quinta-feira

, 30 de maio de 2024

Dia Internacional dos Museus: conheça o Museu Arquidiocesano de Arte Sacra

18 de maio de 2023 Arquidiocese

Nesta quinta-feira, 18 de maio, recorda-se o Dia Internacional dos Museus. Em Mariana (MG), berço da religiosidade, arte e cultura mineira, está localizado o Museu Arquidiocesano de Arte Sacra. Com um acervo reúne cerca de três mil peças, incluindo, obras do Mestre Aleijadinho, Mestre Ataíde, Francisco Xavier de Brito e Francisco Vieira Serva, a instituição celebrou, em 2022, 60 anos de sua criação.

Confira a matéria especial publicada na edição nº 326 do Jornal Pastoral:

Uma viagem no tempo por meio da fé e da arte. Uma imersão na beleza e na cultura. Um convite para conhecer a história da Arquidiocese de Mariana e seu bispado. Há 60 anos, nascia o Museu Arquidiocesano de Arte Sacra, um acervo histórico e artístico riquíssimo que reúne cerca de três mil peças.

Localizado na Rua Frei Durão, nº 49, no Centro Histórico de Mariana (MG), o Museu alimenta o interesse pela arte e a religiosidade mineira em cada um dos presentes. Com trabalhos de cantaria, o prédio é uma construção rococó, datada do final do século XVIII e início do XIX, confiada ao Mestre José Pereira Arouca, para ser a sede do Cabido da Sé. Ainda, no vão central do segundo piso, mais uma surpresa que não pode passar despercebida: o medalhão de Nossa Senhora da Conceição, padroeira do Cabido, esculpido em pedra-sabão.

Posteriormente, ao longo dos anos, o local foi também sede da Cúria Metropolitana e o Arquivo Eclesiástico de Mariana, até ser criado como o Museu Arquidiocesano de Arte Sacra. Inaugurado em 22 de setembro de 1962, o acervo surgiu por iniciativa do terceiro Arcebispo Metropolitano de Mariana, Dom Oscar de Oliveira, que estava preocupado o destino das obras de artes e peças sacras que pertenciam às paróquias da Arquidiocese, e que não eram mais utilizadas pelas comunidades, devido aos roubos e vendas de objetos devocionais.

Reunindo objetos de todos os cantos da Arquidiocese de Mariana advindos de igrejas, capelas, seminários e o palácio episcopal, além de doações, as obras do Museu são classificadas e separadas por sua categorias técnicas: objetos de culto (prataria e ourivesaria), esculturas, pinturas, indumentárias e vestes litúrgicas, mobiliário e objetos de cerimônias religiosas (pias batismais e trono pontifical). 

Foto: Thalia Gonçalves

Feitas por diversos artistas e em períodos diferentes, o local também guarda obras de nomes importantes do Barroco Mineiro como Antônio Francisco Lisboa, o Mestre Aleijadinho; Manuel da Costa Ataíde, o Mestre Ataíde; Francisco Xavier de Brito e Francisco Vieira Serva. Além disso, há uma sala dedicada exclusivamente à galeria aos bispos que estiveram à frente desta Igreja Particular.

Destacando a importância do Museu de Arte Sacra para a história de Minas Gerais e do Brasil, a Museóloga Fabiana Martins Souza ainda pontua uma característica específica da instituição: o uso dos objetos expostos em algumas festas religiosas. “Seu acervo é riquíssimo, com coleções do início do período de nossa Arquidiocese, obras que fazem parte da devoção dos fiéis e que durante as festividades das Paróquias são utilizadas pelas Comunidades. Com isso, o Museu além de guardar os bens patrimoniais, permite que suas obras continuem tendo sua função litúrgica dentro da Arquidiocese”, afirma.

Para Fabiana, celebrar os 60 anos de criação do Museu Arquidiocesano de Arte Sacra é motivo de alegria, especialmente, porque durante todos esses anos, “buscou preservar a memória e a cultura, propondo sempre ser uma instituição dinâmica, participante da vida cultural da comunidade e guardando com afinco nosso patrimônio e nossa história”, declara.

Encanto para quem vê

Galeria dos Bispos. Foto: Thalia Gonçalves

Vindos de Itajaí (SC), o casal Maria de Fátima e Carlos Augusto visitaram o Museu Arquidiocesano de Arte Sacra e se encantaram pelas obras vistas. Segundo eles, apesar de já terem visitados diversos lugares e países, inclusive o Museu do Vaticano, essa foi a primeira vez que estiveram em um Museu de Arte Sacra no Brasil. 

“Para mim, é muito lindo porque resgata toda a história antiga religiosa. Eu acho muito importante isto: os santos, os quadros, a mobília [se referindo às obras da instituição]. Tudo que é resgatado e cuidado é super bem-vindo. Vale a pena visitar”, salienta Maria de Fátima que complementa: “Isso me leva a mergulhar no meu passado, nos meus avós, nos meus pais que eram católicos. É muito bonito o Museu”.

Como visitar?

O Museu Arquidiocesano de Arte Sacra fica aberto à visitação de terça a sábado, das 8h30 às 17h. Aos domingos e feriados das 8h30 às 14h. Horário sujeito a alterações. O valor da entrada é R$ 5,00, sendo que estudantes e idosos acima de 60 anos pagam meia entrada. Para moradores de Mariana e seus distritos, a entrada é gratuita.

Texto e fotos: Thalia Gonçalves para Jornal Pastoral