segunda-feira

, 15 de agosto de 2022

Seminaristas vivenciaram a Semana Santa nas casas formativas

09 de abril de 2021 Arquidiocese

Impossibilitados de vivenciar a Semana Santa nas paróquias como de costume, neste ano, os seminaristas do Seminário São José celebraram a Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor nas comunidades formativas: Filosofia, Teologia e Propedêutico. Somente os seminaristas da Comunidade Vocacional (GOV) não experienciaram a Semana Santa no Seminário, pois eles se encontram em quarentena em casa, junto aos seus familiares. 

Em comunhão e unidade, cada casa de formação realizou seus exercícios espirituais. Com o auxílio da equipe de liturgia e dos formadores, uma programação espiritualmente intensa foi organizada. Para além das solenes celebrações litúrgicas próprias da Semana Maior, vários outros momentos foram vividos: ofícios da Liturgia das Horas e das Trevas, as reflexões do Pretório, do Encontro e da Paixão do Senhor, além dos exercícios da Piedade Popular.

Segundo o seminarista Marlon Ramos da Rocha, da comunidade do Propedêutico, “a Semana Santa deste ano foi diferente para todos nós, vivendo neste contexto atual de pandemia, onde a mais de um ano estamos aprendendo a conviver com o vírus. Mais uma vez com as igrejas fechadas, fica em nós uma angústia, mas sempre confiantes que tudo vai passar”. “Viver a Semana Maior no Seminário foi muito bom, por mais que seja diferente, talvez a primeira em tantos anos, mas é certo que foi um tempo de graça, um tempo de santificação”, destacou. “Enfim, foi muito bom, realmente uma Semana Santa diferente, tanto para nós seminaristas, quanto para o mundo. Tudo é graça!”, finalizou.

Para o seminarista Gabriel Soares, do 2º ano da Filosofia, “a experiência vivida participando da Semana Santa, no Seminário São José, foi e será única. No meio de um momento conturbado como o que passamos, termos esse tempo para pararmos e rezarmos intensamente pelo nosso mundo e por aqueles que nos pedem orações cotidianamente é fundamental para que possamos ouvir a voz de Deus que vem do povo e que refletiu nas reflexões que ouvimos sobre a Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, bem como sobre as dores de nossa Santíssima Mãe”.

De acordo com Gabriel, o trabalho realizado durante os dias da Semana Santa foi imenso, mas que o resultado obtido foi consolador. “A oração fazia parte do nosso dia, não só nos momentos em que nos reuníamos para celebrar e ouvir, mas também enquanto preparávamos tudo para que cada experiência fosse da melhor forma possível. Sou grato, primeiro a Deus por conceder essa oportunidade de rememorar momentos tão importantes para a nossa história e ainda mais para a nossa Igreja, depois ao Seminário São José e aos meus irmãos seminaristas, que proporcionaram a melhor forma para que celebrássemos os mistérios de nossa fé”, contou.

“Celebrar a Semana Santa é sempre uma oportunidade de aproximarmo-nos cada vez mais do Mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo”, ressaltou o seminarista Marcelo Ribas, do 2º ano de Teologia. “Diante do sofrimento enfrentado pelo mundo, causado pela pandemia do Covid-19, pude celebrar a semana maior de nossa fé em comunhão com todos, que dia a dia se entregam para salvar vidas. A certeza que trago em meu coração é que o mesmo Cristo que entregou sua vida no madeiro da Cruz para nos salvar e ressuscitou ao terceiro dia está conosco nos auxiliando, pois Ele nunca nos abandona. Sendo assim, afirmo com muita fé e esperança: Cristo ressuscitou e vive no meio de nós”, enfatizou.

Já para o Seminarista Ronan Prata, do 1º ano de Teologia, viver a Semana Santa no Seminário foi uma experiência muito edificante. “Nós pudemos vivenciar com muita intensidade todos os exercícios devocionais propostos pela liturgia e, assim, mergulharmos no profundo mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor. No ano passado nós achávamos que neste ano a Semana Santa seria de modo normal, nas paróquias, com a presença dos fiéis, mas infelizmente, não foi possível. Por isso, o fato de termos celebrado aqui no Seminário foi uma graça, pois muitos não puderam. Nós motivamos as pessoas a viverem a Semana Santa em família e fizemos o mesmo: vivenciamos a Semana Maior de nossa Fé como família do Seminário São José!”, afirmou.

Por fim, a Ressurreição de Jesus Cristo é sinal de esperança para toda humanidade, mesmo diante das noites sombrias. Por isso, não tenhamos medo e não percamos a esperança, pois Cristo vive! Cristo Ressuscitou! Aleluia, Aleluia!

Texto e fotos: Comunicação do Seminário São José

Agenda