domingo

, 14 de abril de 2024

Cônego Agostinho é sepultado em Ouro Preto

20 de fevereiro de 2024 Arquidiocese

Centenas de pessoas se reuniram ao longo deste fim de semana, nos dias 17 e 18 de fevereiro, na Igreja Matriz de Cristo Rei, em Ouro Preto (MG), para se despedirem do Cônego Agostinho de Lourdes Coimbra Oliveira. O sacerdote, que era o mais idoso da Arquidiocese de Mariana, faleceu na madruga de sábado, dia 17, aos 103 anos de vida e 79 anos de ministério sacerdotal.

Os ritos fúnebres começaram às 12h de sábado, quando iniciou o velório e foi celebrada a primeira missa. A celebração foi presidida pelo atual Pároco da Paróquia Cristo Rei, Padre Wesley Pires dos Santos, comunidade de fé que Cônego Agostinho foi o primeiro pároco e atuou por 31 anos.

Ao longo do sábado, outras duas missas de exéquias foram realizadas. Já à noite, foi realizada a vigília de oração, coordenada pelos leigos e leigas de diversos movimentos e pastorais das paróquias da cidade. Esse foi um momento de agradecer e louvar a Deus pelo legado de fé que Cônego Agostinho deixou.

No domingo, dia 18, também foram rezadas três missas, sendo a última, das 15h, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Mariana, Dom Airton José dos Santos. Durante os dois dias de velório, muitas pessoas foram até a igreja deixar o seu abraço fraterno aos familiares, prestando-os solidariedade. Também estiveram presentes muitos padres, de todas as regiões, diáconos, seminaristas, familiares, leigos (as) e amigos.

Em todas as homilias foi enfocada a missão evangelizadora do Cônego Agostinho, realizada com muita alegria, amor, acolhida e preocupação com todas as pessoas. Também foi lembrado o gosto e o dom para a música, regendo o seu Coral Cristo Rei e a banda de música da antiga Escola Técnica.

Após a missa das 15h, aconteceu o rito de encomendação, conduzido por Dom Airton. Em seguida, o cortejo fúnebre seguiu até o Cemitério da Capela de São Miguel Arcanjo, local onde estão enterrados os seus pais e que ele também foi sepultado.

No cemitério, Dom Airton realizou os ritos finais e o corpo do Cônego, sob muitos aplausos de agradecimento e música, desceu a sepultura.

Forte foi a tristeza de todos por perder este considerado pai, amigo, exemplo de fé, mas confiantes que ele adormeceu na esperança da ressurreição.

Nas redes sociais da Paróquia Cristo Rei, a Pastoral da Comunicação (Pascom) divulgou alguns vídeos em que sacerdotes do clero marianense e o Arcebispo Metropolitano, Dom Airton José dos Santos, falam sobre o Cônego Agostinho. Para assistir, acesse @cristoreiouropreto.

Texto: Com a colaboração de Maria Efigênia Ribeiro dos Santos

Fotos: Pastoral da Comunicação da Paróquia Cristo Rei

Agenda