terça-feira

, 23 de abril de 2024

Morre em Cachoeira Paulista (SP), o Monsenhor Jonas Abib, fundador da comunidade Canção Nova

13 de dezembro de 2022 Igreja no Brasil

A Comunidade Canção Nova comunicou o falecimento, na segunda-feira, (12), do seu fundador monsenhor Jonas Abib, aos 85 anos. O velório acontece nesta terça-feira, 13 de dezembro, e seguirá até quinta-feira, 15 de dezembro, na sede da Canção Nova em Cachoeira Paulista (SP).

O arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Azevedo de Oliveira, expressou suas condolências: “O monsenhor Jonas Abib é uma referência imorredoura de homem de Deus apaixonado por Jesus Cristo. Constituiu pela força de sua fé testemunhada uma rica herança no caminho missionário da Igreja, fonte de inspiração. Em comunhão de preces e amizade, nos unimos aos membros todos de  sua obra, iluminados pela certeza que ouviu de seu Redentor: “Servo bom e fiel, entra na alegria de teu Senhor”’.

“Feito tudo, para todos”

Monsenhor Jonas Abib. | Foto: Arquivo CN.

Natural de Elias Fausto (SP), monsenhor Jonas Abib é um dos religiosos que se destacou na ação evangelizadora da Igreja Católica no Brasil e na América Latina, utilizando os meios de comunicação social e a realização de grandes eventos de evangelização. Nasceu no dia 21 de dezembro de 1936. Foi ordenado sacerdote em 1964, com o lema: “Feito tudo, para todos”. Ele fundou a comunidade Canção Nova no dia 2 de fevereiro de 1978.

O bispo de Lorena (SP), dom Joaquim Wladimir Lopes Dias, diocese à qual o monsenhor Jonas Abib pertencia, divulgou uma nota na qual afirma que o monsenhor Jonas, já no início de sua vida religiosa, “encontrou nas palavras de dom Antônio Afonso de Miranda, à época bispo diocesano de Lorena, o desafio para a tarefa – colocar em prática a Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi: ‘é hora de evangelizar, comece no seu trabalho com os jovens. Faça alguma coisa!’”.

Desse desejo que pulsava em seu coração, monsenhor Jonas consolidou muitas iniciativas como os encontros no período do carnaval – os rebanhões – a evangelização pelos meios de comunicação, o rádio, a TV e hoje o Sistema Canção Nova de Comunicação. Em Cachoeira Paulista (SP), a Comunidade Canção Nova, se firmou como grande trabalho e polo irradiador do Evangelho, obtendo o reconhecimento pontifício em 2008 como “Associação Internacional Privada de Fiéis”.

O bispo auxiliar do Rio de Janeiro (RJ) e secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Joel Portella Amado, expressou seus sentimentos. “Em monsenhor Jonas sempre vi a garra, a coragem, a firmeza em anunciar o Evangelho, buscando testemunhar e transmitir a alegria de poder entoar um canto novo, uma canção nova ao Deus da vida. Que o monsenhor Jonas seja recebido nas alegrias eternas”, manifestou.

Biografia e legado

Natural de Elias Fausto (SP), monsenhor Jonas nasceu em 21 de dezembro de 1936. Aos 13 anos, entrou para o seminário salesiano, no Colégio São Manoel, em Lavrinhas (SP). Cursou Filosofia em Lorena (SP) e Teologia em São Paulo (SP), sendo ordenado sacerdote em 1964 com o lema “Feito tudo para todos”.

Um dos marcos em sua vida e ministério foi quando conheceu a Renovação Carismática Católica em 1971. Empenhado no trabalho com a juventude, fundou a Comunidade Canção Nova oito anos depois, em 1978. Um carisma cuja missão é a evangelização pelos meios de comunicação.

Em 2002, esteve com o então Papa João Paulo II. O encontro foi, para ele, a confirmação de sua missão na Canção Nova. Em 2004, foi a vez de Fátima, Portugal. Lá, ele consagrou ao Imaculado Coração de Maria todo o Sistema Canção Nova de Comunicação e também os membros e sócios desta obra.

Uma grande realização veio em 2004: a inauguração do Centro de Evangelização Dom João Hipólito de Moraes, um local para mais de 80 mil pessoas. Por ocasião da novidade, um grande evento que se tornou o maior da Comunidade: “Hosana Brasil”.

Já aos 70 anos de idade, a novidade foi a gravação do seu primeiro DVD musical, intitulado “Como é linda a nossa família”. A obra foi lançada no dia 2 de fevereiro de 2008, quando a Comunidade completou 30 anos, e apresenta algumas das melodias consagradas em sua caminhada na música católica.

Em outubro de 2007, um reconhecimento importante para seu ministério sacerdotal: o título de monsenhor. Foi concedido pelo Papa Bento XVI a pedido do bispo da diocese de Lorena (SP), dom Benedito Beni Santos.

No ano seguinte, um marco para a Comunidade Canção Nova: o reconhecimento pontifício do Vaticano. O reconhecimento definitivo veio em 2014, no dia 29 de junho. Com isso, a Canção Nova é considerada pela Santa Sé como uma “Associação de fiéis Internacional de Direito Pontifício”.

Outro grande momento na história do sacerdote foi quando, em janeiro de 2009, a Comunidade por ele fundada foi admitida oficialmente na Família Salesiana. Os salesianos são uma organização internacional de pessoas dedicadas, em tempo integral, ao serviço dos jovens, especialmente os mais pobres e necessitados.

Texto: CNBB

Agenda