domingo

, 14 de agosto de 2022

“O mandamento novo do amor não é um sentimento, mas uma atitude”, afirmou Dom Airton durante a Santa Missa da Ceia do Senhor

02 de abril de 2021 Arquidiocese

“Nosso Senhor já havia dito, em outros trechos dos Evangelhos, que o maior dos mandamentos é este: ‘amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo como a si mesmo’. Na Quinta-Feira Santa, Ele fez acontecer esse mandamento. Quem diz que ama ao próximo é servidor; tem uma atitude de serviço, quer ver o bem do outro”, disse o Arcebispo Metropolitano de Mariana, Dom Airton José dos Santos, durante a homilia da celebração da Ceia do Senhor. A missa foi presidida, nesta quinta-feira (01), no Santuário de Nossa Senhora do Carmo, em Mariana (MG), e foi concelebrada pelo Cônego Nedson Pereira Assis e pelo padre Marcelo Moreira Santiago.

“Lavar os pés, quando Jesus se dirige a Pedro, não é apenas uma purificação do corpo, mas é um compromisso assumido: quem se coloca como servidor para lavar os pés, está se colocando a serviço daquelas pessoas, pensando em seu bem, em sua salvação e em seu compromisso com Deus. Por isso, o mandamento novo do amor não é um sentimento, mas uma atitude”, afirmou Dom Airton. Ainda, discorrendo sobre a liturgia do dia, o Arcebispo destacou que Nosso Senhor sabia que a traição de Judas estava para acontecer e, por essa razão, Jesus disse que nem todos estavam limpos.

“O maior gesto de amor de Jesus para com toda a humanidade foi a sua entrega na cruz e Ele antecipa isso na Santa Ceia quando, tomando o pão e o vinho, diz: ‘eis, o meu corpo; eis, o cálice do meu sangue’”, pontuou o pastor desta Igreja Particular, convidando-nos a seguir o exemplo de São Paulo que, mesmo sem ter conhecido Jesus, transmitia os seus ensinamentos. “É o que nós devemos fazer hoje: nós também não vimos Jesus, não convivemos com Ele fisicamente, mas nós recebemos, e o que recebemos devemos transmitir”, ressaltou.

Instituição da Eucaristia

 

A Santa Missa da Quinta-Feira Santa abre o Tríduo Pascal e ao recordar a última Ceia, quando Jesus ofereceu ao Pai o Seu Corpo e Sangue sob as espécies do Pão e do Vinho, celebra também a instituição da Eucaristia. “A Eucaristia para nós não é um simbolismo, é a presença de Cristo”, afirmou o Arcebispo ao explicar que, por esse motivo, se guarda a reserva eucarística no sacrário.

“Por isso, sempre temos que pedir a Deus para que Ele fortaleça a nossa fé: para vermos a realidade que não se pode enxergar e para compreendermos o ensinamento de Cristo onde nós, seres humanos, nem sempre conseguimos chegar à compreensão”, completou Dom Airton destacando que, para chegar até a Eucaristia, nós devemos ser sinal de Cristo.

Instituição do sacerdócio 

“O sacerdócio do Novo Testamento não é parecido com aquele do Antigo Testamento. É o sacerdócio que oferece toda a sua vida em benefício dos irmãos e irmãs. Fazer o que Jesus fez: esta é a função de todo sacerdote”, destacou Dom Airton ao lembrar que a celebração da Ceia do Senhor também marca a instituição do sacerdócio na Igreja Católica.

“Nosso Senhor, instituindo o sacerdócio ministerial na sua Igreja, quis perpetuar a sua pessoa nos gestos sacramentais. Por isso, Deus escolhe homens no meio do seu povo para, a exemplo do mestre Jesus Cristo, se colocar a serviço deste povo”, pontuou o Arcebispo Metropolitano de Mariana.  

Diante disso, segundo Dom Airton, o amor fraterno, a Eucaristia e o sacerdócio ministerial são elementos fundamentais para a vida de fé e o que nos fortalecem para trilhar o caminho do testemunho de Cristo.

Agenda