segunda-feira

, 22 de abril de 2024

Representantes da Arquidiocese participam de visita à obra da Capela Santo Antônio em Mariana

25 de agosto de 2022 Arquidiocese

Na última quarta-feira, 17 de agosto, data em que se celebra o Dia Nacional do Patrimônio Cultural, o Ecônomo e Procurador Geral da Arquidiocese, Padre Darci Fernandes Leão, acompanhou uma visita à Capela Santo Antônio, em Mariana (MG). À ocasião, também estiveram presentes moradores do bairro Santo Antônio, popularmente conhecido como “Prainha”, e representantes da Prefeitura Municipal de Mariana, do Conselho Municipal de Patrimônio Cultural (Compat) e da empresa responsável pelos trabalhos.

Segundo o conselheiro do Compat em nome da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Bernardo Machado, o encontro atendeu a uma solicitação da população local e teve como finalidade sanar dúvidas sobre o projeto e a execução das obras de restauração da Capela de Santo Antônio. Na sua avaliação, a visita aconteceu de forma tranquila e teve o seu objetivo alcançado.

“O projeto está sendo executado e a restauração está sendo feita da melhor forma possível. Agora cabe a comunidade se mobilizar e ver se existe algum outro tipo de ação que deve ser feita. Mas, por parte do conselho, entendemos que o nosso trabalho, de garantir a comunidade o acesso à informação, a visita técnica à obra e [a explicação de] todas as dúvidas que ela solicitou, foi feito”, disse o conselheiro do Compat.

Bernardo ainda destacou a importância da participação da população no envolvimento e na vigilância do patrimônio histórico e cultural, sendo esse, inclusive, um dever previsto na Constituição Federal. “O Conselho vê com muito bons olhos o engajamento da comunidade em qualquer obra de restauração, de preservação e conservação de um bem cultural, principalmente aqui, no bairro Santo Antônio, que, apesar de ter sido teoricamente o primeiro bairro de Mariana, a comunidade tem sido esquecida pelo poder público”, afirmou.

Valor histórico e cultural

Construída em 1701 a pedido do bandeirante Salvador Fernandes Furtado, segundo a arquiteta Anna de Grammont, a Capela de Santo Antônio é possivelmente a mais antiga de Mariana, existindo ainda a probabilidade que ela seja também a mais antiga de Minas Gerais. “Ela é muito importante do ponto de vista do patrimônio histórico e também para comunidade do bairro Santo Antônio. Então, era emblemático para nós conseguirmos a restauração da capela de Santo Antônio como mais uma forma de valorizar o patrimônio e a comunidade de Mariana”, pontuou.

De acordo com ela, o projeto das obras contempla toda a estrutura do templo, incluindo, telhado, parte elétrica, hidráulica, proteção contra incêndios, bem como o largo envolta da Capela onde vai ter uma praça para a comunidade. O termo de Ordem de Serviço que autorizou o início dos trabalhos foi assinado em 28 de março deste ano.

Conforme a Prefeitura Municipal de Mariana, a verba para custear as intervenções foi obtida com apoio do Fundo de Direitos Difusos (FDD), Ministério da Justiça e projetos elaborados com recursos próprios da Prefeitura e do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por meio do PAC de Cidades Históricas.

Pertencimento

Para além da sua importância histórica, cultural e religiosa, a Capela Santo Antônio é também sinal de pertencimento e afetos para a população local. Por isso, as obras de restauro do espaço eram aguardadas com ansiedade por todos.

“Para nossa comunidade, ela [a capela] representa algo primaz porque aqui, [no bairro Santo Antônio], nasceu um pouco da nossa Mariana e foi uma das primeiras capelas de Minas. Algo muito importante é a reunião [entorno] da Capela: aqui, é onde a comunidade se encontrava para fazer festas. Então, isso é algo muito importante para gente; é um sonho que está sendo realizado”, apontou a marianense Valéria Silva.

Texto e fotos: Thalia Gonçalves

Agenda