quarta-feira

, 28 de fevereiro de 2024

Representantes da Arquidiocese de Mariana visitam os reassentamentos de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo

07 de outubro de 2022 Arquidiocese

Foto: Thalia Gonçalves

No último dia 24 de setembro, uma comitiva composta por doze pessoas da Arquidiocese de Mariana esteve nos reassentamentos de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo. Organizada pela Fundação Renova, a visita teve como objetivo verificar e acompanhar as obras de edificação dos templos da Igreja Católica naquelas localidades, especialmente, os pertencentes à Igreja Particular de Mariana.

Entre os presentes estavam o Ecônomo e Procurador Geral da Arquidiocese de Mariana, Padre Darci Fernandes Leão, e representantes das paróquias e comunidades eclesiais envolvidas como o Pároco da Paróquia São Caetano, em Monsenhor Horta, Padre Delvair Divino Xavier, e o Diácono da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Mariana, Vicente de Paula Sampaio Lima. As comunidades de Paracatu de Baixo e Bento Rodrigues são, respectivamente, atendidas pelas paróquias citadas.

Durante a visita, os participantes foram apresentados às maquetes dos reassentamentos e estiveram nos locais em que serão/estão sendo construídos os imóveis das paróquias como igrejas, salões paroquiais e casal paroquial. No total, são seis edificações pertencentes à Arquidiocese de Mariana, sendo quatro no reassentamento de Bento Rodrigues e duas no de Paracatu de Baixo.

Apresentação da maquete do reassentamento de Bento Rodrigues. Foto: Thalia Gonçalves

À ocasião, foi constatado pelos representantes da Igreja Particular de Mariana que os locais que foram destinados aos templos católicos, com o seu entorno, nessas novas localidades, são bem menores que aqueles onde os mesmos estavam e funcionavam em suas localidades de origem.

“Além disso, vale destacar que a localização destes terrenos não foi objeto de escolha pela Arquidiocese, mas imposta a ela. Desde a minha primeira visita a essas localidades, questionei sobre isso, mas me responderam que já estavam pré-definidos esses lotes pela Fundação e que não teriam como oferecer outras opções a Arquidiocese, nem o acréscimo do entorno dos mesmos, pois os outros locais existentes nos reassentamentos já tinham sido anteriormente destinados às famílias ou outras instituições”, apontou Padre Darci.

Outro aspecto levantado pelo Ecônomo da Arquidiocese de Mariana foi que as localizações dos novos templos não deixaram que as Igrejas estejam em destaque nas comunidades. “Por mais belas e modernas que sejam [as nova construções], [elas] não permitirão que o edifício da Igreja arquitetonicamente apareça como destaque e referência, devido a sua importância e pioneirismo da fé católica naquela região, como era anteriormente nas comunidades originárias e como ainda é em muitas cidades do Brasil e de Minas Gerais”, contestou Padre Darci.

Homem trabalhando na construção de um dos edifícios da Arquidiocese de Mariana no resseantamento de Bento Rodrigues. Foto: Thalia Gonçalves

Segundo o Analista de Relações Institucionais da Fundação Renova, Raphael Queiroz D’Ângelo, as obras do reassentamento de Bento Rodrigues tiveram início em 2018, sendo a expectativa de entregar até o fim deste ano 100 a 110 imóveis edificados, sendo residências, uma escola, um posto de saúde, uma estação de tratamento de esgoto e uma estação de tratamento de água. “Depois disso, novos projetos surgirão”, disse. “Temos também a expectativa de avançar nos projetos da Arquidiocese de Mariana, nas Igrejas de São Bento e das Mercês, além da casa paroquial e no salão paroquial no decorrer do ano que vem”, acrescentou.

O Analista de Relações Institucionais da Fundação Renova também explicou que o reassentamento de Paracatu de Baixo começou o seu licenciamento há cerca de um ano e meio depois do de Bento Rodrigues. Por esse motivo, o marco temporal está diferente. Nessa localidade, as construções da Igreja de Santo Antônio e do Centro de São Vicente ainda não foram iniciadas. Conforme Raphael, é provável que as obras comecem antes do período chuvoso deste ano. Por fim, ele apontou que a previsão é que até o fim de 2023 todas as edificações da Arquidiocese de Mariana estejam concluídas.

Na avaliação do Padre Darci é “muito positiva a preocupação efetiva da Arquidiocese em procurar conhecer e se informar sobre esses locais que serão dela para celebrar sua liturgia e continuar, com a Graça de Deus, a alimentar e a reavivar o Povo de Deus na fé”, comentou.

Padre Darci e Padre Delvair abençoaram o local onde será constuída a Igreja de Nossa Senhora das Mercês no resseatamento de Bento Rodrigues. Foto: Raphael Queiroz D’Ângelo

“Isso tudo é sinal de que a Igreja Católica continua sendo mãe e cuidadora e se faz solidária e comprometida com os seus filhos que para ali se mudarão e tentarão refazer a vida. A Igreja continuar sendo sinal de esperança e reafirma o que dizia o Servo de Deus Dom Luciano: ‘Onde há povo, há razão de ser para quem quer entregar-se como pastor’”, enfatizou o Ecônomo da Arquidiocese de Mariana.

Por sua vez, Raphael apontou o encontro como um ponto de partida para a reaproximação entre as duas instituições. “A gente tem inúmeras pautas que têm que ser discutidas com a Arquidiocese, pautas legítimas. Entretanto, a gente tem o programa do reassentamento que a gente entende que pode ser discutido em agendas diferentes. Então, esse encontro foi um marco nessa relação, nessa aproximação, e a gente vai correr juntos nesse programa do reassentamento e nos outros pleitos que a Arquidiocese tiver também. O diálogo está sempre aberto e vamos reconhecer, sim, os direitos da Arquidiocese”, ponderou.

Padres Darci e Delvair. Foto: Thalia Gonçalves