sexta-feira

, 23 de fevereiro de 2024

Doce Devoção

10 de fevereiro de 2024 Arquidiocese

Michele Ferrero, o renomado empresário italiano nascido em 1924, possuía um fascinante “segredo” para o sucesso de sua marca de chocolates, com vendas anuais que superavam 10 bilhões de dólares. Devoto de Nossa Senhora de Lourdes, ele atribuía sua prosperidade à intercessão da Virgem Maria. À frente de cerca de 20 fábricas, Ferrero, dono da marca que leva seu sobrenome, faleceu em 2015 aos 89 anos.

Em 1996, ao celebrar os 50 anos de sua empresa, responsável por produtos icônicos como Nutella e Kinder Ovo, Ferrero expressou sua gratidão à Virgem Maria, afirmando: “Sem ela, não podemos ir muito longe”. Suas ligações com Lourdes eram profundas, frequentando o local anualmente e organizando peregrinações para seus funcionários. Os irresistíveis bombons de chocolate e avelã receberam o nome em homenagem a Lourdes.

Após a morte de Michele, em 2015, seu filho Giovanni assumiu a liderança da empresa, abandonando sua carreira de escritor para garantir a continuidade da companhia, que emprega cerca de 36 mil pessoas globalmente. Uma particularidade notável era a ausência de greves nas fábricas italianas de Ferrero, reflexo do respeito e confiança estabelecidos entre o empresário e seus funcionários. Michele almejava que sua empresa fosse como uma família, recusando-se a listá-la na bolsa de valores.

Em 1983, ele instituiu a “Fundação Piera, Pietro e Giovanni Ferrero”, dedicada ao bem-estar dos funcionários, ex-funcionários e do público em geral. A fundação oferecia benefícios médicos e sociais, além de promover iniciativas educacionais e culturais, incluindo arte, ciência, história e literatura.

Após explorar as alturas da história de Michele Ferrero, fazemos uma escala técnica em Lourdes, França, onde surge a marcante aparição mariana. Em seguida, embarcamos em uma jornada para Viçosa, Minas Gerais, desbravando o infinito celeste desta Doce Devoção.

Em Lourdes, a jovem Bernadette Soubirous, em 1858, testemunhou aparições da Virgem Maria, marcando o início de um importante centro de peregrinação católica. A representação iconográfica de Nossa Senhora de Lourdes é detalhada, destacando sua influência na fé católica.

A “Aeronave Doce Devoção” pousa com segurança em Viçosa, onde o saudoso Padre Carlos dos Reis Baêta Braga deixou um legado notável, especialmente, por meio do Projeto Social e Comunitário do Bairro de Lourdes. Esse projeto, sob a proteção da Santíssima Virgem Maria, homenageia a aparição “Rocher de Massabielle” em Lourdes.

A conexão entre Ferrero Rocher e Lourdes é revelada durante o voo. Os chocolates, inspirados na gruta Rocher de Massabielle, têm uma ligação profunda e pouco conhecida com as aparições de Nossa Senhora. Michele Ferrero, fundador da marca, escolheu esse nome em francês para representar a gruta.

Famoso globalmente, o chocolate Ferrero Rocher, inspirado em 1858, possui uma embalagem dourada que esconde um bombom irresistível. Ao contrário da inspiração de Willy Wonka, a verdadeira musa por trás dessas delícias era a Virgem Maria, enfatizada por Ferrero durante a celebração do 50º aniversário de sua empresa.

Ao tocar o solo, a história revela que Ferrero, como terceiro maior produtor de chocolate mundial, tinha muito a agradecer. O legado inclui doces como Ferrero Rocher, Nutella, Kinder e Tic Tacs, que geraram mais de 10 bilhões de dólares em 2016. A peregrinação anual de Ferrero a Lourdes e suas doações à recuperação do santuário demonstram sua forte devoção à Virgem Maria.

A história culmina no reconhecimento de Nossa Senhora de Lourdes como a Padroeira dos doentes, encerrando a viagem nesta “Doce Devoção”. O Padre Mauricio Elias, do Santuário de Lourdes, destaca o profundo envolvimento de Ferrero na devoção, confirmando que seus filhos cumpriram sua promessa de ajuda ao santuário após sua morte.

Padre Paulo Dionê Quintão
Pároco de Santa Rita de Cássia, em Viçosa – MG

Foto: Cathopic

Agenda