quinta-feira

, 13 de junho de 2024

Papa reconhece milagre atribuído ao Beato Carlo Acutis

23 de maio de 2024 Igreja no Mundo

Entronização da relíquia do Beato Carlos Acutis no Seminário São José em agosto de 2021. Foto: Seminário São José

O Papa Francisco atestou nesta quinta-feira, 23 de maio, um milagre atribuído ao Beato Carlo Acutis. Com o reconhecimento, o jovem será aclamado santo, em data ainda a ser definida.

Sobre Carlo Acustis

Fiel leigo, Carlo nasceu em 3 de maio de 1991 em Londres, na Inglaterra, e morreu em 12 de outubro de 2006 em Monza, na Itália.

A sua festa, portanto, é celebrada no mesmo dia de Nossa Senhora Aparecida. Aliás, são muitos os fatos na vida de Carlo que o ligam ao Brasil, a começar pelo milagre com o qual foi beatificado, verificado em Campo Grande (MS).

Desde cedo, Carlo demonstrou uma grande habilidade para a informática, dom que utilizou no serviço aos outros e na divulgação de conteúdos de formação cristã, como a exposição sobre os milagres eucarísticos.

Em setembro de 2006, surgiram os primeiros sinais de doença e, após o diagnóstico, uma leucemia fulminante. Com total confiança, entregou a Deus o pouco tempo de vida que lhe restava. Faleceu no dia 12 de outubro de 2006, sendo beatificado no dia 10 de outubro de 2020.

Ao recordar este evento, um dia depois, no Angelus dominical, o Papa Francisco afirmou:

Carlo Acutis “não se acomodou numa imobilidade confortável, mas colheu as necessidades do seu tempo, porque viu o rosto de Cristo nos mais frágeis. O seu testemunho mostra aos jovens de hoje que a verdadeira felicidade se encontra pondo Deus em primeiro lugar e servindo-O nos irmãos, especialmente nos últimos. Um aplauso ao novo jovem beato da geração atual!”.

O beato foi um dos patronos da JMJ de Lisboa e os seus restos mortais repousam na cidade italiana de Assis.

Qual é a diferença entre Beato e Santo?

Segundo o postulador da causa de canonização da Beata Isabel Cristina, Paolo Vilotta, a diferença entre beato e santo é relacionada ao culto. Na beatificação, o culto é público, mas algumas coisas, como dedicação de igrejas e capelas, só se pode fazer onde ocorreu o processo de beatificação do candidato a santo. Outras paróquias fora dessa juridição precisam da autorização do Dicastério para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, em Roma.

“Depois, na canonização, o culto é público, tem todo um ofício litúrgico próprio. Agora [na beatificação], também o ofício litúrgico é um pouco menor: somente na segunda leitura, a coleta e o próprio, não tem mais alguma coisa na beatificação”, explica Paolo Vilotta.

Com o reconhecimento do milagre, o Beato Carlo Acutis será proclamado santo e terá o seu culto universal. “Ele poderá ser chamado de ‘Santo’ e venerado com o culto litúrgico devido aos Santos somente após a canonização. Liturgicamente, portanto, tudo permanece como antes. Mas expressamos a nossa alegria em união com a família, especialmente com o pai Andrea e a mãe Antonia, e com todos os devotos de Carlo espalhados pelo mundo. Que ele obtenha do Senhor que O amemos assim como ele O amou, especialmente na Sagrada Eucaristia”, disse o Bispo de Assis, Dom Domenico Sorrentino.

Reconhecimento de outros milagres, martírio e virtudes heroicas

Em audiência com o prefeito do Dicastério das Causas dos Santos, Card. Marcello Semeraro, o Pontífice também autorizou a publicação os seguintes decretos relativos:

  • ao milagre atribuído à intercessão do Beato José Allamano, sacerdote fundador do Instituto das Missões da Consolata; nascido em Castelnuovo Don Bosco (Itália) em 21 de janeiro de 1851 e falecido em Turim (Itália) em 16 de fevereiro de 1926;
  • ao milagre atribuído à intercessão do Venerável Servo de Deus Giovanni Merlini, sacerdote e moderador geral da Congregação dos Missionários do Preciosíssimo Sangue; nascido em Spoleto (Itália) em 28 de agosto de 1795 e falecido em Roma (Itália) em 12 de janeiro de 1873;
  • ao martírio do Servo de Deus Estanislau Kostka Streich, sacerdote diocesano; nascido em 27 de agosto de 1902 em Bydgoszcz (Polônia) e assassinado por ódio à fé em 27 de fevereiro de 1938 em Luboń (Polônia);
  • ao martírio da Serva de Deus Maria Maddalena Bódi, fiel leiga; nascida em 8 de agosto de 1921 em Szgliget (Hungria) e assassinada por ódio à fé em 23 de março de 1945 em Litér (Hungria);
  • as virtudes heroicas do Servo de Deus Guglielmo Gattiani (nome de batismo Oscar), sacerdote professo da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos; nascido em 11 de novembro de 1914 em Badi, em povoado do município de Castel di Casio (Bolonha) e falecido em Faenza (Itália) em 15 de dezembro de 1999;
  • as virtudes heroicas do Servo de Deus Ismaele Molinero Novillo, conhecido como Ismael de Tomelloso, fiel leigo; nascido em 1 de maio de 1917 em Tomelloso (Espanha) e falecido em Saragoça (Espanha) em 5 de maio de 1938;
  • as virtudes heroicas do Servo de Deus Enrico Medi, Fiel Leigo; nascido em 26 de abril de 1911 em Porto Recanati (Itália) e falecido em Roma (Itália) em 26 de maio de 1974.

Além disso, o Sumo Pontífice aprovou os votos favoráveis ​​da Sessão Ordinária dos padres cardeais e bispos para a canonização dos Beatos Emanuele Ruiz e 7 Companheiros, da Ordem dos Frades Menores, e de Francisco, Abdel Mooti e Raffaele Massabki, fiéis leigos, assassinados por ódio à Fé em Damasco (Síria) entre 9 e 10 de julho de 1860. Ainda, o Papa Francisco decidiu convocar um Consistório, que tratará também da canonização dos Beatos Giuseppe Allamano, Marie-Léonie Paradis, Elena Guerra e Carlo Acutis.

Texto: Vatican News/Adaptado

Leia também:

Quais são os próximos passos até a canonização da Beata Isabel Cristina?