sexta-feira

, 12 de abril de 2024

Coro e Orquestra Dom Oscar executará motetos das Dores durante Procissão da Soledade, em Ouro Preto

16 de março de 2023 Arquidiocese

Desde o século XVIII, as práticas devocionais no período quaresmal na cidade de Ouro Preto, assim como, nas diversas cidades históricas de Minas Gerais e do Brasil, trazem consigo, o caráter penitencial e dramático do barroco, com cerimônias riquíssimas em orações, detalhes, músicas e ornamentos que as fazem dignas de elevar os cristãos ao Divino e fortalecer também a cultura e tradição desses lugares.

Em Ouro Preto, além das vias sacras externas da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, no Antônio Dias, do tradicional Setenário das Dores, realizado nas sete sextas-feiras que antecedem a Semana Santa na Paróquia Nossa Senhora do Pilar, e das diversas procissões que se fazem presentes na vasta programação da Semana Santa, voltamos a atenção para a Procissão da Soledade de Nossa Senhora. O termo soledade, significa “solidão” e, relembra toda a tristeza que padeceu Maria Santíssima, estando sem seu Filho, nem vivo e nem mesmo morto. Na ocasião, a Imagem da Virgem Dolorosa, sai pelas ruas percorrendo os Passos da Paixão, onde são cantados os chamados “motetos das Dores”, passagens bíblicas em latim que rememoram as dores de Maria durante a Paixão de Cristo.

Dados históricos, revelam que em Ouro Preto, essa procissão não ocorria no meio da Semana Santa, como acontece atualmente, mas sim, junto ao depósito, no último dia do Setenário das Dores, dia em que é celebrada a sétima dor, da Soledade. Assim, a imagem da Virgem das Dores, trajada de veste roxa, com manto azul, uma espada cravada no seu terno coração, trazendo às mãos um lenço para as lágrimas derramadas, era conduzida pelo povo às ruas, da Matriz do Pilar até a Capela de Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia (Mercês de cima).

No fim do ano de 2018, foram realizadas pesquisas a fim de saber mais sobre a prática, que por mais de cem anos, ficou sem ser realizada da forma correta. Assim, foram encontrados registros em jornais disponibilizados pelo Arquivo Público Mineiro, além de textos que relatam a cerimônia. Já no ano de 2019, o Coro e Orquestra Dom Oscar de Oliveira, com o apoio da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, se empenhou em organizar, estudar e executar os motetos das Dores, para que tal tradição fosse resgatada e voltasse a ser revivida e celebrada na cidade.

Após o período da pandemia da Covid-19, foram retomadas as celebrações externas, com participação de todo povo da cidade, de turistas e visitantes. Porém, os organizadores da Semana Santa do ano de 2022, e outros mais, afirmando que nunca existiu tal prática (que pode ser confirmada consultando os arquivos) optaram por não realizar a celebração que havia sido resgatada.

Neste ano, com a organização da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, a Procissão da Soledade voltará a percorrer os Passos da Paixão, como relatado nos antigos registros, e será novamente acompanhada pelo Coro e Orquestra Dom Oscar, que executará sete motetos que fazem parte de um rico repertório sacro dos séculos XVIII e XIX. A procissão sairá às ruas na Terça-Feira Santa, dia 04 de abril.

Fique por dentro da programação que em breve será divulgada e participe deste momento de fé, devoção e resgate da mais pura identidade religiosa e cultural de Ouro Preto.

Texto: Christian Dias

Foto da capa: Alexandre Martins

Agenda