sábado

, 25 de maio de 2024

Em entrevista, padre Luiz Roberto fala sobre o ano da Família Amoris Laetitia

12 de agosto de 2021 Arquidiocese

Durante a segunda semana de agosto, durante a programação do mês vocacional, a Igreja no Brasil celebra a Semana Nacional da Família. Neste ano, em sintonia com o Ano da Família Amoris Laetitia, convocado pelo Papa Francisco, o tema que ilumina as reflexões é “Alegria do amor na família” e o lema “Dá e recebe, e alegre a ti mesmo” (Sir 14,16). A iniciativa do pontífice, que teve início em 19 de março de 2021, recorda os cinco anos da publicação da Exortação Apostólica “Amoris Laetitia”.

Por essa razão, o Departamento Arquidiocesano de Comunicação (Dacom), compartilha a entrevista realizada com o Assessor Arquidiocesano da Pastoral Familiar, padre Luiz Roberto de Souza, mais conhecido como padre Beto, na edição de junho do Jornal Pastoral.

Padre Beto é pároco da Paróquia de Nossa
Senhora Aparecida, em Mariana (MG), e Assessor Arquidiocesano da Pastoral Familiar. Foto: Arquivo Pessoal

Jornal Pastoral: Como tem sido a atuação da Pastoral Familiar na Arquidiocese de Mariana durante a pandemia de Covid-19? Quais são os principais desafios?

Pe Beto: Mesmo diante deste momento que nós estamos vivendo, enfrentando esta pandemia, a Pastoral Familiar tem sido muito dinâmica, procurando manter este laço com seus membros e as famílias. Existe um grande envolvimento no que diz respeito à organização da Pastoral Familiar nos regionais e foranias de nossa Arquidiocese. A cada mês, nós temos um encontro virtual com a equipe de coordenação arquidiocesana para avaliarmos e programarmos os trabalhos a serem realizados. Ressalto que, nos últimos meses, tivemos a oportunidade de também nos encontrarmos virtualmente com todas as foranias de nossa Arquidiocese, isto é um ponto muito positivo para que o diálogo e a participação de todos seja verdadeiramente concreta. Sobre os desafios que nós, enquanto pastoral, encontramos, é sem dúvida, a falta de nos reunirmos presencialmente. Isto, com certeza, não só a Pastoral Familiar, mas todas as outras pastorais sentem esta necessidade de estarem juntas. Em busca de um bem maior, a defesa da vida, através dos cuidados devidos por causa desta pandemia, temos a consciência de que se faz necessário este “sacrifício”. Contudo, estamos procurando manter os laços de fraternidade e amizade e na medida do possível, dar sequência aos trabalhos que já estavam programados.

Jornal Pastoral: Em 19 de março de 2021, a Igreja comemorou cinco anos da publicação da Exortação Apostólica “Amoris Laetitia”. O que é uma exortação?

Pe. Beto: A palavra exortação quer dizer “dar estímulos, incentivo, fazer com que alguém pense ou se comporte de determinada maneira; persuadir ou aconselhar”. Podemos dizer que os ensinamentos de uma exortação são uma ajuda mútua, ou seja, dar um outro olhar. Sem dúvida a Exortação pós-sinodal sobre a família traz um novo olhar para aquela que é a célula da sociedade. O Papa Francisco foi muito feliz nos oito capítulos da Amoris Laetitia.

Jornal Pastoral: No ano passado, a Arquidiocese de Mariana celebrou o ano da família e neste ano, também em 19 de março, o Papa Francisco inaugurou o Ano “Família Amoris Laetitia”. Qual é a importância de celebrarmos esse evento e como as famílias podem vivenciá-lo neste tempo de pandemia?

Pe. Beto: A importância deste evento é mais uma motivação para as nossas famílias. Sabemos que a família é o alicerce e a base de toda a nossa sociedade. A família é o santuário da vida. Creio que houve uma aproximação muito grande das nossas famílias neste tempo de pandemia. Alguns valores estão sendo resgatados. A oração em família, a ideia da família como Igreja Doméstica, etc. Tínhamos muitos projetos para serem vivenciados em nossa Arquidiocese no ano da família e, agora, com essa inauguração, creio eu que é uma continuidade de todos os trabalhos que estão sendo desenvolvidos. Ainda estamos um pouco impedidos de nos reorganizar ou de fazer qualquer evento por este momento, já que não podemos nos encontrar presencialmente. Mas, mesmo diante dos encontros virtuais, a Pastoral Familiar está se organizando para este ano em que o Papa inaugura o Ano da Família.

Jornal Pastoral: Qual é a mensagem da Pastoral Familiar às famílias neste Ano da Família Amoris Laetitia, especialmente considerando o contexto desafiador causado pela pandemia?

Pe. Beto: A mensagem que deixo para todas as famílias é que em meio as incertezas desta pandemia possamos manter a esperança, a fé, o cuidado para com o outro, caminhando sempre mais na direção de Deus que nos reúne como verdadeira família e que entre nós ninguém se sinta excluído. É sempre bom lembrarmos o que nos dizia nosso estimado Arcebispo Emérito, Dom Geraldo Lyrio Rocha: “tudo que fizermos para as famílias ainda é pouco”. Dessa forma, façamos com que nossas ações, mesmo que minimizadas pela pandemia, sejam para nossas famílias sinais vivos de Deus em meio a este mundo.

Veja também:

Semana Nacional da Família: conheça o tema e veja a programação das paróquias