vêm um pouco desanimadas e aqui, falando um com o outro, falando das dificuldades, das alegrias também, saímos renovados porque é uma troca realmente de experiência”, explica a coordenadora regional, Cláudia Cristino.

Além de discutirem pontos altos e baixos, os catequistas fizeram a agenda de 2019, definiram as datas das formações e finalizaram com uma confraternização. “É sempre um momento de alegria, de descontração e todo mundo fica satisfeito”, ressalta Cláudia.

A nível regional, ela destaca que a Catequese teve um caminhar produtivo, apesar da ausência de muitas paróquias. “A gente vê isso porque os próprios coordenadores vão dando esse retorno. Eles vem, participam, trocam ideia e voltam. De um modo geral, a catequese está caminhando muito bem”, avalia. Um dos fatores, na visão dela, para que isso ocorra é o fato da coordenação da Região Norte ser composta pelos coordenadores paroquiais.

“Por isso que a gente consegue caminhar, quando os coordenadores começaram a vir e a participar ativamente, a gente viu que o grupo começou a crescer e foi muito bom”, ressalta. Das 10 reuniões em que a equipe participou, 8 foram regionais e 2 arquidiocesanas. Em todas as regionais, os catequistas receberam formações.

Rosana de Castro Ribeiro, da Paróquia São Sebastião, em Itabirito, ressalta o conteúdo das formações como um dos fatores positivos dos encontros mensais da Catequese. “É sempre bom reciclar, se informar, se inteirar dos assuntos e a Arquidiocese sempre dá esse leque para nós, sempre dá informação, avaliação. Com os problemas detectados aqui vamos poder trabalhar em 2020 com maior número de acertos”.

 

Experiência nas paróquias

Lucimar Belfort Torres define o ano de 2019 em sua comunidade de São Vicente de Paulo, da Paróquia Nossa Senhora da Assunção, em Mariana, como produtivo, apesar dos contratempos. Lourdes Pereira de Paula da mesma comunidade ressalta que tudo o que foi aprendido nas reuniões regionais foi levado para os que não participaram. “Tiveram formações muito boas, quanto mais a gente vive, mais aprende” afirma.

A catequese da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, de Ouro Preto, passou por avanços neste último ano. Assim define a catequista Aparecida Fina Ferreira. “A gente avaliou o que precisa ser mudado e os acontecimentos foram benéficos”, afirma.

Geraldo Heleno de Oliveira, da Comunidade São Francisco, da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, revela que sua comunidade enfrentou muitos desafios neste ano, principalmente a falta de catequista e o desânimo, mas, em contrapartida, superou algumas dificuldades. “A expectativa é mudar para melhor, colocar mais planejamento em pratica, trazer ânimo para a comunidade. A gente tem que colocar em prática as coisas mais atrativas para não ficar na rotina só”, destaca. Geraldo cita como exemplo começar a usar as ideias propostas nos encontros regionais da catequese.

 

Pastoral Familiar

A Pastoral Familiar Regional também se reuniu no sábado (7), em Mariana, para uma formação com o diácono Róbson Adriano Fonseca Dias Silva. Em seguida, realizaram a avaliação dos trabalhos da pastoral na região.

“Graças a Deus os trabalhos estão sendo realizados, o que estamos vendo é uma desmotivação muito grande dos agentes nas paróquias, todas tem esse mesmo desafio, mas nós somos perseverantes, continuaremos”, informa Cacilda Jacqueline Braga Ferreira, coordenadora da Pastoral na Região.

Segundo ela, a expectativa é que no próximo ano, até mesmo inspirados no ano arquidiocesano da família, a pastoral desenvolva mais ações, como se dispor a visitar e conhecer as famílias.

Para Maria Aparecida Rita de Cássia Vitorino Coelho dos Santos, da Paróquia São Gonçalo, em Amarantina, o encontro foi um bom modo de fechar o ano. “O diácono Róbson falou iluminado pela Carta de São Paulo aos Romanos, de uma maneira muito forte pra nós casais. Faz a gente refletir nosso relacionamento porque se nós não estivermos bem enquanto casal, como nós vamos servir? Foi muito proveitoso”, ressalta.

Maria Aparecida e seu marido, Adão Luiz dos Santos, são um dos casais coordenadores da paróquia de Amarantina e relatam como foram os trabalhos neste ano. “Nós somos poucos casais, mas conseguimos fazer o casamento comunitário, encontro de família jovem, acolhimento de noivos, adoração nas comunidades e a semana da família foi bem proveitos”, diz Maria Aparecida.

Há dois anos, uma das novidades trazidas pela pastoral para a Paróquia foi a “Festa da Vovó”, realizada próximo a data de Sant’Ana. “Fazemos a festa junina, a oração de Santa’Ana, ano passado fizemos desfile da vovó mais elegante, foi bem gostoso com a participação do grupo de jovens e da catequese. O que tem funcionado melhor é quando a gente consegue a parceria de outra pastoral”, explica.

 

Jovens

A Pastoral da Juventude da Região Norte também se reuniu no Centro Pastoral para preparar a Assembleia do próximo ano, programada para ocorrer de 29 de a 1 de março, na Paróquia Nossa Senhora da Glória, em Passagem de Mariana. “Deliberamos algumas coisas para essa assembleia, equipes, frentes de trabalho e conversamos sobre como será estruturada”, expõe a coordenadora regional, Ana Amélia Vieira.

Na Paróquia Santa Efigênia, de Ouro Preto, o ano da Juventude foi bem vivido. “Foi ano que a gente teve mais apoio da paróquia com atividades da juventude. Alem do auto de natal, a gente fez a semana de juventudes, que participou a Pastoral da Juventude, Renovação Carismática, Encontro de Jovens com Cristo”, diz Vitor Aparecido Apolinário, membro da coordenação paroquial da PJ.

Agenda