terça-feira

, 16 de agosto de 2022

Publicada a Carta Compromisso do 7º Fórum Social pela Vida

03 de outubro de 2019 Arquidiocese

No último sábado (28), os participantes do 7º Fórum Social pela Vida aprovaram a carta compromisso do encontro. O documento é composto por uma apresentação geral e por propostas de ações apresentadas pelos seis eixos temáticos. Leia o texto na íntegra:

CARTA COMPROMISSO

DOCUMENTO FINAL DO 7º FÓRUM SOCIAL ARQUIDIOCESANO PELA VIDA

Nós, participantes do 7º Fórum Social pela Vida da Arquidiocese de Mariana, contados em mais de 400 lideranças, vindos das regiões pastorais desta Igreja Particular, da Província Eclesiástica de Mariana e de dioceses além Província, estivemos reunidos na cidade de Barão de Cocais, de 26 a 29 de setembro de 2019, acolhidos, solidariamente, pelas Comunidades Paroquiais de São João Batista e São José, pelas famílias e lideranças eclesiais e sociais que nos deram um belo exemplo de hospitalidade, fraternidade e partilha.

Animaram-nos as palavras de boas vindas de Dom Airton José dos Santos, nosso Arcebispo, conclamando-nos, no seguimento de Jesus, a viver a graça batismal, testemunhando a fé com boas obras, na Igreja e no mundo.

Inspirou-nos o tema: “A terra clama por justiça e os pobres, por direitos”, em celebrações festivas, conferências e em grupos de trabalho, à luz dos Eixos Temáticos para este Fórum Social. Refletimos sobre o nosso compromisso de fé com a cidadania ativa, no exercício da caridade fraterna, em vista da construção permanente da sociedade do bem viver e do conviver. Constatamos a urgência do engajamento de todos na defesa da ecologia integral e na promoção de políticas públicas em prol de um mundo melhor, a partir dos pequenos, pobres e excluídos, os preferidos do coração de Deus, testemunhando o seu Reino de Vida, Justiça e Paz, rumo à plenitude.

São muitos os desafios enfrentados, na atual conjuntura, como a perda de direitos e de conquistas sociais; a alarmante desigualdade social; a violência, em suas várias manifestações e formas; a crescente agenda política que acirra a violência e o ódio aos pobres; os danos ecológicos de uma economia pautada pelo lucro, pela ganância e pelo consumismo desenfreado. Longe de nos desanimar, esses desafios nos fortalecem em nossa missão de ser “sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14), fermento na massa (Mt 13,33), amparados na mesma certeza trazida pelo povo feito escravo em terras do Egito (Ex3,1-12), a de que “Deus ouve o nosso clamor e desce para nos libertar”. Não estamos sozinhos. Deus habita esta terra e caminha com seu povo. Ele purifica as nossas vistas e o nosso coração para que tenhamos um novo olhar para um novo agir.

Tocaram-nos, profundamente, as palavras de Dom Vicente de Paula Ferreira, Bispo auxiliar de Belo Horizonte, ao falar que trazia para esse Fórum Social mais umas 300 pessoas, as vítimas de Brumadinho. Uma dor, difícil de descrever, tomou nossos corações ao recordar os rompimentos das barragens em Mariana/Bento Rodrigues e em Brumadinho/Córrego do Feijão. Foram ceifadas centenas de vidas humanas, destruídas famílias, suas histórias, seus sonhos e suas localidades; instalou-se um caos social e ambiental nas bacias do Rio Doce e São Francisco, que se estendeu até o Atlântico, com dimensões ainda não mensuráveis.

Não vamos esquecer esses nossos irmãos e irmãs, mártires deste sistema que mata, exclui e descarta; nem vamos nos calar. Iremos trazê-los sempre à memória e ao coração, em nossas lutas por vida, dignidade e justiça. Solidários também a Barão de Cocais, Congonhas, Macacos e outras cidades e comunidades em alerta permanente diante de barragens na iminência de se romperem, por causa de empresas inescrupulosas que colocam, criminalmente, seus interesses econômicos e predatórios acima da vida humana e do meio ambiente. Muitas “vales”, não “vale” uma vida!

Nosso olhar se amplia em comunhão com o Sínodo para a Amazônia, feliz iniciativa do Papa Francisco em salvaguarda dos povos da Amazônia e do cuidado com o meio ambiente e o meio social, nessa região rica das dádivas divinas para o mundo. “Tudo está interligado nesta casa comum”. A nós, é dada a missão de cuidadores, por excelência, da vida em todas as suas expressões e manifestações, à luz da ecologia integral.

Atentos aos apelos de Deus e às necessidades do povo, a partir dos trabalhos realizados neste 7º Fórum Social, assumimos, à luz da dimensão sociopolítica da evangelização, de nossas pastorais sociais, as propostas a seguir, contempladas nos eixos temáticos, com o desejo de fazer ressoar esses compromissos em nossas comunidades e localidades, traduzindo-os em ações e serviços em favor da vida e da esperança.

Tudo isso a partir da opção evangélica pelos pobres, assumida, como especial ação evangelizadora e pastoral para a América Latina e o Caribe, no Documento de Puebla que celebra, nesse ano, 40 anos.

DO EIXO “ESTADO DO BEM VIVER”: Avançar na mobilização popular para efetivação das redes de cidadania locais, de comunicação colaborativa, da função social da terra, contra a especulação imobiliária, valorizando a agroecologia. Para isso:

  • Empenhar em fazer essa mobilização popular com organização, metodologia e planejamento, a partir dos pobres e com os pobres e oprimidos.

DO EIXO “SAÚDE E SEGURANÇA ALIMENTAR”: Implantar a Pastoral da Ecologia Integral na Arquidiocese de Mariana, com o objetivo de construir e implementar, em parceria com outras pastorais e movimentos sociais, ações que visem a promoção da saúde e da segurança alimentar, tendo como base, entre outras, as seguintes orientações:

  • Empenhar-se pela revogação da PEC 95, fortalecimento e defesa do SUS e contra a privatização da saúde, promovendo iniciativas de empoderamento e formação dos usuários sobre os projetos e programas de atendimento básico e controle social.
  • Promover o “Dia D” de combate aos agrotóxicos em cada paróquia da Arquidiocese de Mariana, envolvendo pastorais sociais, escolas, juventude, movimentos populares e sociais e meios de comunicação que atuam em defesa da vida, potencializando também os eventos religiosos, os encontros pastorais e comunitários, como ferramentas para a conscientização.
  • Capacitar e valorizar terapeutas populares e fomentar a criação do Espaço de Saúde e Bem Viver (Farmácia Viva).
  • Incentivar ações de fortalecimento da agroecologia, construindo estratégias para a permanência ou retorno da juventude para o campo.

DO EIXO “JUSTIÇA RESTAURATIVA”: Capacitar agentes das pastorais para as práticas de justiça restaurativa, nos diversos espaços onde atuam, formando líderes como facilitadores dos cursos de Fundamentos e Práticas de Justiça Restaurativa, promovendo unidade entre as pastorais sociais, em vista do bem viver. Para isso, propomos:

  • Imprimir, com o apoio da Arquidiocese, os folders para o fortalecimento da rede de atendimento aos dependentes químicos e seus familiares.
  • Contemplar, no Roteiro de Reflexão, a Pastoral da Sobriedade.
  • Atrair e formar novas lideranças e agentes de pastoral para fortalecer as ações da Pastoral da Criança e do Menor e ampliar a sua atuação, sobretudo, nas comunidades mais empobrecidas e carentes.
  • Fomentar a organização e a mobilização de lideranças, em conjunto com as forças vivas da sociedade civil organizada, para reivindicar, propor e participar da construção e implementação de políticas públicas voltadas para crianças, adolescentes e suas famílias.
  • Realizar um encontro arquidiocesano com membros do Conselho de Comunidade de Execução Penal de todas as Comarcas no território da Arquidiocese de Mariana, para troca de experiências e auxílio na missão de reparar danos e restaurar o ser humano.

DO EIXO “DIGNIDADE HUMANA”: Criar e/ou fortalecer as redes de garantia de direitos e solidariedade com agentes de pastorais, comissão justiça e paz, e profissionais cristãos das diversas áreas com o objetivo de escutar, acolher, orientar e dar os encaminhamentos necessários tendo em vista a prevenção e o enfrentamento das diversas formas de violência. Para isso, propomos:

  • Fortalecer iniciativas em prol de uma cultura de paz, que perpasse todos os ambientes (família, escola, Igreja, comunidade…) fundamentando suas relações nos valores sociais, morais, religiosos e éticos para a constituição da sociedade do bem viver.
  • Garantir formação temática e permanente para os agentes de pastorais – pastoral da escuta, Comissão Justiça e Paz para atuarem de forma eficaz em defesa da vida e enfrentamento das diversas formas de violência, tais como: violência contra mulher e o idoso, racismo, combate ao suicídio, valorizando o trabalho das pastorais sociais, bem como os da rede sócio assistencial (aparelho do estado).
  • Fomentar o trabalho ecumênico, a partir do serviço da caridade e transformação da sociedade, na defesa da vida e da dignidade humana.

DO EIXO “ÁGUA MINÉRIO E ENERGIA PARA A SOBERANIA”: Fortalecer o trabalho de base, com o apoio da Arquidiocese de Mariana, em suas demandas concretas. Para isso, propomos:

  • Fomentar a aproximação com as dioceses de Belo Horizonte e da Província Eclesiástica de Mariana.
  • Apoiar a confecção de materiais para debate nas comunidades e em outros espaços.
  • Assegurar a presença nos Conselhos e Comitês de Bacias Hidrográficas.
  • Fortalecer as Comissões para o Meio Ambiente, da Arquidiocese e da Província Eclesiástica, e o Fórum Permanente da Bacia do Rio Doce.

DO EIXO “JUVENTUDE”: Promover encontro de espiritualidade (Arte e Ofício Divino da Juventude) na Província de Mariana (Mariana, Caratinga, Governador Valadares e Itabira) para as Juventudes. Para isso, propomos:

  • Utilizar as diferentes expressões artísticas (música, teatro, dança etc.) nas liturgias diárias e/ou cotidianas, dando espaço aos jovens para realizá-las a partir de suas diversas realidades.
  • Promover atividades de formação ou eventos sobre arte e espiritualidade.
  • Fortalecer a implantação do PAEJU (Projeto Arquidiocesano de Evangelização para a Juventude) e da Campanha de Enfrentamento aos Ciclos de Violência contra as Mulheres.

            Agradecidos e fortalecidos, com as missões locais, preparando esse evento, e a realização do Fórum Social pela Vida, seguimos em frente, confiando às bênçãos divinas e à proteção dos santos e santas, nossos padroeiros/as,tudo o que Deus nos inspirou a realizar, para que seja implementado na vida de nossas comunidades, para honra e glória de Seu Nome Santo e para a vida do seu povo.

 

Barão de Cocais, 29 de setembro de 2019.

Participantes do 7º Fórum Social Arquidiocesano pela Vida

Agenda