sexta-feira

, 19 de julho de 2024

Santuário do Caraça celebra 250 anos de história, missão e cultura na Arquidiocese de Mariana

25 de junho de 2024 Arquidiocese

Foto: Arquidiocese de Mariana

No último domingo, 23 de junho, o Santuário do Caraça deu início às celebrações dos seus 250 anos de fundação e os 30 anos da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

Localizado entre os municípios mineiros de Catas Altas e Santa Bárbara, o Santuário foi fundado em 1774 pelo Irmão Lourenço de Nossa Senhora e se tornou um centro de peregrinação e espiritualidade, atraindo romeiros e visitantes de todo o Brasil e do mundo.

A cerimônia reuniu autoridades, religiosos, padres, irmãos lazaristas da região, visitantes e a comunidade local. O Pároco da Paróquia Santo Antônio em Santa Bárbara (MG), Padre Darci Fernandes Leão, também esteve presente, representando a Arquidiocese de Mariana.

O momento foi marcado por uma memória desde a fundação do Caraça, os anos do colégio e a religiosidade local. Na oportunidade, aconteceu também o lançamento dos logos comemorativos dos 250 anos do Santuário.

250 anos do Caraça

O Santuário do Caraça completa 250 anos de fundação, dentro dos 280 anos da história da Arquidiocese de Mariana. É uma história cheia de personagens e acontecimentos importantes para Minas Gerais, para a Província Brasileira da Congregação da Missão, para a própria Arquidiocese de Mariana e também para o Brasil.

Logo dos 250 anos do Santuário do Caraça.

Na segunda metade do século XVIII, em princípios de 1770, o misterioso português Lourenço de Nossa Senhora escolheu o alto da Serra do Caraça para se isolar do mundo e erigir um eremitério, com uma ermida e uma casa destinadas a acolher “ermitões” ou irmãos.

Em março de 1774, já na Serra do Caraça, o Irmão Lourenço conseguiu a permissão para ali construir um templo. A princípio, uma capelinha de madeira, antes da ermida definitiva, porque, segundo o próprio Irmão, a construção em pedra levaria muito tempo para ficar “pronta e carece a mesma de ser feita com perfeição”.

Em 1806, já idoso, fez o seu testamento para que o patrimônio, doado à Casa Real, se destinasse a ser “um hospício de missionários… e, não sendo possível a criação, em tal caso servisse o hospício para o seminário de meninos, onde aprendessem as primeiras letras, artes cênicas, línguas, gramática, Filosofia Racional e Moral”.

Os laços entre a Congregação da Missão e a Arquidiocese de Mariana

A história recorda que, tempos antes da chegada do irmão Lourenço às terras do Caraça, foi criada em 1745, a Igreja Particular de Mariana, primeira diocese erguida no interior do Brasil, juntamente com a Diocese de São Paulo, e a primacial das Minas Gerais. Anteriormente, todos os outros bispados Bahia (1555), Rio de Janeiro (1676), Olinda (1676), Maranhão (1677) e Pará (1719) estavam localizados no litoral brasileiro.

A Congregação da Missão buscou atuar sempre mais alinhada ao lado da hierarquia da Igreja Católica, colaborando intensamente na formação do clero, dos leigos e nas missões. A história da Arquidiocese de Mariana se entrelaça com a história do Caraça, estando presente, sobretudo, no contexto histórico-cultural e educacional na vida dos seminários e na formação do clero marianense na direção dos seminários (1853-1965).

Dentro do território da Arquidiocese de Mariana, os missionários lazaristas (ou vicentinos) trabalharam com muito afinco e dedicação desde a chegada de Dom Viçoso. Muitos outros lazaristas vieram para o Caraça e para a região de Mariana após o ano de 1845, tornando-o Colégio, depois Escola Apostólica, casa de formação da qual saíram eminentes homens públicos, numerosos bispos e padres dedicados à evangelização pelo Brasil afora.

Hoje, passados 250 anos de sua fundação, o Caraça é um santuário religioso e ecológico, situado na Arquidiocese de Mariana, que atrai pessoas de todos os cantos do Brasil e do mundo por causa dos seus atrativos naturais, históricos, culturais e religiosos.

O caraça, “Ideal do Ir. Lourenço Realidade da Congregação da Missão Riqueza de Minas e do Brasil”, alegra-se em oração com os 280 anos da Diocese de Mariana.

A direção dos lazaristas

Em 2020, o Jornal Pastoral publicou uma matéria sobre o período que os lazaristas estiveram na direção do Seminário São José. Clique AQUI para ler

Texto: Pe. Ramon Aurélio, CM – Presidente da comissão dos 250 anos do Caraça
Fotos: Santuário do Caraça/Divulgação