segunda-feira

, 26 de fevereiro de 2024

Paróquia Nossa Senhora da Penha, em Barbacena, promoveu ação durante a Semana Nacional de Combate ao Alcoolismo

28 de fevereiro de 2023 Arquidiocese

A Paróquia Nossa Senhora da Penha, em Barbacena (MG), por meio da comunidade São Camilo de Lélis, realizou no último dia 18 de fevereiro evento alusivo a Semana Nacional de Combate ao Alcoolismo. Os fiéis se reuniram para rezar juntos o Terço Luminoso. Organizado pelos agentes da Pastoral da Sobriedade na paróquia, sob coordenação de Jorge Agnair Lopes, um momento de fé e oração emocionou os presentes.

Localizada no Bairro Nova Cidade, em Barbacena, a comunidade fez questão de fazer orações para não só pedir a Deus pela conversão daqueles que se encontram no vício, mas também para agradecer por aquele que conseguiram deixar os males causado por ele.

Em depoimento, Sávio, recuperado do alcoolismo, registrou a importância de conseguir viver na Sobriedade, testemunho esse que marcou os eventos da Semana Nacional contra Alcoolismo na paróquia demonstrando como conseguiu largar o vício e se refazer como cristão.

Confira:

“O alcoolismo é uma doença. Comecei nesta vida aos 12 anos de idade, quando meu pai, que trabalhava num restaurante, me levava ao local com ele. Eu aproveitava a distração dele e ia até a adega para tomar um pouco do licor de rosas. Depois disso passei a tomar vinho, cerveja. Me tornei alcoólatra muito cedo. O vicio faz com que, quanto mais você consome, mais quer consumir. Eu sentia uma sede terrível de álcool. É realmente uma dependência. Foram 40 anos que vivi em uma situação muito triste porque a gente acha que está bem porque a alegria trazida pelo álcool satisfaz. Tudo virou motivo para beber:  alegria ou tristeza. É uma dopamina que consegue te controlar. Minha esposa sofreu muito por causa do meu vício: a vida afetiva, a vida familiar, tudo foi prejudicado. No meu trabalho perdi a moral, perdi meu nome. Mas graças a Deus eu consegui vencer este mal. Primeiramente porque eu quis, porque depende primeiro da gente que está no alcoolismo dar o primeiro passo. Eu tive que fazer um tratamento por dez meses, em uma clínica. Perdi a liberdade, mas com consciência que era necessário. Deus faz a parte dele, mas também temos que fazer a nossa. Aceitei meu tratamento e vi como minha vida mudou. Eu conseguir fazer coisas como tirar minha carteira de motorista, ter realmente uma vida em família, meu trabalho, minha vida é outra. Eu me senti melhor, consegui olhar nos olhos das pessoas. Porque quando a gente se consome no álcool, não conseguimos olhar para as pessoas. Vivemos de cabeça baixa. Eu peço que aqueles que se encontram neste vício parem e pensem como está a sua vida hoje? Eu tenho consciência hoje de que fiz uma escolha pela alegria plena, na graça de Deus. E se for um dia, só por hoje sem álcool, só por hoje sem drogas, um dia de cada vez, a gente consegue vida plena na sobriedade. São sete anos sem álcool e só tenho a agradecer e desejar que todos que estão na dependência consigam vencer este mal”.

Texto: Ana Paula Mendes dos Santos

Foto: Jorge Agnair

Agenda