quinta-feira

, 18 de agosto de 2022

Encontro Nacional reúne jornalistas das arquidioceses e regionais para debater Guia de Comunicação Integrada

20 de março de 2018 Arquidiocese

Jornalistas que atuam em arquidioceses, regionais, pastorais e organismos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), entre elas a arquidiocese de Mariana e o Regional Leste 2, estiveram reunidos, de 16 a 18 de março, na Casa de Retiros Assunção, em Brasília (DF), para estudar o Guia de Comunicação Integrada da CNBB e debater o tema “Comunicação integrada na Igreja”

Segundo o assessor da CNBB, padre Rafael Vieira, a proposta deste guia já vem sendo debatida por outros assessores. “Antes de tudo, é preciso lembrar que não se está inventando coisa alguma. Há um longo percurso feito pelas equipes que tiveram a responsabilidade de fazer a gestão da Assessoria de Imprensa da CNBB em relação a formatação de um texto de referência para ajudar os profissionais de comunicação que trabalham para a Igreja na elaboração de conteúdos. Por vários anos se teve como propósito a redação de uma espécie de ‘Manual de Redação’ como fazem os grandes veículos de comunicação no Brasil. Depois, com a evolução do modo de produzir conteúdo e da chegada das novas tecnologias, pensou-se em um trabalho mais abrangente. A equipe atual da Assessoria da sede da CNBB, então, resolveu dar início a um processo de elaboração de um ‘Guia de Comunicação Integrada’, que foi estudado no encontro”, explica.

Para auxiliar os trabalhos, um texto base foi elaborado e enviado aos presidentes dos regionais da CNBB e das arquidioceses do Brasil, além de algumas dioceses que têm o trabalho de assessoria prestado por jornalistas. Este material foi acompanhado por uma carta assinada pelo secretário-geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, na qual ele explica o propósito do material e como se desenrolaria o processo. Os responsáveis pelas assessorias tiveram toda a liberdade de corrigir, acrescentar e suprimir o material e encaminhar as sugestões para assessoria da CNBB. Durante o Encontro Nacional dos Jornalistas, os profissionais, juntamente com a equipe da CNBB, tiveram a oportunidade de estudar e aprofundar o debate sobre o texto.

Para padre Rafael o trabalho realizado com o material foi muito positivo. “Todos demostraram grande disposição de colaborar. Claro que se colabora fazendo crítica, a crítica nunca é dispensável, a propostas do texto é uma proposta modesta. Era uma tentativa de achar um caminho e, por isso, eu considero muito valiosa a participação de cada um neste encontro. E ela se efetivou. Todos colaboraram. Os grupos foram muito produtivos. Os ajustes realizados no texto foram importantes”, ressalta.

Agora, as sugestões e modificações serão incorporadas no texto e a versão final será enviada para os assessores de todo o Brasil realizarem uma revisão. Depois de ser aprovado, o material vai ser ofertado para todas as pessoas e instituições que fazem comunicação na Igreja.

O encontro

O encontro reuniu mais de 60 profissionais e contou com a presença de Dom Leonardo Steiner e assessoria de Paulo Rocha, da Agência Ecclesia de Portugal, que debateu com os participantes sobre “O fato religioso como notícia” e apresentou o funcionamento da agência portuguesa.

Para Ana Paula da Arquidiocese de Manaus (AM) o encontro foi muito produtivo. “É importante a assessoria da CNBB nos chamar para contribuir com o guia de comunicação. Além dos temas atuais que foram trabalhados e que nos ajudam no serviço que realizamos em nossas arquidioceses, dioceses, Pascoms e regionais. Acredito que a troca de experiências também foi de grande valia. E o encontro com os demais comunicadores nos faz sentir mais Igreja, mais integrados, não apenas comunicadores mas irmãos que partilham de desafios e conquistas”, disse.

Jornada Moreira, da arquidiocese de Uberaba (MG), afirma que o encontro foi um momento muito produtivo, de enriquecimento pessoal e profissional. “Poder ouvir as palavras do Paulo Rocha, diretor da agência de notícias Ecclesia, foi excelente. A fala do padre RafaelVieira, assessor de Imprensa da CNBB, também somou muito a todo o aprendizado. Além de toda essa parte formativa, de absorção de conhecimento, foi muito bom colocar “a mão na massa” e contribuir para a construção do Guia de Comunicação para as assessorias de comunicação da Igreja no Brasil. Sem contar a troca de experiências entre nós, assessores das (Arqui)dioceses do Brasil, que é sempre muito satisfatória”, relata.

Agenda