sexta-feira

, 19 de agosto de 2022

Reestruturação pastoral da arquidiocese é debatida com os vigários forâneos

11 de outubro de 2019 Arquidiocese

Os vigários episcopais e os vigários forâneos estiveram reunidos com o arcebispo de Mariana, Dom Airton José dos Santos, e o coordenador arquidiocesano de pastoral, padre Edmar José da Silva, na manhã desta quinta-feira (9), no Centro de Pastoral, em Mariana. O encontro teve como objetivo envolver os vigários forâneos na discussão sobre a reestruturação pastoral da Arquidiocese, perceber se existe um desejo de mudança e pensar em como envolver as foranias neste processo.

Segundo padre Edmar, durante a conversa, alguns aspectos foram evidenciados. “Há realmente um anseio por mudança. Todos viram a necessidade de se valorizar mais as foranias como instâncias de dinamização da vida pastoral da Arquidiocese”, explicou padre Edmar.

As propostas de mudanças foram iniciadas na Assembleia Arquidiocesana de Pastoral de 2018, onde os participantes sugeriram modificações na metodologia das próprias assembleias. “O assunto foi retomado e ampliado nos conselhos, de modo especial no Conselho Episcopal, que tem também uma função pastoral. Depois disso, estamos promovendo uma ampla discussão sobre a organização pastoral na arquidiocese nas suas diversas instâncias e conselhos”, disse padre Edmar.

Ele acrescenta que ainda não existe uma resposta certa para nova organização pastoral da arquidiocese. “Estamos em fase de discussão da questão para a elaboração de uma proposta mais concreta. O importante é envolver a todos neste processo de discussão’, salienta o coordenador de Pastoral.

Na reunião, Dom Airton reforçou que o jeito de organizar precisa ser participativo e que toda a reorganização precisa fortalecer a participação das bases. 

Padre Alex Martins, vigário da forania de Mariana, achou a reunião boa. “Poder reunir com o bispo, o coordenador pastoral e os outros vigários para propormos e pensarmos sobre esse assunto é muito enriquecedor. Precisamos pensar em uma nova metodologia para evangelizarmos nos tempos de hoje no território de nossa arquidiocese. Uma constatação que todos fizemos é que as estruturas pastorais que temos hoje não correspondem mais a ação evangelizadora”, disse.

O vigário da forania de Conselheiro Lafaiete, padre Rogério Pereira, afirma que as propostas de mudança são interessantes, pois elas buscam adequar a proposta pastoral a atual realidade da arquidiocese. “É importante estar aberto às novas propostas, que também irão passar por uma conversão pessoal do clero e dos leigos em aceitá-las e acolhê-las. Essas mudanças serão fruto de uma reflexão bem ampla, que está sendo feitas em todos os níveis”, disse. Ele acrescenta que as mudanças são sempre válidas, mas é preciso pensar, também, na riqueza das regiões.

Para o vigário da forania de Congonhas, padre Valter Monteiro, a nova proposta não anula a estrutura que perdura décadas, mas possibilita uma reorganização, favorecendo uma nova metodologia que contemple as bases. “Assim teremos uma evangelização mais afetiva e efetiva, junto às nossas paróquias. Acredito que tem tudo para dar certo”, disse.

Próximos passos

O assunto da reestruturação pastoral da arquidiocese será levado para a  27ª Assembleia Arquidiocesana de Pastoral, agendada para os dias 22 e 23 de novembro. Durante o processo, todas as instâncias da arquidiocese serão ouvidas. “ Não há pressa em fazer as mudanças. Tem que ser um processo bem pensado e refletido coletivamente”, ressalta padre Edmar.

Agenda