quinta-feira

, 13 de junho de 2024

O Espírito nos dá a força para seguir em frente, chamar e acolher a todos, diz Papa Francisco

20 de maio de 2024 Igreja no Mundo

Neste Domingo de Pentecostes, 19 de maio, o Papa Francisco reuniu milhares de fiéis na Basílica de São Pedro para celebrar a Santa Missa. Após a celebração o Santo Padre foi à janela do apartamento pontifício para o tradicional encontro dominical. Milhares de fiéis, peregrinos e turistas de várias partes do mundo o aguardavam na Praça São Pedro.

Em sua reflexão, o Santo Padre afirmou que a ação do Espírito em nós é forte como os sinais do vento e fogo que aparecem na Bíblia, e sem essa força nunca conseguiríamos vencer os desejos da carne.

“A ação do Espírito em nós é forte como simbolizam os sinais do vento e do fogo, que aparecem na Bíblia, frequentemente, associados com a força de Deus (cf. Ex 19, 16-19). Sem essa força, nunca conseguiríamos vencer os desejos da carne de que fala São Paulo, vencer aqueles impulsos da alma, a impureza, a idolatria, as discórdias, as invejas, e com o Espírito se pode vencer, Ele nos dá a força para fazer porque Ele entra no nosso coração árido, duro e frio […] e cura tudo”, refletiu o Sumo Pontífice.

Confira a homilia completa.

Ouvindo o Espirito Santo

Durante a Regina Caeli o Papa destacou que o Espírito Santo, para nós, é testemunha de “um diálogo belíssimo: aquele em que o Pai e Filho expressam seu amor um pelo outro”, disse o Santo Padre antes de rezar o Regina Caeli no Domingo de Pentecostes.

“São palavras – explicou aos milhares de peregrinos presentes na Praça São Pedro – que expressam sentimentos maravilhosos, como carinho, gratidão, confiança, misericórdia. Palavras que nos permitem conhecer um lindo relacionamento, luminoso, concreto e duradouro como é o Amor eterno de Deus”.

Para o Santo Padre, “são precisamente as palavras transformadoras de amor, que o Espírito Santo repete em nós e que nos faz bem ouvir”.

“Por isso – continuou – é importante que nos alimentemos dele todos os dias, lendo e meditando a Palavra de Deus, levando-a conosco em um Evangelho de bolso, aproveitando os momentos favoráveis”.

“O padre e poeta Clemente Rebora, falando da sua conversão, escreveu no seu diário: “E a Palavra calou as minhas murmurações!” – recordou o Papa –. Ouvir a Palavra de Deus silencia as murmurações.”

“Eis como dar espaço em nós à voz do Espírito Santo – reiterou. E depois, na Adoração e na oração, especialmente aquela simples e silenciosa. E também ao pronunciarmos palavras boas entre nós, fazendo-nos eco da doce voz do Consolador”.

Para o Pontífice, “ler e meditar o Evangelho, rezar em silêncio, dizer boas palavras, não são coisas difíceis, todos nós podemos fazer isso. É mais fácil do que insultar, ficar com raiva”.

“E então nos perguntamos – acrescentou -: que lugar essas ações ocupam na minha vida? Mas como posso cultivá-la, para melhor escutar o Espírito Santo e torne-se seu eco para os outros?”.

“Que Maria, presente no Pentecostes com os Apóstolos, nos torne dóceis -à voz do Espírito Santo”, concluiu, para então rezar a oração do Regina Coeli.

Texto e foto: Vatican News