sexta-feira

, 24 de maio de 2024

Matriz de Sant’Ana, em Guaraciaba, recebe exposição sobre seus 190 anos de construção

22 de agosto de 2023 Arquidiocese

A Igreja Matriz Sant’Ana, em Guaraciaba (MG), Região Mariana Leste, completou em 16 de agosto de 2023, 190 anos de ereção. Para marcar a comemoração deste tão importante monumento religioso e o Dia do Patrimônio Histórico, celebrado no último dia 17, uma parceria entre a paróquia e Prefeitura Municipal está realizando a exposição sobre os 190 anos do templo religioso.

Inaugurada no último dia 18, a mostra traz elementos históricos, artísticos e culturais da igreja e segue aberta à visitação da comunidade, no interior da Igreja Matriz, até o próximo dia 15 de setembro.

Divulgação.

Educação patrimonial

Já na tarde desta segunda-feira, 21 de agosto, a Pastoral Catequética da Matriz Sant’Ana, em parceria com a Secretaria de Cultura, Lazer e Turismo, promoveu uma ação de Educação Patrimonial com visita guiada à Exposição: “A casa de Sant’Ana também é nossa casa!” que retrata e faz alusão aos 190 anos de construção da Matriz.

Estiveram presentes aproximadamente 120 jovens catequisandos, que acompanharam a palestra conduzida Doutor em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Hudson Martins, com participação especial da escritora, Carmem Guimarães Lourenço, do Mestre em Filosofia, Ricardo Camelo, do pesquisador e colecionador de objetos históricos, Nilton de Aquino e do Secretário Municipal de Cultura, Edmalton Firmino.

Sobre a Matriz de Sant’Ana

Um dos marcos iniciais da ocupação do município, ainda nos tempos da exploração do ouro, e cartão postal da cidade de Guaraciaba, a Matriz Sant’Ana, bem tombado municipalmente pelo Decreto n° 226/2002, possui grande valor artístico, cultural e religioso, sendo símbolo da identidade cultural da nossa comunidade.

A maioria dos guaraciabenses tem parte da sua história ligada a Matriz Sant’Ana. Dessa maneira, não somente se destaca seu papel como palco de manifestações cristãs que sedia a Festa da Excelsa Padroeira Sant’Ana, mas também pelo seu caráter como patrimônio significativo, artístico, cultural, religiosa, documental, afetiva e esteticamente. Sua importância é construída não somente pela força da arte, da arquitetura da Igreja, mas se faz com participação ativa e consciente da comunidade que detém esse patrimônio como intuito de proteger, preservar e conservá-lo.

Texto e fotos: Diógia Nataele