terça-feira

, 28 de maio de 2024

Pastoral Carcerária tem nova Coordenadora Arquidiocesana

10 de novembro de 2023 Arquidiocese

A Pastoral Carcerária (PCr) tem uma nova Coordenadora Arquidiocesana: Maria Elizabeth Lourenço, da cidade de Ponte Nova (MG). Ela foi eleita durante o Encontro Arquidiocesano da PCr realizado no dia 21 de outubro no Centro de Pastoral, em Mariana (MG).

A eleição aconteceu devido ao afastamento, por motivos pessoais, da coordenadora eleita em maio, durante a Assembleia Arquidiocesana da Pastoral Carcerária. Durante a reunião, foram confirmados também os nomes da atual Coordenação Arquidiocesana da PCr que, atualmente, tem como Assessor Eclesiástico Arquidiocesano o Diácono Fábio de Freitas.

A PCr na Arquidiocese de Mariana

No Encontro Arquidiocesano, os presentes realizaram uma análise da atuação da pastoral na Arquidiocese de Mariana, constatando que ela vem se fortalecendo, tendo retomado, presencialmente, seus trabalhos nos presídios, após a pandemia. Ainda, apontou que está buscando sua melhor rearticulação, inclusive com novos agentes/servidores.

Outros pontos levantados foram relacionados as dificuldades enfrentadas na atuação pastoral. Segundo os agentes presentes no Encontro, dentre elas estão a falta de acolhimento e desconhecimento do trabalho desenvolvido pela pastoral, por parte de alguns agentes penitenciários (Polícia Penal), as restrições às visitas religiosas da PCr, empecilhos para a retomada da Catequese e a falta de mais agentes da pastoral.

Dessa forma, para os participantes do Encontro, é necessário investir na melhor qualificação dos agentes da Pastoral Carcerária, sobretudo em relação à formação permanente, e produzir um material específico para a catequese nos presídios, contemplando essa realidade.

A realidade dos presídios presentes no território da Arquidiocese

Outra avaliação feita na reunião de 21 de outubro foi sobre a realidade dos presídios presentes no território da Arquidiocese de Mariana. Na ocasião, foi apontado haver discrepância quanto à aplicação de normas entre os presídios.

Ainda, pontuou-se que há, em sua maioria, uma superlotação nos presídios, bem como a ausência de condições de estrutura para atender à demanda das pessoas privadas de liberdade e oferecê-las um pouco de dignidade. Ao mesmo tempo, constatou-se que, após a pandemia, alguns presídios estão mais limpos, tendo recebido pintura externa e interna, melhorias nas celas e limpeza diária.

Outros assuntos

Na oportunidade, os presentes também elaboraram a agenda da Pastoral Carcerária para o próximo ano e elencaram algumas ações pastorais:

  • Realizar reuniões mensais da pastoral, em cada localidade, para partilha, organização de atividades e para a formação permanente de agentes;
  • Investir na escuta pastoral e trabalhar a justiça restaurativa, nas visitas às pessoas presas, nos presídios;
  • Investir, em cada localidade, na busca de mais agentes para fortalecer a presença nos cárceres e as atividades da Pastoral Carcerária;
  • Alimentar a pastoral de conjunto, pedindo o apoio de outras pastorais como da Família, Catequese, Liturgia, Pastoral do Batismo e Pastorais Sociais nas atividades como catequese no presídio, celebrações, visita às famílias dos presidiários, campanhas, etc.;
  • Dialogar com a direção do presídio sobre horários e tempo das visitas, acesso mais próximo às celas e aos presos, oportunidade de dia específico para a Catequese, sobre o número de agentes que podem entrar e iniciativas que a pastoral deseja desenvolver em benefício dos presos;
  • Estar atento para que o Conselho de Comunidade esteja funcionando bem e onde não existe, trabalhar pela sua constituição;
  • Trabalhar a proximidade da pastoral com órgãos públicos, em bem dos presos, na defesa de seus direitos e dignidade, como defensoria pública, ministério público e juízes;
  • Intensificar nossa presença, enquanto Pastoral Carcerária, junto às famílias das pessoas presas;
  • Oferecer, quanto possível, apoio aos egressos, especialmente à sua saída imediata do presídio.

Com informações e imagem da Coordenação Arquidiocesana da Pastoral Carcerária