terça-feira

, 09 de agosto de 2022

Faculdade Dom Luciano recebe Filósofo Paul Gilbert para conferência

09 de outubro de 2019 Arquidiocese

A Faculdade Dom Luciano Mendes recebeu o professor emérito da Universidade Gregoriana de Roma, Paul Gilbert, S.J., na manhã da última segunda-feira (7), para a Conferência “Il corpo. Neurologia versus fenomenologia”. Em italiano, o padre jesuíta, que é doutor em Filosofia, apresentou aos alunos da Filosofia e Teologia uma explanação sobre o estudo do corpo nas ciências contemporâneas e na fenomenologia, que tem como método “a volta às coisas mesmas”.

O professor introduziu o assunto abordando a problemática do corpo ligado as neurociências, relacionadas hoje à biologia, à medicina, especialmente no que se refere às células estaminais. “Ele falou inclusive do próprio câncer, ressaltando que a Filosofia não minimiza o problema, mas a ciência, muitas vezes, sim, por exemplo, no que diz respeito à questão da própria morte”, explica o diretor acadêmico da Faculdade, padre Edvaldo Antônio de Melo.

Na apresentação, traduzida em um artigo para os alunos, o professor trabalhou as ideias dos autores Edmund Husserl, Michel Henry e Emmanuel Falque, ligados à tradição fenomenológica, dentre outros ligados às ciências contemporâneas.

Padre Edvaldo destaca três pontos da conferência: o ato de pensar, que é propriamente humano; a busca do porquê das coisas, e a responsabilidade humana. “A ciência busca as causas, por exemplo, as causas para o tratamento do câncer, mas quem, de fato, busca as razões das coisas é a Filosofia, com o exercício do pensar. A ciência nem sempre responsabiliza o homem diante da própria vida. A questão que o professor chamava atenção é justamente essa: a ciência deve estar a serviço da vida”, lembra o padre. No que diz respeito, por exemplo, às questões da bioética, padre Edvaldo cita como referência, Leocir Pessini, que “dizia que nem tudo que é tecnicamente possível é eticamente aceitável”, lembra.

Visita
O diretor acadêmico revela a alegria de receber o professor, que foi o seu orientador no mestrado e doutorado, e diz ver a vinda dele como um grande incentivo para os que passam pelo processo formativo. “O evento é muito importante pela experiência de vida dele ligada a Filosofia, também pelo testemunho dele como padre jesuíta, ligado também a nossa história, vários dos nossos padres, professores aqui, que foram pra Roma, tiveram aula com ele, foram orientados no mestrado, no próprio doutorado”, revela.

Paul Gilbert é pesquisador de áreas, como: Metafísica, Filosofia Medieval, Filosofia transcendental, Fenomenologia, Ética, Violência, Compaixão. A sua participação na conferência fez parte do convite do grupo de pesquisa “Por uma Filosofia da encarnação: o dizer do corpo”, coordenado por padre Edvaldo.
Pedro Henrique Santos Martins, do segundo ano de Filosofia, participante do grupo de pesquisa, vê a conferência como um grande momento para a Faculdade e a abordagem do tema pertinente para a área, principalmente diante de um mundo cada vez mais paradoxal. “Em nome de uma supervalorização do corpo, a gente tem por outro lado o detrimento do corpo, o que é o corpo, se é só uma matéria, se é uma constituição, se é espiritualidade, materialidade. Isso é uma discussão atual que nos leva a outras reflexões, inclusive sobre o próprio ser humano e o lugar dele no mundo, a sua dignidade e o valor que ele tem”, considera.

O seminarista Ihudison de Paula Coelho, do primeiro ano de Filosofia, afirma que a explanação acerca do corpo é engrandecedora tanto para docentes quanto discentes. “Nos ajuda a crescer. Nos ajuda muito a perceber quem somos, onde está situado nosso corpo, em qual situação nosso corpo vive, nesse meio moderno, e a como refletir o corpo hoje”, diz.

O seminarista Leonardo Sérgio Rosa Carvalho, do quarto ano de Teologia, reforça que as reflexões ajudam na compreensão integral da corporeidade humana, em que o corpo não é simplesmente um objeto que pode ser manipulado por si mesmo ou por outros. “Ele é constitutivo do homem, faz parte do seu ser, e é por ele que nos colocamos no mundo e em relação com os outros”, afirma.

Agenda