sábado

, 20 de agosto de 2022

Missa será celebrada em memória aos 4 anos do rompimento da Barragem de Fundão

04 de novembro de 2019 Arquidiocese

Uma missa em memória aos quatro anos do rompimento da Barragem de Fundão será celebrada amanhã (5), no Santuário de Nossa Senhora do Carmo, em Mariana. O arcebispo de Mariana, Dom Airton José dos Santos, presidirá a celebração. Desde o dia 31, várias atividades em memória a aproximação da data estão sendo promovidas pela Cáritas Arquidiocesana e pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

“Nós entendemos como um ato de muita importância para os atingidos e atingidas, tendo em vista que a fé cristã tem nutrido a esperança em seus corações e os fortalecido na luta”, ressalta padre Alex Martins de Freitas, responsável da Arquidiocese em  acompanhar os atingidos. O padre, que também é pároco da paróquia a qual pertence uma das comunidades atingidas, Paracatu de Baixo, diz perceber que é justamente a celebração da fé que anima as pessoas a permanecerem na luta, reinvidicando os seus direitos e denunciando o crime do rompimento da barragem.

Ainda que possa vir a gerar dor, devido às lembranças dos fatos ocorridos nos últimos quatro anos, padres Alex reforça que a celebração eucarística gera esperança. “A missa celebrada com as comunidades atingidas mostra que Deus está presente no coração deles, que Deus não os abandonou, demonstra que a Igreja é solidária, que está do lado dos atingidos, que é mãe e quer acompanhar de perto com esse apoio espiritual, esse seu incentivo a permanecer de pé, reindicando os direitos”, reforça.

 

Atividades

Na noite desta segunda (4), o MAB promove o debate “A solidariedade constrói direitos”, iniciativa que propõe construir uma casa no município de Barra Longa, que será doada para uma família atingida. “Essa proposta é justamente para denunciar a negação de direitos e anunciar que a organização coletiva e um mutirão gera esperança e promove a vida e a dignidade, coisa que as empresas (Fundação Renova, Vale, BHP Billiton) não conseguem fazer”, explica padre Alex, referindo-se a demora no atendimento das necessidades dos atingidos, sobretudo em relação à moradia.

Um ato simbólico foi realizado pela Cáritas na tarde de hoje nos territórios atingidos pela lama e no Instituto de Ciências Sociais e Aplicadas da Universidade Federal de Ouro Preto. “Mariana: 4 anos Plantando a Resistência” foi o nome do evento, que trouxe à tona pautas sobre território, indenização, reassentamento e saúde.

 

Programação do dia 5 de novembro

Às 16h haverá a Marcha dos Atingidos, em Mariana, promovida pelo MAB Minas Gerais. Às 18h, haverá celebração em Barra Longa e às 18h30 em Mariana.

Agenda