sábado

, 20 de agosto de 2022

Quinta-feira Santa: Dom Geraldo celebra Missa da Ceia do Senhor em Mariana

30 de março de 2018 Arquidiocese

Nessa quinta-feira (29), em toda a Igreja, o primeiro dia do Tríduo Pascal foi iniciado com a Missa da Ceia do Senhor e a cerimônia de Lava-pés. A missa realizada no Santuário de Nossa Senhora do Carmo, às 19h, foi presidida pelo arcebispo de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha, e concelebrada pelo pároco da catedral de Mariana, cônego Nedson Pereira de Assis, e pelo chanceler da Cúria Metropolitana de Vitória, cônego Arnóbio Passos Cruz.

Durante o Sermão do Mandatum, que antecede a cerimônia de Lava-pés, Dom Geraldo destacou que a quinta-feira santa celebra três grandes mistérios: a instituição da Eucaristia, a instituição do sacerdócio ministerial e a promulgação do mandamento novo, mandamento do amor. “A palavra de Deus que nos foi proclamada nos leva a penetrar na fé destes mistérios tão sublimes”, disse.

O arcebispo lembrou as palavras ditas por Jesus durante a Ceia, narradas na primeira carta de São Paulo aos Coríntios (1Cor 11, 23-26). “O apóstolo Paulo, na carta aos Coríntios, nos transmite o texto mais antigo sobre a Eucaristia: Na véspera de sua Paixão, Jesus tomou o pão e disse ‘Isto é o Meu Corpo, tomai e comei’. Tomando o cálice, Ele disse ‘este é o cálice do Meu Sangue, tomai e bebei’. Instituição da Eucaristia, entrega sacramental de Cristo por nós ao Pai no sacrifício redentor e, a nós, como alimento na sagrada comunhão. Ao fazer esse gesto, Jesus imediatamente diz ‘Fazei isto em memória de mim’. E a Igreja interpreta essas palavras como sendo a instituição do ministério sacerdotal”, explicou.

Ao relembrar a cena em que Jesus lava os pés dos seus discípulos, Dom Geraldo evidenciou a necessidade de repetirmos o gesto, seguindo, assim, os ensinamentos do mandamento do amor. “Que gesto tão lindo! O senhor adota a atitude do empregado. Nos costumes da época de Jesus, o empregado lavava os pés do patrão. Agora, os papéis se inverteram, o Senhor é que vai lavar os pés dos seus seguidores. Aquele que é grande, se faz pequeno. O primeiro se coloca no lugar do último. Aquele que é poderoso porque é Deus, se faz humilde e servidor, Deus feito homem. Mistério tão grande que se revela num gesto aparentemente tão simples: lavar os pés. Lição para nós. Não tem parte com Cristo, quem não lava os pés dos seus irmãos, isto é, lavar os pés no serviço generoso, na ajuda fraterna, na solidariedade sincera, no estender a mão a quem necessita, no amor sem limites, sem discriminação, sem reservas. Que o gesto de Jesus, de lavar os pés dos seus discípulos, toque em nosso coração para que assim façamos também nós como Ele fez. ‘Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei’, disse Jesus”, expressou Dom Geraldo, antes de lavar os pés dos 12 homens que representavam os apóstolos.

Depois da oração pós-comunhão, o altar foi desnudado e as hóstias consagradas foram levadas em procissão para a Capela do Santíssimo, onde os fiéis permaneceram até a meia-noite em adoração.

Agenda