domingo

, 19 de maio de 2024

Papa Francisco convoca dia de oração e jejum pela paz nesta terça-feira, 17 de outubro; iniciativa é apoiada pela CNBB

16 de outubro de 2023 Igreja no Brasil

“As guerras são sempre uma derrota. Sempre”. No final do Angelus este domingo, 15 de outubro, o Papa Francisco expressou tristeza pelo “que está acontecendo em Israel e na Palestina” e convidou todos os fiéis a se unirem à Igreja na Terra Santa e dedicarem esta terça-feira, 17 de outubro, à oração e ao jejum”. “A oração – explicou – é uma força mansa e santa para se opor à força diabólica do ódio, do terrorismo e da guerra”.

Em sintonia com o desejo do Papa Francisco, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) viverá um dia de oração e jejum pela paz e a reconciliação dos que estão vivendo em contextos de guerra, especialmente judeus e palestinos. O dia começará com o “Santo Terço pela Paz”, na capela Nossa Senhora Aparecida, na sede da CNBB, às 8h30, com a presença do Comissário da Terra Santa em Goiás, frei Edgar Alves, OFM. A oração do Santo Terço será transmitida pelas redes sociais da CNBB.

O cardeal Pierbattista Pizzaballa, patriarca latino de Jerusalém, em nome dos bispos da Terra Santa, também convida as paróquias e comunidades religiosas do mundo para um dia de jejum e oração pela paz e reconciliação a ser realizado na terça-feira, 17 de outubro. Os momentos de oração – explica – devem ser organizados com a adoração eucarística e a recitação do rosário.

“Pedimos que na terça-feira, 17 de outubro, todos façam um dia de jejum e abstinência, e de oração”. Os momentos de oração – explica – devem ser organizados com adoração eucarística e o rosário à Santíssima Virgem. Provavelmente, em muitas partes de nossas dioceses, as circunstâncias não permitem grandes assembleias. Nas paróquias, nas comunidades religiosas, nas famílias, ainda será possível organizar momentos simples e sóbrios de oração comum”.

O clamor do Santo Padre

No Angleus deste domingo, o Papa renovou “o apelo pela libertação dos reféns”, depois pediu “veementemente” que “as crianças, os doentes, os idosos, as mulheres e todos os civis não sejam vítimas do conflito”, que o direito humanitário seja respeitado: “sobretudo em Gaza, onde é urgente e necessário garantir corredores humanitários e ajudar toda a população”.

Irmãos e irmãs, muitos já morreram. Por favor, não deixem que mais sangue inocente seja derramado, nem na Terra Santa, nem na Ucrânia, nem em nenhum outro lugar! Basta!

Acompanhe a oração do Santo Terço em:

Texto: CNBB e Vatican News/adaptado

Imagem: CNBB

Agenda