sexta-feira

, 19 de agosto de 2022

Primeira formação regional do PAE acontece em Mariana

24 de abril de 2017 Arquidiocese

Lançado oficialmente nas paróquias no começo de abril, o Projeto Arquidiocesano de Evangelização (PAE 2016-2020) foi tema de estudo na primeira formação regional realizada nesse sábado (22) com os representantes das três foranias da Região Norte: Ouro Preto, Mariana e Santa Bárbara. O estudo reuniu 18 pessoas e foi dirigido pelo padre Geraldo Martins, coordenador arquidiocesano de pastoral, no Centro Pastoral, em Mariana.

Para ilustração dos estudos, uma árvore, símbolo escolhido para representar o novo PAE, foi montada durante a formação. As raízes representam os âmbitos expostos pelo projeto no primeiro capítulo. O tronco é Jesus que sustenta a Igreja, representada pelos ramos que seguram os frutos. Esses frutos formam o Reino de Deus, o que cada paróquia irá colher. “A árvore tem os pontos necessários justamente para a gente entender o que está enraizado, de onde vem, qual o caminho a ser seguido e o que a gente espera, os frutos que a gente vai colher a partir do caminho que a gente seguiu. Foi uma ideia muito boa, eu gostei, acho que nas nossas reuniões, nós vamos adotar esse método”, conta Tobias Adriano dos Santos, representante da Paróquia de São Caetano, em Monsenhor Horta.

Com o objetivo de criar uma equipe treinada para apresentar e motivar a aplicação do PAE nas paróquias, as formações com os representantes das foranias de cada região acontecerão durante o primeiro semestre de 2017. A intenção, segundo padre Geraldo, é facilitar o estudo das ideias chaves do PAE para as paróquias que julgarem necessário, sobretudo para as que têm mais dificuldade de organização. A próxima formação acontecerá na Região Sul, em Barbacena, no dia 6 de maio.

Bianca de Fátima Vaz Galo, representante da Paróquia São Sebastião, em Itabirito, acredita que a formação ajuda a esclarecer os pontos novos ou que estão repaginados no projeto. A paróquia dela ainda colhe resultados do PAE 2010 nas CEBs e nos Grupos de Reflexão, por exemplo. “Agora a gente acredita que o novo PAE vai ser mais tranquilo implantar. A gente está procurando colocar o que é novo dentro da realidade de nossa paróquia”, afirma.

Agenda