domingo

, 14 de abril de 2024

Secretários Gerais dos Episcopados da América Latina e Caribe analisam Síntese Continental

23 de março de 2023

Analisar o conteúdo da Síntese Continental da América Latina e Caribe, que servirá como contributo para a elaboração do documento de trabalho do Sínodo da Sinodalidade, é um dos objetivos que reúne os secretários-gerais das Conferências Episcopais do continente de 21 a 23 de março na sede do Celam.

O evento é realizado com o acompanhamento de uma delegação da Santa Sé composta pelo Cardeal Jean Claude Hollerich, relator geral do Sínodo, Dom Luis Marín de San Martín, subsecretário da Secretaria Geral do Sínodo e Monsenhor Lucio Adrián Ruiz, secretário do Dicastério para a Comunicação, assim como os membros da presidência do Celam e os secretários gerais dos episcopados de 16 países do continente.

Dispor a alma

Os trabalhos do primeiro dia começaram com a celebração eucarística presidida por Dom Miguel Cabrejos, Presidente do Celam. Um ato solene em que foi destacado o papel da mulher na Igreja, que, segundo o prelado, é um dos temas que mais surgiu nas Assembleias Regionais que foram objeto de estudo durante o último mês em diferentes partes do continente e cujas contribuições foram objeto de discussão nos documentos entregues ao grupo de trabalho responsável pela elaboração da proposta inicial sobre a redacção do documento final da Etapa Continental do Sínodo na América Latina e no Caribe.

Durante a sessão inaugural do encontro dos secretários-gerais, foram apresentados os participantes de 16 países que participaram pessoalmente, enquanto os presidentes das Conferências Episcopais participaram virtualmente, com a presença de 21 bispos. Este espaço foi utilizado para escutar os testemunhos daqueles que participaram nas Assembleias Regionais, bem como as expectativas que surgem como parte do processo que a Igreja continental está atualmente a atravessar.

Uma proposta de análise

O Padre Carlos María Galli, membro da equipe de reflexão teológica do Celam e do grupo de trabalho que elaborou o esboço inicial do documento, explicou a sua estrutura, características básicas e intenções após um intenso trabalho realizado entre 17 e 20 de Março.

O padre argentino explicou que a contribuição latino-americana consistirá em três partes ou narrativas. A primeira delas falará da experiência vivida, a segunda será o documento e, finalmente, será apresentado um grupo de prioridades que será desenvolvido como propostas a serem tidas em conta no instrumento de trabalho do Sínodo e na assembleia de outubro. A síntese da fase continental do Sínodo na América Latina e Caribe é um projeto de documento que se espera estar completo no final de março, depois de receber as diferentes contribuições e conceitos que ajudarão a enriquecer o seu conteúdo.

De acordo com as principais contribuições recebidas no itinerário que o continente experimentou até agora, o padre esclareceu que o projeto de documento aborda oito temas fundamentais que, por sua vez, se referem a outras questões ou questões de importância relativamente ao Espírito e à prática da sinodalidade. Cada um dos temas foi considerado numa chave sinodal. Incluídos nestas reflexões estão o papel do Espírito numa Igreja sinodal, a sinodalidade e o povo de Deus, esta experiência como uma forma de ser e agir na Igreja que deve manter um compromisso socioambiental num mundo fragmentado.

Compromissos que devem necessariamente motivar a conversão e o exercício ministerial nesta mesma chave, que de acordo com a realidade do continente deve ser desenvolvida sob um itinerário particular que responda às suas características e necessidades pastorais. Este momento de escuta e reflexão serviu de base para a compreensão do significado do ponto seguinte da agenda, visando a leitura completa do texto e a dissertação sobre a apropriação da síntese por regiões. O dia terminou com uma partilha sobre a síntese continental e um diálogo aberto entre a audiência e o Cardeal Jean Claude Hollerich e os membros da Secretaria Geral do Sínodo.

A Expectativa

Dom Rafael Bitter Soto, Subsecretário do Episcopado venezuelano, falou sobre as impressões do primeiro dia e as opiniões dos participantes, expressando a sua excitação ao chegar a esta fase do caminho sinodal. “É uma grande expectativa em primeiro lugar com todo este Sínodo, como temos trabalhado primeiro nas dioceses, depois a nível nacional, em toda a Venezuela; depois cada um se pergunta o que vai acontecer, o que vai sair, o que vai ser feito, e como Igreja temos vindo a seguir os passos. Chegar a este momento para construir a síntese continental é realmente emocionante, somos encorajados e esperamos que todos sejam assim e que sejamos infectados por esta atmosfera de sinodalidade para podermos alcançar este momento tão esperado”, foram as suas palavras.

Em segundo lugar, o prelado confirmou que outro dos seus interesses é a reflexão sobre a realidade sociopolítica dos diferentes países e a contribuição que pode ser dada como Igreja e a ajuda mútua numa chave sinodal que pode ser gerada entre todos, sem esquecer a reflexão que está prevista sobre a proteção dos menores, que é uma prioridade para a Igreja venezuelana. “Viemos para partilhar, mas acima de tudo para aprender, esta é uma escola”, concluiu.

Texto: Paola Calderón – ADN Celam
Foto: Vatican News

Agenda

VEJA TAMBÉM