sexta-feira

, 23 de fevereiro de 2024

Lei que institui o Dia Nacional do Rosário é sancionada pela presidência do Brasil

07 de dezembro de 2023 Igreja no Brasil

O Dia Nacional do Rosário, a ser celebrado no dia 7 de outubro de cada ano, foi sancionado pelo presidente em execício da República, Geraldo Alckmin. O ato se deu após aprovação simbólica da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. A notícia foi divulgada no Diário Oficial nesta quarta-feira, 6 de dezembro.

A data, em que os católicos passam a ser convocados a rezar ao meio-dia o Terço em âmbito nacional, é a mesma na qual a Igreja celebra Nossa Senhora do Rosário. São Domingos de Gusmão, fundador da Ordem dos Dominicanos, foi o grande propagador do Rosário no início do século XIII.

Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens pretos

No Brasil, a festa de Nossa Senhora do Rosário, a padroeira dos escravos do Brasil colonial, foi realizada pela primeira vez em Olinda (PE), no ano de 1645.

Mulher preta e vereadora de São Paulo, Luana Alves, em entrevista à Rádio Vaticano – Vatican News afirmou que as Irmandades de Nossa Senhora do Rosário dos Homens pretos, iniciadas no século XIX, eram e continuam sendo espaços para as comunidades negras dentro das igrejas, a fim de manifestarem a sua fé de forma segura. “É importante que todas as manifestações espirituais sejam valorizadas, pois vivemos em um país que garante a liberdade religiosa”.

Historicamente, segundo Alves, muitas Igrejas foram construídas por essas irmandades.  “Espero que a sanção da data comemorativa signifique também o resgate da história da espiritualidade do povo negro e de como esta espiritualidade e a organização social deste povo construiu e constrói muito do que temos hoje”, afirma.

Já o assessor nacional do Terço dos Homens, padre Vandemir Jozoé Meister afirmou para a Rádio Vaticano que sempre existiu na história da Igreja a devoção à oração do Rosário por parte dos homens. O movimento foi muito forte na época medieval. No Brasil, entre 1500 a 1600, os missionários organizavam os homens para rezar o Terço ao cair da tarde. Neste contexto surge, também o Rosário dos negros. “A novidade do terço dos homens, hoje, está na sua expansão pelas comunidades. Não é só rezar o Terço, há um ritual que é que torna interessante a participação no grupo.”, enfatiza.

O Movimento do Terço dos homens

Terço dos homens da Paróquia Bom Jesus do Monte, em Furquim (MG). Foto: Vitor Alves e Róbinson Anjos

Nos últimos anos tem crescido, significativamente, no Brasil, o movimento do Terço dos homens. Milton Gonçalves de Lima, o Miltinho, paulistano, coordenador do movimento do terço dos homens na região episcopal Belém, disse que “é uma realidade o aumento desta devoção entre os homens. A conversão de um homem arrasta a família inteira e tenho testemunhado isso. Sinto-me muito feliz por participar deste movimento”, disse.

Para o missionário e pároco do Santuário Sagrado Coração em Vila Formosa, São Paulo, padre Reuberson, “a instituição de uma data simbólica revela a importância que tem para o imaginário católico brasileiro, a devoção mariana, e sobretudo da oração do Rosário.  Espero que vá além da instrumentalização de símbolos religiosos”, ressaltou.

Texto: Rosa Martins – Vatican News

Fotos: Mariana Ferreira/Arquidiocese de Mariana

Agenda