sexta-feira

, 19 de agosto de 2022

Igreja e movimentos debatem sobre os 29 anos do SUS em Congonhas

05 de novembro de 2019 Arquidiocese

A Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Congonhas, na Região Pastoral Mariana Oeste, realizou na última quinta-feira (31) um debate sobre os 29 do Sistema Único de Saúde (SUS) e sua atual realidade. O debate que foi mediado pelo pároco, padre Paulo Barbosa, contou com a presença de lideranças de Congonhas e Conselheiro Lafaiete.

A psicóloga, Conceição, foi uma das pessoa que compôs a mesa. Em sua fala, ela fez uma abordagem histórica do SUS, mostrando a evolução no conceito e na prática de assistência a saúde, graças à participação do povo organizado. Segundo ela, “a assistência passa do favor e da caridade à Política de Seguridade Social, que inclui a previdência social, a saúde e a assistência social, consagrada no Art. 6º da Constituição Federal. Saúde vira direito de todos e dever do Estado”. 

A professora da UFMG, na área de medicina, Elaine Resende, também participou do encontro e afirmou que os governos neoliberais vêm burlando esses direitos conquistados, e consagrados na Carta Magna, através das chamadas PECs (Proposta de Emenda à Constituição). Segundo ela, a intenção é sucatear para privatizar. “Mas isso não seria da noite para o dia para não alarmar o povo. A proposta desses inimigos da Pátria é terceirizar, engolindo 30% dos parcos recursos do SUS. Ou seja, a intenção é transformar o que hoje é política pública em negócio lucrativo para grandes impérios econômicos”, disse.

O deputado federal, padre João, foi outro participante do debate e lembrou a drástica redução no orçamento da saúde no governo atual e afirmou que sem orçamento não existe política pública. “O povo está adoecendo mais, preocupado com o desemprego, atingido pelos venenos do alimento e pelos crimes das mineradoras e o orçamento está diminuindo. Isso é muito grave”, disse. 

Os participantes do debate avaliaram bem a atividade e propuseram agendamento de nova data para continuidade dos debates com presença de agentes diretamente ligados à gestão da saúde nos municípios.

Agenda