domingo

, 19 de maio de 2024

Região Mariana Sul promove formações para as pastorais sobre a Campanha da Fraternidade 2023

16 de fevereiro de 2023

A Região Mariana Sul realizou no último dia 11 de fevereiro, formações sobre a Campanha da Fraternidade 2023 para grupos diversificados de suas pastorais. Com o Tema “Fraternidade e Fome”, os assessores buscaram desenvolver de diferentes formas as simbologias, o momento e a importância da Quaresma junto a cada grupo.

Contemplando o pilar da Palavra descrito no Projeto Arquidiocesano de Evangelização (PAE), Catequese, Liturgia e Ministros da Eucaristia (MECE) puderam participar, ouvir e compartilhar suas dúvidas durante a manhã de sábado. O vigário Episcopal da Região Sul, Padre Adelson Laurindo Sampaio Clemente, realizou abertura em cada uma das salas, falando aos participantes com entusiasmo da importância de estarem ali, agradecendo a todos os presentes. Todas as paróquias da região enviaram representantes para uma ou mais formações. Confira como foi em cada grupo:

Catequese   

                                               

Com assessoria da Irmã Passionista, Arlene Simões, 57 catequistas das 32 paróquias da região puderam aprimorar seus conhecimentos com relação ao tema da CF 2023, sua aplicação na catequese e no período de Quaresma. Recém convidada para assessora a Dimensão Sociopolítica da Região Mariana Sul, Irmã Arlene registrou seu parecer sobre a formação, ponderando que sua fala foi baseada no Texto-Base da CNBB.

“Fizemos memória da parte da mística do catequista, proposta colocada para nós do Plano Arquidiocesano de Catequese e do Diretório para a Catequese. Lembramos que para encanarmos os catequizandos com a vida de Jesus é necessário apresentá-lo primeiro, pois ninguém ama um desconhecido, primeiro precisamos conhecer para depois amar. Se o catequista manter firme a espiritualidade cristã, conhecer mais a Jesus pela meditação diária da Palavra, se apaixonará e assim ajudará a saciar a ‘fome’ de muitos.  Terminamos nos encorajando uns aos outros pois é Jesus que nos convida e nos envia na missão que estamos”, disse.

Os participantes registraram seu contentamento com esse momento de aprendizado, encontro e partilha: “Eu achei a receptividade da Igreja muito boa. Todos muito atenciosos. Bem organizado. A Irmã que deu a formação bem preparada, organizada, educada e trouxe muita conscientização da importância da formação catequética”, destacou Rosilene Maria da Silveira da Paróquia São Sebastião, em Barbacena (MG).

Da Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Capela Nova (MG), o catequista Diego Walafy Henrique de Paiva destacou que o momento de estudo foi essencial para os catequistas trabalharem melhor a CF 2023. “A Irmã Arlene nos mostrou e apresentou várias pistas que nos ajudaram a refletir sobre a questão tão importante, que é a fome, tanto em nosso país quanto no mundo. E a Igreja, com um olhar de misericórdia, quer nesse sentido estar mais próximo desses nossos irmãos que vivenciam essa triste experiência. Que essa reflexão faça também com que as autoridades competentes possam também se empenhar para não deixar que a fome, essa rainha que quer reinar, não consiga implantar seu reino no mundo. E agora é ajudar nossas crianças, adolescentes, jovens e adultos a refletirem e pensarem sobre essa realidade que as vezes não é só de pão, mas de acolhida, amor e fé”, ressaltou.

A Coordenadora Regional da Catequese, Maria de Fátima Tostes, conclui o quanto foi importante ouvir e ampliar seu conhecimento com uma visão voltada para o tema atual da Campanha da Fraternidade. Para ela, “foi uma expressão de caridade e solidariedade em favor da dignidade da pessoa, despertando em cada um de nós catequistas o espírito comunitário a partir da justiça e vivência de uma ‘conversão quaresmal’ de modo pessoal, comunitário, eclesial e também social. Saímos do encontro sensibilizado firmes que devemos ressoar o aprendizado aos nossos catequizandos a conhecer e a enfrentar o flagelo da fome, sofrido por uma multidão de irmãos. Catequese como comunidade de fé, deve ficar cada vez mais claro o serviço a fraternidade: ajuda fraterna ao irmão que sofre e o empenho na construção de estruturas sociais justas, partilhando o pouco que temos, abolindo o desperdício de alimentos na vivência de um retiro quaresmal na oração, conversão e jejum”, declarou.

Liturgia

O Coordenador Arquidiocesano de Pastoral, Padre José Geraldo de Oliveira, foi o responsável pela formação para as equipes de Liturgia. Com 75 pessoas presentes, ele iniciou sua fala abordando com os participantes sobre o pilar da Palavra, para assim introduzir a Campanha da Fraternidade. À ocasião, o Assessor Arquidiocesano da Dimensão Litúrgica, Padre Lucas Germano de Azevedo, também prestigiou os presentes participando durante todo o tempo da formação, ouvindo e compartilhando informações com os demais.

“O encontro de formação sobre a Campanha da Fraternidade foi um momento de confraternização, reflexão e aprendizado, um ‘clarear de mentes’, onde os membros representantes das diversas paróquias da nossa região refletiram, sobre um novo prisma e sem qualquer viés político, a realidade pastoral de nossas paróquias e o flagelo da fome em nosso país”, ressaltou Natalia Maria da Silva Palermo, da Paróquia de Bom Jesus de Cana Verde, em Tabuleiro (MG).

Já a Coordenadora Regional, Maria Irene Custódio, pontuou o olhar de discípulo missionário durante o encontro, definindo-o como “um despertar para conhecer a realidade, elaborar projetos em sintonia com o PAE e transformar em ação o mandato claro de Jesus: ‘Dai-lhes vós mesmos de comer’”.

MECE

A formação para os Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística (MECE) ficou a cargo da Assessora Regional da Liturgia, Vera Fontes, contando com a presença de 55 pessoas. Ao final das informações repassadas, Padre Adelson realizou, junto a Vera, a eleição para Coordenação Regional da MECE, conseguindo representação de todas as foranias da Região.

A coordenadora eleita pela Forania de Barbacena, Edna Lúcia de Castro Faustino, da Paróquia Santo Antônio, em Barbacena, descreveu a formação como maravilhosa. Ela ainda comentou sobre ter sido eleita: “fiquei ao mesmo tempo eufórica e preocupada em dar conta de coordenar, já que sempre seguia mais do que coordenava. Mas o Divino Espírito Santo vai me iluminar e eu vou conseguir alcançar os objetivos [esperados]: os meus, quanto da Forania e em conjunto com os demais na região”.

Vinicio Silvânio de Carvalho, da Paróquia São Caetano, em Cipotânea, também eleito coordenador pela Forania de Alto Rio Doce e regional, ressaltou o quanto gostou de participar deste momento junto com todos.

Por sua vez, uma das coordenadores eleitas da Forania de Rio Pomba, Michele Aparecida da Costa, também se sentiu motivada com a formação. “Gostei muito, assuntos que realmente, fazem parte do nosso cotidiano, principalmente sobre a olhar para o outro. Em questões paroquiais, muito destacado sobre as pastorais, principalmente com o nosso convívio em equipe, acolhimento e servir a Cristo com todo carinho e amor, pensando que tudo que fazemos é para Ele, e levar mais ovelhas para o rebanho”, afirmou.

Nelson Boratto Jabur Abdalla, da Paróquia Bom Pastor, em Barbacena, destacou a qualidade da formação, destacando a condução dos palestrantes, Vera Fontes e Padre Adelson. “O encontro abordou a estrutura da Arquidiocese e focou em três momentos que são fundamentais para que a Igreja cumpra o seu papel missionário, quais sejam: o Ano Vocacional, o Projeto Arquidiocesano de Evangelização (PAE) e a Campanha da Fraternidade.  Apesar do pouco tempo para a explanação dos referidos documentos, algumas questões que foram abordadas merecem ser destacadas, como a necessidade dos MESCES entenderem que sua função não é a de aparecer, mas a de mostrar, através do recato, a presença do próprio Cristo e observar que a grandeza da Liturgia serve, exclusivamente, para apontar a beleza do Deus que se sacrificou para que todos pudessem ser salvos”, apontou.

“Ressaltou-se também a importância de estarmos atentos para o fato de que nossas ações devem ser voltadas para o que Jesus nos ensinou, isto é, devemos agir de acordo com os ensinamentos de Cristo e não apenas dizer o Ele nos ensinou.        Daí a importância dos documentos apresentados. Eles servem para nos guiar na caminhada e conduzir nossas ações, nos tornando compartícipes na construção do Reino tão sonhado e querido pelo próprio Salvador. Para tal, devemos ser ‘discípulos missionários, nutridos pela Palavra e pelo Pão, a serviço da caridade e da missão’ (PAE), bem como devemos nos tornar agentes que sensibilizem a sociedade e cumpramos nosso papel de ajudar as pessoas a enxergarem a realidade e a fazer ações que, de fato, ajudem a transformar essa realidade”, complementou Nelson Abdalla.

Por fim, ao término da reunião, foi feita uma votação para se eleger os representantes regionais dos MESCES. Altamente produtivo, acredito que o Encontro atingiu seu objetivo, qual seja, o de sensibilizar os ministros extraordinários para se voltarem para si e redimensionar sua importância e seu papel na construção da Igreja e no desenvolvimento de uma sociedade mais justa e fraterna.

A coordenação regional da MECE, de forma colegiada e dividida por forania, conta com os ministros : Edna e Jane (Forania de Barbacena), Vinício (Forania de Alto Rio Doce), Carla e Michele (Forania de Rio Pomba), e Francisco (Forania de Carandaí).

A Região Sul agradece aos assessores por nos prestigiar com seu conhecimento, sua presença. Esperamos contar novamente com pessoas tão capazes no sentido de evangelizar com sabedoria.

Texto: Ana Paula Mendes dos Santos

Fotos: Ana Paula Mendes dos Santos e Maria Irene Custódio

Veja também:

Está no ar mais uma edição do Jornal Pastoral; CF 2023 é o tema principal

Agenda

VEJA TAMBÉM