segunda-feira

, 20 de maio de 2024

Paróquia de Guaraciaba divulga homenageados da Medalha Rosas de Sant’Ana 2022

17 de outubro de 2022 Arquidiocese

A Paróquia Sant’Ana, em Guaraciaba (MG), divulga a lista com os nomes dos homenageados da Medalha Rosas de Sant’Ana 2022. A comenda foi instituída pela paróquia, por meio do seu pároco, Padre Geraldo Trindade, que chega neste ano em sua segunda edição, conferindo às homenagens em três graus e uma menção honrosa no dia 08 de dezembro, feriado municipal de Nossa Senhora da Conceição.

A equipe constituída para indicar os homenageados é composta por:  Padre Geraldo Trindade, Nilton de Aquino Andrade, Carmen Guimarães Lourenço, Bruna Maria Vilela Reis, Kelly Santana da Cruz e Cristiane Maria Vilela Dias.

A homenagem consiste em presentear com uma medalha os cidadãos guaraciabenses que contribuem de modo voluntário e, ao mesmo tempo, de forma significativa e expressiva marcando nossa história.

Foram escolhidos:

Mérito Responsabilidade Social: Dorvalina Teixeira da Cunha da Silva

Nascida em 26/03/1968, na localidade de Bacalhauzinho, Guaraciaba. Filha de Vicente Rodrigues da Cunha e Anunciação Teixeira da Cunha. É casada e mãe de cinco filhos, tendo apenas dois deles vivos. É uma pessoa simples, humilde, originada de família grande e pobre economicamente, sendo 14 irmãos, dos quais 13 são vivos. Desde pequena trabalhava em carpinas de roça, participava das atividades da igreja, dos leilões

beneficentes.

Sendo de família concentrada na roça, não teve incentivos de estudos. De uma família religiosa e sua vocação em servir à sociedade começou como colaboradora nas capelas de Penha e Pedras. Quando construíram a capela do Bacalhauzinho, passou-se a dedicar mais àquela localidade. Desde jovem, chegou a ser tesoureira das capelas, função que também exerce até hoje na sua comunidade de origem, pertencendo também à Pastoral da Criança e do Grupo de Reflexão.

Cursou apenas o primário até a 3ª série, fazendo a complementação pelo Ensino de Jovens e Adultos  (EJA) nos anos de 2017 e 2018. Em 17/09/2000, com o incentivo Padre João do Carmo, foi chamada a compor uma equipe que buscaria a emancipação do sindicato guaraciabense do de Ponte Nova. Iniciou os seus trabalhos como sócia e do conselho fiscal, passando a tesoureira, depois secretária, retornando ao cargo de tesoureira, e em 2011 (03/07/2011) disputou a diretoria e venceu. Em 2015 disputou nova eleição e ganhou. O que se repetiu em 2019.

Mérito Religioso: Maria das Dores Eulália dos Santos – Pretinha

Maria das Dores Eulália do Santos, nascida em Capela Nova (MG), em 11/12/1953. Filha de Olegário dos Santos e Maria Alves dos Santos. Teve 9 irmãos, dos quais sete são vivos. Veio para Guaraciaba com 9 anos. Desde os sete anos tinha participação nas missas, acompanhada de seus pais e irmãos. É solteira, cursou apenas até a oitava série no Colégio de Guaraciaba, é grande colaboradora da igreja e tem um coração enorme e acolhedor. Uma simpatia em que não consegue expressar o que não se refere à alegria.

Começou a sua participação na igreja como auxiliar de faxina na casa paroquial, ainda no tempo do Monsenhor Dimas, ajudando também na limpeza da Igreja Matriz. Aos 19 anos, filiou-se ao grupo de Congregadas das Filhas de Maria, ajudou na catequese e também coordenava as crianças vestidas de anjos para as coroações do mês de maio, uma grande tradição em Guaraciaba. Foi voluntária na cozinha da casa paroquial em dias de festas de Sant’Ana e outros eventos. Seu pai chegou na cidade de Guaraciaba para comandar uma fábrica de queijos na cidade em que produzia quatro especialidades diferentes, muito reconhecidas na época. Logo chegaram, em 1962, foram morar na Rua Nova, atual Rua Geraldo Braz, bem em frente à fábrica e foram surpreendidos com uma grande enchente que lhes trouxeram perdas materiais diversas, inclusive de mercadorias em estoques, animais domésticos, tendo que se mudar do local para a Praça do Rosário. Sempre foi uma voluntária e teve o pensamento de ajudar ao próximo, inclusive já participou de mutirão de construção de casas para carentes. É aposentada atualmente e na sua vida profissional trabalhou primeiramente em casa de família, depois como auxiliar de enfermagem no Hospital Sant’Ana, e depois na Prefeitura Municipal de Guaraciaba, onde se aposentou por tempo de serviço. Afirma que o mais importante para ela é o amor a Cristo e tem a recomendação de que os jovens atuais precisam olhar mais para os pais, porque eles é que nos direcionam para o bem e para o futuro.

Mérito Cultural: José Egídio da Cruz

Conhecido por Sr. Dé Carolina, 69 anos, nascido aos 01/07/1953, no povoado da Penha em Guaraciaba. É filho de Antônio Teodoro da Cruz e Efigênia Germana da Cruz e tem 10 irmãos, todos vivos. É casado com Maria Cirila Teixeira, sendo pai de cinco filhos, um homem e quatro mulheres, os quais lhe concederam 5 netos sob a bênção de Deus. Era uma criança de família humilde e, naquela ocasião, fazia os seus próprios brinquedos. Estudou até a terceira série no Povoado da Penha e já mais velho, conseguiu fazer o supletivo Mobral, antes de 1980, do qual após realização de uma prova, obteve o título da 4ª série, na cidade Guaraciaba, porque na Penha ainda não tinha a 4ª série. Sempre teve uma vida humilde, começou ainda criança trabalhando no plantio de roças de milho, arroz e feijão e também exerceu a função de pedreiro e serrador de madeiras, em estaleiros montados que dependiam de um ajudante para puxar, já que a sua função era a de comandante da ferramenta. Em 2017, já aposentado, mudou-se para Guaraciaba e construiu a sua própria casa, que fica na Rua João Pantaleão, nela fazendo por sua própria conta os trabalhos de pedreiro, marceneiro, bombeiro e eletricista. Como não consegue ficar parado, surgiu a vocação pelo artesanato e aos pouquinhos foi adquirindo novas ferramentas para se dedicar mais ao seu dom. Não tem um artesanato preferido e dedica-se mais a aqueles que têm mais saída. Entre suas peças são destacados brinquedos, imagens religiosas, aves, animais mamíferos, carrinhos de bois e engenhocas. As madeiras que ele mais usa são o eucalipto, a caroba, a seriguela, o vinhático e o cedro. Usa também areia e cimento para fazer alguns.

Homenagem Póstuma: Antônio de Oliveira Castro – Totinho Batista

Nascido no dia 17 de maio de 1921, na Fazenda do Café,  Guaraciaba, 3º filho de João Batista de Oliveira Castro e Corina Pinto Coelho de Castro. Filho do segundo matrimônio de seu pai. Foi batizado na Igreja Sant’Ana de Guaraciaba no dia 29 de junho de 2021, pelo Padre José Pinto Carneiro, conforme registro no livro 02 da Paróquia, fls. 11. Em 08 de março de 1928, mudou-se para Guaraciaba ainda criança.  Em 1931, terminou o 3º ano primário na escola da casa de Dona Izolina. Em 1931, seu pai montou uma loja em Guaraciaba, e o estoque era “só de coisas fora de moda”, no sobrado que já foi demolido na Praça Cônego Dimas. Depois foi melhorando o estoque. Sendo ele o primeiro empregado. Mais tarde o pai passou o comércio para ele e seu irmão, Valico. Casou-se em 04 de setembro de 1946 com Conceição Morais, sendo o casamento realizado pelo Padre Dimas em casa de seu sogro. Teve muitos problemas de saúde, inclusive tendo tratamento quimioterápico, mas nunca deixou de ajudar a comunidade guaraciabense. Lutou pela emancipação do Município, sendo inclusive o secretário de registros de atas de instalação do município em 1º de janeiro de 1949, Ata da pedra fundamental do Grupo Escolar Padre Dimas, da Pedra Fundamental do Hospital Sant’Ana, da Pedra fundamental da Escola José Mateus de Vasconcelos, conseguiu aposentadoria para mais de 50 idosos junto ao INPS, aproveitando a Lei do Presidente Garrastazu Médici. Fazia o natal dos pobres, acompanhando sempre do Monsenhor Dimas. Dom Oscar de Oliveira, arcebispo marianense emitiu uma carta pessoal agradecendo o seu trabalho na reforma da Matriz de Sant’Ana. Ajudou a trazer o Mobral e tem comprovante de certificação de seu trabalho, já que Guaraciaba ficou em 1º lugar no estado com formação de 425 alunos. Foi festeiro de Sant’Ana de 1941 até a morte do Monsenhor Dimas em 1979, sem falhar um ano. Foi correspondente em Guaraciaba dos Bancos Crédito Real, do Comércio e Indústria, de 8 a 10 anos. No fim de cada mês levava o dinheiro a cavalo à agência da região.  A partir da década de 70 fortaleceu o Hospital Sant’Ana trazendo vários médicos. Nas enchentes dava o maior apoio aos desalojados e lutava junto à ALCAN em Ouro Preto para trazer recursos. Após a morte do Monsenhor Dimas, foi escolhido por Dom Oscar para arranjar os negócios da Igreja, tendo acesso a todos os papeis e livros de tombos. Depois disso   Arcebispo registrou de próprio punho no livro de Tombo, o agradecimento à sua pessoa, como menção honrosa. Com a chegada do Padre Joaquim, seu nome foi aprovado pelo Arcebispo para ser ministro da Eucaristia. Foi o braço direito nas Administrações municipais dos Prefeitos José Queiroz, Geraldo Braz, Maurilio Pereira, ajudou a abrir a Rua Capitão Faustino, comprar a primeira central telefônica de Guaraciaba com trinta e um ramais nas casas. Em 1945 administrou a construção da casa de São Vicente. Exerceu a política fluentemente em Guaraciaba e chegou a ser presidente do PSD e do Arena por doze anos, naquela época da política ferrenha entre o PSD e o PR e não deixou um inimigo. Atendia a todos dentro dos limites, é claro, afirma ele. Em 1992, foi candidato a prefeito de Guaraciaba.

 

Texto e fotos: Paróquia Sant’Ana, em Guaraciaba (MG)

Agenda