sexta-feira

, 19 de abril de 2024

Humildade, caridade e proximidade com o povo de Deus marcam os 10 anos do pontificado do Papa Francisco

13 de março de 2023 Arquidiocese

“Um homem próximo, um homem simples, um homem de Deus”. Essas foram as palavras ditas pelo Padre Thiago José Gomes, Pároco da Paróquia São José em Barra Longa (MG), para descrever o Papa Francisco, autoridade mor da Igreja Católica. Eleito há 10 anos, em 13 de março de 2013, após a renúncia do seu antecessor, ele é o primeiro Papa jesuíta e latino-americano.

Em 2013, durante a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro (RJ), o Padre Thiago teve a oportunidade, ou melhor, a felicidade, de servir como Diácono assistente do Santo Padre, na celebração da Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro. 

Ao observar as palavras e gestos da Sua Santidade, o sacerdote da Arquidiocese de Mariana relatou que ficou emocionado ao vislumbrar como o Papa Francisco enxergava com profundidade e proximidade a realidade das comunidades, sendo a palavra de Cristo, a palavra amiga, para todas as pessoas.

Padre Thiago com o Papa Francisco na missa da JMJ 2013. Foto: Arquivo Pessoal do Pe. Thiago

Padre Thiago com o Papa Francisco na missa da JMJ 2013. Foto: Arquivo Pessoal do Pe. Thiago

A humildade de Papa Francisco também está descrita no artigo de Carlos Moioli, da Arquidiocese do Rio de Janeiro, publicado no site Vatican News. Moioli ressalta que a característica simples e acolhedora é intrínseca ao Santo Padre, mas ficou, ainda mais, notória com o seu nome, que faz alusão a São Francisco de Assis.

“Foi o primeiro Papa a escolher o nome de Francisco. Ele mesmo explicou o motivo: ‘Na eleição, eu tinha ao meu lado o Arcebispo Emérito de São Paulo, um grande amigo (era Dom Cláudio Hummes, que receberam o cardinalato na mesma data, em 21 de fevereiro de 2001). Quando a coisa começou a ficar um pouco perigosa, ele começou a me tranquilizar. E quando os votos chegaram a 2/3, aconteceu o aplauso esperado, pois, afinal, havia sido eleito o Papa. Ele me abraçou, me beijou e disse: ‘Não se esqueça dos pobres’. Aquilo entrou na minha cabeça. Imediatamente lembrei de São Francisco de Assis’”, relembrou Moioli em seu artigo. 

De acordo com o Padre Thiago, em 2013, no primeiro dia de acolhida do Pontífice no Brasil, a autoridade-mor da Igreja Católica fez questão de estar próximo aos cristãos. 

“A partir da Catedral do Rio de Janeiro, ele foi percorrendo as ruas, logo, naquele início, eu pude perceber no carinho, na atenção do Papa Francisco, justamente, este desejo de encontrar com o povo de Deus”, apontou. 

Foto: Arquivo pessoal do Pe. Thiago.

Durante a sua homilia, na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, o Santo Padre enfatizou que ser sacerdote é estar em uma relação com Deus e com o seu povo. Foi, neste momento, que o Papa disse uma das grandes marcas do seu pontificado, para os sacerdotes e para toda a Igreja: “o Pastor deve ser aquele que deve sentir ter o cheiro das ovelhas”, lembrou de forma enfática o Padre José Gomes. 

Para ser breve e conseguir descrever de forma simples e carinhosa, o trabalho realizado pelo Papa Francisco, o Padre Thiago disse que, “ao longo deste pontificado podemos perceber, pelos seus escritos e ensinamentos, um homem preciso nas suas palavras, atencioso a cada pessoa, um homem de Deus, que para esse nosso tempo, é de fato uma grande bênção. Posso testemunhar, que é uma alegria ter o Papa Francisco”, destacou. 

Ouça o depoimento do Pe. Thiago na íntegra:

A Arquidiocese de Mariana celebra, com oração e muito carinho, os 10 anos do pontificado do Papa Francisco. Viva o Santo Padre. 

Agenda