terça-feira

, 23 de abril de 2024

Conheça a trajetória de Dom Geraldo Lyrio Rocha

26 de julho de 2023 Arquidiocese

Segundo filho de Crysantho de Jesus Rocha e Leovegilda Lyrio Rocha, Dom Geraldo Lyrio Rocha nasceu em Fundão (ES), aos 14 de março de 1942. Os seus irmãos são: Ronaldo, Rosa Maria, José Carlos e Luciano. Foi batizado aos 27 de setembro de 1942 pelo Pe. Luiz Gonzaga Parenzi. Iniciou os estudos, em sua terra natal, no então Grupo Escolar Ernesto Nascimento, onde fez o curso primário.

Iniciou o primário no Grupo Escolar Ernesto Nascimento em Fundão (ES). Ingressou no Seminário Nossa Senhora da Penha, em Vitória (ES), em 1954, onde realizou o Curso Colegial, tendo sido aluno do Colégio Salesiano.

Em 1960, matriculou-se no Seminário Provincial do Coração Eucarístico de Jesus, em Belo Horizonte (MG), onde cursou Filosofia. Obteve a Licenciatura em Filosofia na Faculdade Dom Bosco – São João del Rei (MG).

Em 1963 seguiu para Roma, onde se tornou mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade de Santo Tomás de Aquino, ainda cursou Teologia, na Pontifícia Universidade Gregoriana e Especialização em Liturgia pelo Pontifício Instituto Santo Anselmo.

Em 15 de agosto de 1967 foi ordenado presbítero em sua terra natal, Fundão (ES).

Trajetória episcopal

Dom Geraldo Lyrio Rocha foi nomeado arcebispo metropolitano de Mariana, pelo Papa Bento XVI, aos 11 de abril de 2007, tendo tomado posse da Arquidiocese aos 23 de junho de 2007. Adotou como lema episcopal: “Opus Fac Evangelistae” – Faze a obra de um evangelista.

A trajetória episcopal de Dom Geraldo começou na Arquidiocese de Vitória (ES), onde foi Bispo-Auxiliar (1984-1990). Também foi bispo de Colatina (ES), de 1990 a 2002, e arcebispo de Vitória da Conquista (BA), entre 2002 e 2007. Atuou em Mariana de 2007 a 2018.

Além da presidência da CNBB (2007 a 2011), Dom Geraldo foi responsável pela Liturgia, membro do Conselho Econômico e do Conselho Permanente. Ainda, fez parte da Comissão Episcopal para a Tradução dos Textos Litúrgicos (Cetel) e da Comissão Especial para a Causa dos Santos.

No Conselho Episcopal Latino Americano (Celam), foi membro do Departamento de Liturgia em duas ocasiões (1987-1991 e 1995-1999) e presidente deste mesmo organismo, entre 1999 e 2003. Foi segundo vice-presidente do Conselho e delegado da CNBB junto ao colegiado latino-americano (2011-2015).

Também foi delegado da CNBB à Conferência de Santo Domingo (1992); membro ex-officio da Conferência de Aparecida (2007). Dom Geraldo ainda foi eleito pela CNBB para os Sínodos: para a América (1997), sobre a Eucaristia (2005), sobre a Palavra de Deus (2008), sobre a Nova Evangelização (2012) e sobre a Família (2015). Em julho de 2023, foi aprovado pelo Papa Francisco para participar da sessão do Sínodo sobre a Sinodalidade (2021-2024). Foi membro da Pontifícia Comissão para a América Latina (2009-2014).

Em 25 de abril de 2018, após ter completado 75 anos, teve o seu pedido de renúncia aceito pelo Papa Francisco, tornando-se Arcebispo Emérito.

Sepultamento

Dom Geraldo faleceu na madrugada desta quarta-feira, 26 de julho, em Altamira (PA). O seu sepultamento será em Mariana (MG), no sábado, 29 de julho.

*Informações da Arquidiocese de Mariana e CNBB

Agenda